• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Se alguém perguntar por mim, diz que fui por aí…

Viajar sozinha é uma delícia. Há quem diga o contrário (e não são poucas pessoas), mas a liberdade de poder organizar
uma viagem totalmente do seu jeito – e mudar tudo a hora que quiser – não tem preço. Minhas duas últimas férias foram
destinadas a ‘mochilões’ pela Europa sozinha grande parte do tempo. E eu adorei. Nada de negociar destinos, programas, horários…
Calma, gente, não sou uma chata… Era apenas uma necessidade grande de curtir minha liberdade. 🙂
Apesar das delícias, é claro que se aventurar por aí sozinha tem suas armadilhas, ainda mais se estamos falando de
mulheres viajantes. Se você tem medo de se arriscar por aí, destacamos aqui algumas dicas pra fugir de furadas.
Esperamos que nossas observações sejam úteis e boa viagem!
– Pense bem na hora de fazer a mala. Sendo mochilão ou mesmo mala, não coloque mais peso do que você conseguei carregar – não
esqueça que você não terá ninguém pra dividir essa responsabilidade. Na verdade, o ideal é não levar a bagagem abarrotada porque
sabe como é mulher, a gente sempre compra alguma coisa pelo caminho… Uma coisa que fiz na última viagem e achei ótimo
foi anotar tudo o que estava levando pra não esquecer de usar aquela blusinha que ficou lá no fundo da mochila.
– Programe as chegadas para durante o dia. Chegar a uma cidade estranha à noite pode se tornar um problema. Você
estará cansada, são maiores as chances de se perder, o transporte público pode não estar mais funcionando (dependendo
da cidade) etc. E aí, se você planejou um voo de madrugada para economizar dinheiro, essa economia pode ir toda num táxi.
– Ao chegar no seu destino, garanta logo seu mapa da cidade. Dificilmente aeroportos e estações de trem não têm um
serviço de informações que distribua mapas.
– Nunca, nunca, em tempo algum se afaste de sua bolsa e documentos. As pessoas podem parecer muito simpáticas, mas não
esqueça que você está sozinha, em um lugar estranho. Ficar sem documentos não será uma boa experiência.
– Mesmo quem não gosta de se programar muito é bom ter pelo menos dois endereços de albergue para se hospedar. Sempre
há uma festa da cidade, um Carnaval fora de época para lotar todos os hostels e você perderá muito tempo tentando arrumar
um lugar pra dormir. Agora, se você prefere já sair de casa com tudo reservado (é o meu caso), não tenha medo de confiar
nos sites de reserva. Todos os albergues onde fiquei até hoje foram reservados via hostel world e eu nunca tive nenhum
problema. Pelo contrário, em Lisboa fiquei no Rossio Hostel, que depois foi eleito um dos melhores da Europa. Leia os
depoimentos de outros viajantes, anote as facilidades, compare, garanto que você não irá se arrepender. 🙂
– Essa dica é exclusiva para as mulheres: leve um pacote de absorventes de casa. Pode parecer bobagem, mas não é. Se
seu destino é a Europa, o dito cujo é caríssimo. Além disso, em alguns países as farmácias (e outros setores do comércio)
fecham na hora do almoço (é isso mesmo!) e você vai ficar na mão… A Reba falou um pouco sobre isso no post sobre a
Índia.
– Eu nunca dei sorte com os tais pub crawls (rodízio de bares promovido por albergues normalmente)… Acho um programa
forçado, sem graça e, no fim das contas, caro. Por isso, no quesito programa-para-fazer-amigos eu aconselho os walking
tours, ou qualquer outro tipo de tour que te possibilite interagir com outros viajantes. Acho isso muito mais interessante
do que beber com gente desconhecida… Foi num walking tour em Berlim que conheci um grupo de espanholas muito simpáticas; e
em Munique fiz amizade com uma alemã que também viajava sozinha. E depois de muitas fotos e visitas a lugares incríveis, aí sim,
resolvemos tomar uma cerveja… 🙂
Se você tem mais alguma dica legal para viajar sozinha, conte pra nós!Viajar sozinha é uma delícia. Há quem diga o contrário (e não são poucas pessoas), mas a liberdade de poder organizar
uma viagem totalmente do seu jeito – e mudar tudo a hora que quiser – não tem preço. Minhas duas últimas férias foram
destinadas a ‘mochilões’ pela Europa sozinha grande parte do tempo. E eu adorei. Nada de negociar destinos, programas, horários…
Calma, gente, não sou uma chata… Era apenas uma necessidade grande de curtir minha liberdade. 🙂
Apesar das delícias, é claro que se aventurar por aí sozinha tem suas armadilhas, ainda mais se estamos falando de
mulheres viajantes. Se você tem medo de se arriscar por aí, destacamos aqui algumas dicas pra fugir de furadas.
Esperamos que nossas observações sejam úteis e boa viagem!
– Pense bem na hora de fazer a mala. Sendo mochilão ou mesmo mala, não coloque mais peso do que você conseguei carregar – não
esqueça que você não terá ninguém pra dividir essa responsabilidade. Na verdade, o ideal é não levar a bagagem abarrotada porque
sabe como é mulher, a gente sempre compra alguma coisa pelo caminho… Uma coisa que fiz na última viagem e achei ótimo
foi anotar tudo o que estava levando pra não esquecer de usar aquela blusinha que ficou lá no fundo da mochila.
– Programe as chegadas para durante o dia. Chegar a uma cidade estranha à noite pode se tornar um problema. Você
estará cansada, são maiores as chances de se perder, o transporte público pode não estar mais funcionando (dependendo
da cidade) etc. E aí, se você planejou um voo de madrugada para economizar dinheiro, essa economia pode ir toda num táxi.
– Ao chegar no seu destino, garanta logo seu mapa da cidade. Dificilmente aeroportos e estações de trem não têm um
serviço de informações que distribua mapas.
– Nunca, nunca, em tempo algum se afaste de sua bolsa e documentos. As pessoas podem parecer muito simpáticas, mas não
esqueça que você está sozinha, em um lugar estranho. Ficar sem documentos não será uma boa experiência.
– Mesmo quem não gosta de se programar muito é bom ter pelo menos dois endereços de albergue para se hospedar. Sempre
há uma festa da cidade, um Carnaval fora de época para lotar todos os hostels e você perderá muito tempo tentando arrumar
um lugar pra dormir. Agora, se você prefere já sair de casa com tudo reservado (é o meu caso), não tenha medo de confiar
nos sites de reserva. Todos os albergues onde fiquei até hoje foram reservados via hostel world e eu nunca tive nenhum
problema. Pelo contrário, em Lisboa fiquei no Rossio Hostel, que depois foi eleito um dos melhores da Europa. Leia os
depoimentos de outros viajantes, anote as facilidades, compare, garanto que você não irá se arrepender. 🙂
– Essa dica é exclusiva para as mulheres: leve um pacote de absorventes de casa. Pode parecer bobagem, mas não é. Se
seu destino é a Europa, o dito cujo é caríssimo. Além disso, em alguns países as farmácias (e outros setores do comércio)
fecham na hora do almoço (é isso mesmo!) e você vai ficar na mão… A Reba falou um pouco sobre isso no post sobre a
Índia.
– Eu nunca dei sorte com os tais pub crawls (rodízio de bares promovido por albergues normalmente)… Acho um programa
forçado, sem graça e, no fim das contas, caro. Por isso, no quesito programa-para-fazer-amigos eu aconselho os walking
tours, ou qualquer outro tipo de tour que te possibilite interagir com outros viajantes. Acho isso muito mais interessante
do que beber com gente desconhecida… Foi num walking tour em Berlim que conheci um grupo de espanholas muito simpáticas; e
em Munique fiz amizade com uma alemã que também viajava sozinha. E depois de muitas fotos e visitas a lugares incríveis, aí sim,
resolvemos tomar uma cerveja… 🙂
Se você tem mais alguma dica legal para viajar sozinha, conte pra nós!
Companhia inseparável

Companhia inseparável

Viajar sozinha é uma delícia. Há quem diga o contrário (e não são poucas pessoas), mas a liberdade de poder organizar uma viagem totalmente do seu jeito – e poder mudar tudo a hora que quiser – não tem preço. Minhas duas últimas férias foram destinadas a ‘mochilões’ pela Europa sozinha grande parte do tempo. E eu adorei. Nada de negociar destinos, programas, horários… Calma, gente, não sou uma chata… Apenas gosto de curtir minha liberdade. 🙂

Apesar das delícias, é claro que se aventurar por aí sozinha tem suas armadilhas, ainda mais se estamos falando de mulheres viajantes. Se você tem medo de se arriscar por aí, destacamos aqui algumas dicas pra fugir de furadas. Esperamos que nossas observações sejam úteis e boa viagem!

– Pense bem na hora de fazer a mala. Sendo mochilão ou mesmo mala, não coloque mais peso do que você consegue

E aí, se animou?

E aí, se animou?

carregar – não esqueça que você não terá ninguém pra dividir essa responsabilidade. Na verdade, o ideal é não levar a bagagem abarrotada porque sabe como é mulher, a gente sempre compra alguma coisa pelo caminho… Uma coisa que fiz na última viagem e achei ótimo foi anotar tudo o que estava levando. Tá bom, é um pouco de falta do que fazer, mas é muito útil pra não esquecer de usar aquela blusinha que ficou lá no fundo da mochila.

– Programe as viagens curtas para durante o dia. Chegar a uma cidade estranha à noite pode se tornar um problema. Você estará cansada, são maiores as chances de se perder, o transporte público pode não estar mais funcionando (dependendo da cidade) etc. E aí, se você planejou um voo de madrugada para economizar dinheiro, essa economia pode ir toda num táxi.

– Ao chegar a seu destino, garanta logo seu mapa da cidade. Dificilmente aeroportos e estações de trem não têm um serviço de informações que distribua mapas.

– Nunca, nunca, em tempo algum se afaste de sua bolsa e documentos. As pessoas podem parecer muito simpáticas, mas não esqueça que você está sozinha, em um lugar estranho. Ficar sem documentos não será uma boa experiência.

– Mesmo quem não gosta de se programar muito é bom ter pelo menos dois endereços de albergue para se hospedar. Sempre há uma festa da cidade, um Carnaval fora de época para lotar todos os hostels e você perderá muito tempo tentando arrumar um lugar pra dormir. Agora, se você prefere já sair de casa com tudo reservado (é o meu caso), não tenha medo de confiar nos sites de reserva. Todos os albergues onde fiquei até hoje foram reservados via hostel world e eu nunca tive nenhum problema. Pelo contrário. Em Lisboa fiquei no Rossio Hostel, que depois foi eleito um dos melhores da Europa. Leia os depoimentos de outros viajantes, anote as facilidades, compare, garanto que você não irá se arrepender.

Tirar fotos de si mesma faz você descobrir vários ângulos. Alguns legais :)

Tirar fotos de si mesma faz você descobrir vários ângulos. Alguns legais 🙂

– Essa dica é exclusiva para as mulheres: leve um pacote de absorventes de casa. Pode parecer bobagem, mas não é. Se seu destino é a Europa, o dito cujo é caríssimo. Além disso, em alguns países as farmácias (e outros setores do comércio) fecham na hora do almoço (é isso mesmo!) e você vai ficar na mão… A Reba falou um pouco sobre isso no post sobre a Índia.

– Eu nunca dei sorte com os tais pub crawls (rodízio de bares promovido por albergues normalmente)… Acho um programa forçado, sem graça e, no fim das contas, caro. Por isso, no quesito programa-para-fazer-amigos eu aconselho os walking tours, ou qualquer outro tipo de tour que te possibilite interagir com outros viajantes. Acho isso muito mais interessante do que beber com gente desconhecida… Foi num walking tour em Berlim que conheci um grupo de espanholas muito simpáticas; e em Munique fiz amizade com uma alemã que também viajava sozinha. E depois de muitas fotos e visitas a lugares incríveis, aí sim, resolvemos tomar uma cerveja…

É isso! Ah sim, se você tem mais alguma dica legal para viajar sozinha, conte pra nós aqui!

Versão deste post para impressão.

Personal Trip

About the Author

Pelo Brasil ou exterior. Sozinha ou acompanhada. O negócio é botar o pé na estrada. Tem coisa melhor?

5 Respostas para “ Se alguém perguntar por mim, diz que fui por aí… ”

  1. Gurias
    Fui sozinha para a Colombia (país super segura e povo acolhedor. Sem dúvida a melhor viagem da minha vida. Fiquei na capital – Bogotá e depois me fui à costa em Cartagena. Me aventurei num ônibus em que os locais me garantiram que seria apenas 3 horas de Cartagena a Santa Marta e que na verdade levou 7 horas. Depois voltei a Bogotá onde fiquei mais alguns dias. Conheci lugares e pessoas incríveis, que talvez não tivesse conhecido se estivesse acompanhada, pois há de se negociar tudo sempre. Um experiência ímpar. Sentimento de solidão? Jamais! Há tantas pessoas e lugares novos para conhecer. Recomendo.

  2. Oi Rosane,

    que bom que você gostou do blog e que nossas dicas estão sendo úteis! 🙂

    Primeiro de tudo, fique tranquila pois você escolheu países que estão mais que acostumados a receber turistas e têm uma boa estrutura para quem viaja sozinho. Sobre os translados, escolhendo avião ou trem (ambos são seguros), minha dica é sempre chegar de dia no seu destino. Como eu disse no post, eu acho mais seguro se você não conhece o lugar.

    Sobre roteiros mais específicos, precisamos saber para quais cidades você vai e quantos dias pretende ficar em cada uma para podermos ajudar. Escreva de novo dando essas informações!

    Um abraço,
    Isabella

  3. Essa será minha rimeira vez na euroa sozinha e pretendo fazer frança, italia e alemanha. Vc teria mais dicas precisas de roteiros pontos e acessos, mais baratos e seguros de uma cidade pra outra que possa me indicar.
    Desde ja adorei as dicas e viajo em julho.
    Abç.

  4. Minha viagem sozinha teve muitas roubadas. Mas conheci pessoas incríveis mesmo, não só em albergues mas nos meios de transporte também. Quando se vai para lugares mais roots é fácil reconhecer outro turista.

  5. Eu tb adoro viajar sozinha! Minha primeira viagem da vida, pra fora do Brasil, em 2007, foi sozinha, pra Argentina. Mudou minha vida! O melhor lugar pra conhecer gente, na minha opinião, é mesmo o albergue! Fiz muitos amigos que viajavam sozinhos tb e sempre tinha companhia pra sair, fosse em Buenos Aires ou lá nos confins de Ushuaia… acho que a Isa já falou o que tinha pra falar, tudo que vc precisa é um mapa (de repente um guia tb) e disposição pra bater perna e sair perguntando na rua as direções de tudo (eu sou MUITO perdida, sempre pergunto tudo). Minhas fotos de mim mesma com o braço esticado também são clássicas!

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>