• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Uma viagem à ilha de Curaçao, um tesouro no Caribe

Os coloridos casarões centenários na capital Willemstad

Os coloridos casarões centenários na capital Willemstad

Quando a chefe confirmou a semana de folga, a poucos dias do embarque, não havia mais destinos em promoção. Orcei diferentes cidades e países, até que encontrei passagens para Curaçao pelo mesmo preço de ida e volta a Ilhéus. Eu não sabia muito sobre essa ilha caribenha, mas uma simples busca no Google revelou as fotos do mar azul e dos prédios coloridos a beira-mar. Não precisei pensar duas vezes. Comprei.

O lugar é muito popular entre casais em lua de mel. A Gol tem voos semanais (sempre aos sábados) direto de Brasília. Avianca e American Airlines também voam. Em abril, paguei R$ 1380,00, já com as taxas. Estava no fim da alta temporada, se é que isso existe em Curaçao. A ilha chega a ser árida, porque faz sol o ano inteiro. Mesmo na temporada de furacões, Curaçao sofre apenas com  chuvas ocasionais. Está fora da rota de perigo.

A ilha, que já fez parte das Antilhas Holandesas, hoje é autônoma, embora ainda pertença à Holanda. Pelo menos foi isso o que entendi das explicações que ouvi por lá. Foram muitas as mudanças nos últimos anos, não só em Curaçao, como também em Aruba e Bonaire, que formam as Ilhas ABC, próximas à costa venezuelana.

O mar turquesa e absolutamente transparente em uma das praias naturais de Curaçao

O mar turquesa e absolutamente transparente em uma das praias naturais de Curaçao

Língua – A língua oficial é o holandês, mas o idioma  falado por todo canto é o papiamento, uma mistura de espanhol, holandês, inglês e até um bocado de português. De toda forma, não há motivo para preocupação para os turistas, porque muitos moradores falam inglês e espanhol, além do holandês e do papiamento.

História – A ilha tem forte influência dos diversos povos que brigaram pela conquista do território: espanhóis, ingleses e holandeses. Os curaçaoanos têm passaporte europeu. Mas as raízes da África também são marcantes, diante de uma fatia de 80% do povo de origem africana, herança dos tempos de escravidão. E a Venezuela, a apenas 60 quilômetros de distância, também exerce um bocado de influência, sobretudo econômica.

Patrimônio da Humanidade – A colonização holandesa deixou marcas não apenas na língua mas também na arquitetura. O centro de Willemstad, a capital, é patrimônio da humanidade, tombado pela Unesco. Os prédios dos séculos XVII e XVIII resistem bravamente às intempéries e ficam ainda mais charmosos coloridos pelos fortes tons  caribenhos.

Economia – Mas, ao contrário das ilhas vizinhas, Curaçao não é dependente apenas do turismo. A ilha é cercada por um mar turquesa magnífico, e a diversificada fauna marítima atrai praticantes de mergulho e snorkel. No entanto, ao redor da capital, nos subúrbios de Willemstad, concentra-se a maior parte da população local. Juntamente com o turismo, a principal atividade econômica da ilha é o refino de petróleo da Venezuela. Além do entra e sai de navios cargueiros na principal baía da ilha, um breve passeio de carro deixa à vista as muitas chaminés do refino.

Excelente destino para descansar, Curaçao é popular entre casais em lua de mel

Excelente destino para descansar, Curaçao é popular entre casais em lua de mel

Moeda – A moeda oficial é o Naf (Netherlands Antillean Forints ou Netherlands Antillean Guilder), ou simplesmente forints. Mas todos os estabelecimentos da ilha, incluindo hotéis, lojas e restaurantes aceitam dólares americanos. Nos caixas eletrônicos, é possível escolher se prefere sacar em dólares ou em forints.

Hospedagem – Há muitos e bons hotéis em Curaçao. Antes de decidir onde ficar, pense se prefere uma viagem de reclusão, em um resort, ou se prefere curtir o agito da cidade após os dias na praia. Há vários resorts no litoral a leste e a oeste da capital. Em Willemstad, há outras tantas opções de acomodação.

A oeste, estão o Hilton Curaçao, Curaçao Marriot Beach Resort e Floris Suite Hotel. No extremo oeste, em Werstpunt, o Kura Hulanda Lodge é para quem prefere ficar sossegado. No litoral leste, há o Lions Dive & Beach Resort e o Dolphin Suites, nas redondezas do Sea Aquarium. Em Willemstad, há ainda o Plaza Hotel Curaçao, Otrobanda Hotel, Hotel Kura Hulanda e Renaissance Curaçao Resort & Casino.

Transporte – A ilha não é grande. Em uma semana é possível se movimentar bastante por todo o território. Se não me engano, o maior percurso tem entre  40 km e 60 km, de forma que é possível atravessar de um extremo a outro em poucas horas. Caso prefira rodar tudo com calma, duas semanas são suficientes. As estradas não são bem sinalizadas, muito menos conservadas. Mas alugar um carro me parece uma boa forma de explorar o lugar. Se não quiser se aventurar, especialmente se estiver sozinho, há bons passeios turísticos que duram praticamente o dia inteiro, em micro-ônibus que buscam e levam o hóspede no hotel.

Flamingos repousam nas salinas de Jan Kock

Flamingos repousam nas salinas de Jan Kock

Evite o transporte público, porque aparentemente não é seguro, além de escasso. Táxis são uma boa opção para grandes grupos e famílias inteiras. Não há taxímetro, as corridas são combinadas previamente, normalmente o valor não varia muito, US$ 12 para curtas distâncias e US$ 20 para o aeroporto e praias não muito distantes. A vantagem é que os carros são na verdade vans, com capacidade para levar bastante gente ao mesmo tempo e pelo mesmo preço. Ou seja, quando chegar ao aeroporto, se estiver sozinho, tente descobrir outros passageiros que vão ao mesmo destino que você. Se simularem que estão juntos, racharão o táxi. Fica bem mais em conta.

Aeroporto – Há apenas um aeroporto na ilha, o Hato International Airport. Mas é bem honesto, organizado, sem muito movimento, com serviço completo de lanchonetes e algumas lojas razoáveis de duty free na área de embarque, à saída da ilha. Na chegada, o esquema é bem mais simples. Não espere fazer compras nem ser abordado pelos taxistas. Procure a fila de vans. Estes são os táxis. E você precisa ir até eles. A maioria das corridas dá US$ 20 por van até os principais hotéis da ilha, mesmo que fora da capital.

Diversão – Os resorts certamente contam com boa estrutura de serviços para atender aos turistas. Alguns possuem restaurantes que são referência na ilha. Em Willemstad, há outras ótimas opções para ir às compras, comer, beber e até visitar museus. Mas a grande atração em Curaçao é, sem dúvida, o mar. Há praias para todos os gostos, para mergulhar, para relaxar, para curtir com crianças pequenas, para badalar, para ver e ser visto. Confira mais dicas em breve, num próximo post…

Personal Trip

About the Author

Nada de sombra e água fresca. Daniela gosta mesmo é de explorar o mundo, os países, as cidades por onde passa. Mal acabam as andanças das últimas férias e já começam os planos para o próximo destino.

5 Respostas para “ Uma viagem à ilha de Curaçao, um tesouro no Caribe ”

  1. Olá Daniela,

    Muito boa suas informações, mas apesar de ter vontade fiquei um pouco com receio, pois parece que Curaçao é só para você curtir a praia mesmo num resort, pois não tem muitas opções e as que tem as vezes tem que ficar atento.

    Vale a pena mesmo ir para lá, pois nem está tão barato assim né?

    Obrigado

  2. Oi Samantha,
    Também não curto ficar enfurnada em resort. Dá uma olhada se é possível alugar carro para explorar a região, caso você esteja acompanhada. Se estiver sozinha, uma boa opção são excursões em grupos de turistas mesmo. O escritório de turismo local pode te indicar os melhores passeios. O hotel também deve ter os contatos.
    Infelizmente, não conheço essas ilhas. Mas você encontra mais infos e dicas de passeios nos sites oficiais de Antigua e de St Lucia. Os dois lugares parecem incríveis!
    Boa viagem!
    Daniela

  3. Eu gosto muito do conselhos de voces, mas nao achei nada sobre Antigua e St Lucia. Estou indo para la semana que vem e vamos ficar no resort http://www.sandals.com.br mas eu queria tambem curtir essas ilhas sem a tutelacao dos resorts, tem alguma dica?

    Valeu

  4. Oi Deise. Não cheguei a mergulhar, mas vi passeios de dia inteiro para mergulho, assim como cursos rápidos ou com duração de até uma semana. O passeio para mergulho, se não me engano, custava de US$ 80 a US$ 100. Vi cursos de cerca de cinco dias por US$ 380. Abraços, Daniela

  5. Morro de vontade de conhecer Curaçao. Espero conseguir ir para lá em breve.
    Por um acaso você fez algum mergulho por lá? Sabe quanto custa?

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>