• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Varanasi, a Índia ao quadrado

A cidade do Ganges

A cidade do Ganges

Não é só Maya que foi para Varanasi no fim de Caminho das Índias. Quase todos os indianos  gostariam de acabar suas vidas em Varanasi, mais precisamente nas águas do rio Ganges. A cidade é considerada sagrada pelos hindus e dizem eles que quem morre por lá não precisa mais reencarnar. Todo esse aspecto místico faz de Varanasi um dos destinos mais incríveis – e eu diria obrigatório – pra quem viaja pra Índia. Mas não espere encontrar qualquer tipo de facilidade. Varanasi parece ser a Índia em estado bruto, ou seja, você vai encontrar o ápice da religiosidade, celebrações lindíssimas, sáris ultracoloridos mas esteja preparado pra muita (muita mesmo!) sujeira, desorganização e situações pra lá de bizarras.

Veja mais fotos de Varanasi

Por um acaso do nosso roteiro, a cidade acabou sendo uma das últimas que a gente visitou na Índia. A coincidência não poderia ter sido melhor! Depois de vinte dias de andanças pelo subcontinente nós já estávamos completamente ambientados com a cultura e o modo de viver de lá. E isso foi fundamental para que a gente se encantasse com Varanasi. A não ser que você esteja vindo do Nepal – de onde Varanasi é a porta de entrada na Índia por causa de uma conexão direta – nem pense em começar por lá.

E bem-vindo à cidade de Shiva, o deus da destruição.

SHIVA

Devoção

DevoçãoEditar posts ‹ As Viajantes — WordPress

Shiva foi um dos maiores mistérios pra mim quando eu comecei a descobrir um pouco da cultura hindu. Como eu já disse, ele é o deus da destruição. Mas como assim existe um deus pra celebrar a destruição?? Acabar com tudo sempre esteve ligado a algo muito ruim para mim. A resposta indiana quando eu expus essa minha dúvida: você deve ter uma vida muito boa então. E nessa conversa eu aprendi o óbvio: só é possível recomeçar se antes você destruir, além disso, grande parte do crescimento da vida vem com o recomeço. Acho que esse é o espírito de Varanasi. O que para um ocidental seria a cidade da morte, pra eles é apenas o recomeço. E a chance de fazer e viver tudo melhor.

Além do mais, Shiva é o marido de Parvati, minha deusa favorita. E pai de Ganesh, o deus lindinho com corpo de humano e cabeça de elefante.

CHEGANDO NA CIDADE
A maior parte dos turistas vai chegar em Varanasi de trem. A estação é aquela coisa de sempre: sujeira, muita gente por todos os cantos, uma confusão imensa e nada pra comer. A diferença de Varanasi fica por conta da negociação com os motoristas de rickshaw. A cidade é dividida em uma parte velha e a outra parte (não dá pra dizer que é exatamente nova). É na parte velha que ficam os hotéis e consequentemente os turistas – e também é lá que estão as atrações de Varanasi. Acontece que não se chega de transporte algum – que não seja as próprias pernas – na parte velha de Varanasi. Ou seja, é preciso pegar um rickshaw até o limite da parte velha e depois andar a pé (isso mesmo, a pé!!) carregando suas malas nas costas. A maior parte dos motoristas aceita guiar os turistas até o hotel em troca de uma gorjeta (e, acredite, isso é absolutamente imprescindível). Por isso, antes de entrar em um rickshaw, se certifique de que o motorista conhece o seu hotel. Depois negocie bastante o preço porque além do custo da corrida vai ser esperado que você dê uma gorjeta pela parte guia do trajeto. E por último, tenha paciência e comece a fazer um trabalho mental pra tentar diminuir o perrengue que vai ser carregar suas coisas nas costas por vielas estreitas.

Depois do trauma da chegada, a gente optou por alugar um táxi no albergue na volta. Se o seu destino é de novo a estação de trem isso não é necessário, mas se você vai para o aeroporto – como foi o nosso caso – isso é, certamente, uma ótima opção.

A CIDADE

As ghats

As ghats

A cidade velha fica a beira do Ganges. E esta “orla” é formada por grandes escadarias que desembocam no rio, cada uma dessas escadarias leva o nome de Ghat. A cidade velha é uma grande labirinto e um grande emaranhado de pequenas ruelas absolutamente parecidas. Pra não se perder as dicas são: decorar beeem todas coisas que estão ao redor do hotel ou então ir andando na beira do rio e nao se arriscar muito por dentro, essa foi a nossa estratégia.

AS GHATS

As ghats são a alma de Varanasi. Na verdade na maior parte delas é muito difícil saber onde terminam e onde começam as outras ghats já que não há qualquer separação entre ela. Cada ghat tem um significado e muitos dos antigos e lindos prédios que estão à beira delas pertenceram a famílias tradicionais indianas. Em algumas você vai ver indianos rezando, em outras fazendo ioga, existem ghats que servem como grandes lavanderias públicas onde eles lavam suas roupas, algumas que estão tomadas por búfalos e também ghats onde eles se banham. Um guia pode ajudar a entender o significado de cada uma, mas você também pode apenas passear lentamente pelo rio apreciando cada uma delas. Uma boa dica é fazer um passeio de barco pelo ganges que dura mais ou menos uma hora. Nas maiores ghats há pessoas oferecendo passeios o tempo todo. E a melhor e mais bonita hora pra isso é o amanhecer.


A CERIMÔNIA

a cerimônia

a cerimônia

Todos dias, os indianos de Varanasi fazem uma cerimônia em homenagem ao Rio Ganges. A ganga aarti acontece um pouco depois do pôr do sol, por volta da sete da noite, na Dasaswamedh Ghat. Essa ghat é uma das maiores de Varanasi e não se preocupe  porque você não vai ter dificuldade alguma de achar a cerimônia. A cidade velha toda se mobiliza para o evento, que é uma das principais atrações da cidade. Você tem dois modos de assisti-la: sentado nas escadarias ou do próprio rio, em algum barco. Se tiver tempo aproveite os dois modos. Na ghat ao lado acontece um cerimônia bem parecida, logo se você estiver em barco terá a oportunidade de assistir as duas. O evento é de graça, e seu único

Para os indianos esse é um momento de agradecer e não de fazer pedidos

Para os indianos esse é um momento de agradecer e não de fazer pedidos

trabalho vai ser chegar um pouquinho antes para garantir um bom lugar. Durante a cerimônia, que dura quase uma hora, eles usam fogo, água do rio, flores e danças para fazer seus agradecimentos ao rio. Tudo impressionantemente bonito. A devoção do público também é comovente. Pouco antes do início, dezenas de pessoas vão te oferecer uma espécie de oferenda que você pode fazer. Se você quiser fazer parte da cerimônia pode comprá-la, acender a velinha (os próprios vendedores fazem isso) e agradecer pelo momento na hora que a coloca no rio. As centenas de velas deixam o ganges com um aspecto muito especial durante a cerimônia. Conversar com os vendedores – a imensa maioria crianças – também ajuda a entender melhor o que cada momento significa. E eles também adoram falar da vida e, claro, fazer mil perguntas.

OS FUNERAIS
Varanasi é uma cidade sagrada para os hindus. Se você não tem a honra de morrer lá, ser cremado em Varanasi (hindus não são enterrados mas cremados) é também o desejo de muitos indianos. Existem algumas ghats que são ghats funerais. Durante o entardecer é possível ver dezenas de fogueiras que se formam nesses locais, o que dá uma imagem inesquecível. O preço para cremar os corpos nessas ghats funerais varia de acordo com a nobreza da madeira. A cerimônia também é acompanhada por uma vaca. Depois as cinzas são jogadas no Ganges. Você certamente passará por ghats funerais durante o seu passeio por Varanasi, é bom saber que nesses locais fotos não são permitidas e alguém estará sempre na sua cola para que você não tente fotografar escondido. Isso é considerado extremamente desrespeitoso e eles são muito incisivos. Alguns homens que preparam os funerais vão te convidar para assistir a uma cerimônia. Não assistimos por considerar um passeio pra lá de mórbido e também por respeito aos familiares. Afinal, eu odiaria ter turistas no enterro de alguém da minha família. Se você topar esteja preparado pra pagar para isso. Não sei como funciona a cobrança, mas ela parece que é negociada com os trabalhadores das ghats e não com a família. Mesmo que você assista à cremação, as fotos continuam proibidas.

E OS CORPOS NO GANGES

Varanasi e seus simbolismos

Varanasi e seus simbolismos

É verdade que corpos são jogados no rio Ganges. Famílias que não têm dinheiro pra pagar pelas caras cerimônias de cremação muitas vezes jogam os corpos de seus familiares direto no rio. Ou então jogam eles sobre fogueiras já acesas e por isso os corpos acabam não queimado por inteiro. É por isso que por suas andança você vai se deparar com objetos boiando no Ganges que podem, sim, ser corpos. Como você não vai entrar no rio (e nem pense mesmo em fazer isso em Varanasi, se você quer ter a experiência de se banhar no Ganges vá para Rishikesh) os corpos são apenas uma imagem que choca. E muito. Mas também não pense que você vai se deparar com um rio com milhares de corpos. Eu conversei com turistas que não viram nenhum.

HOSPEDAGEM

Na beira do rio existem muito hotéis. Procure um que tenha vista pro Ganges. Essa é a melhor parte. Varanasi não é tão corrido quanto as demais cidades da Índia. Você vai ter a oportunidade de tirar um tempinho só pra ficar observando o Ganges e a impressionante devoção que os indianos tem por aquele rio e seus significados. Nossa escolha foi o Ganpati, dica de uma amiga

Acordar e dar de cara com o Ganges e os rituais

Acordar e dar de cara com o Ganges e os rituais

local. O hotel é ótimo, bem localizado, com quarto limpos, um restaurante que nos salvou vááárias vezes, e uma vista sensacional. Decidimos pagar um pouquinho mais e ficar numa quarto com varadinha. Foi ótimo e valeu cada rúpia.

COMENDO
A comida em Varanasi não é muito diferente do restante da Índia: pequenos restaurantes com refeições ótimas. Tivemos uma ótima experiência em um restaurante que fica dento do Palace on Ganges, um restaurante cinco estrelas, que fica na Assi Ghat, a ghat mais ao sul. O restaurante tem preços mais caros que o normal, mas ainda bem em conta pra brasileiros. A vista é sensacional e nosso prato foi um paneer matar inesquecível. Aliás, paneer matar, que é uma refeição com um tipo de queijo indiano, é um prato típico da região de Varanasi, vale a pena.

O HAXIXE, AS MASSAGENS E O CRÍQUETE
Espere pra encontrar pessoas te oferecendo haxixe em todos os cantos. E ópio. Dizem os indianos que Shiva fumava haxixe. Durante suas andanças você também terá pessoas te oferecendo o tempo inteiro massagens. E as ghats se transformam em campos de críquete. Esse esporte está para os indianos como o futebol pra nós. Logo, você vai ver gente jogando em todos os cantos, sempre com uma enorme torcida em volta.

Bons de papo

A DAY TRIP
Varanasi também é ponto de partida pra a cidade de Sarnath, local onde Buda fez seu primeiro discurso e uma espécie de Meca para os budistas. Você pode conhecer tudo em um único dia, então durante sua estada em Varanasi reserve um dia para a day trip.

COMPRAS
Varanasi não é o melhor lugar pra compras. Os guias dizem que a cidade é conhecida como um grande pólo de sáris coloridos e lindos mas eu sinceramente não vi nada de muito bom por lá. Na rua que desemboca na Dasaswamedh Ghat você vai encontrar dezenas de lojas e centenas de vendedores fazendo de tudo pra que você entre em alguma. Eu não comprei nada lá além de incensos.

Mais Índia aqui e Nova Delhi aqui.

Personal Trip

About the Author

Destinos exóticos e desconhecidos. É em lugares assim que Reba prefere passar as férias. Isso deve ser uma desculpa para poder passar os outros 11 meses do ano planejando a viagem.

2 Respostas para “ Varanasi, a Índia ao quadrado ”

  1. As fotos de Varanasi podem ser vistas aqui: http://picasaweb.google.com.br/ronaldopelli/Varnasi#

    Dos outros lugares, basta navegar um pouquinho por aí.

  2. Reba, suas fotos da Índia são lindas demais!! linka logo um álbum aqui…
    beijos

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>