• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Salvador, muito além do carnaval e trios elétricos

Elevador Lacerda, Mercado Modelo e Forte São Marcelo ao fundo

Com a apoximação do Carnaval, começa a corrida para reservar um lugar em um dos principais pólos de folia do Brasil: Salvador. Mas a cidade está longe de ser apenas a meca dos frequentadores de trios elétricos. A capital da Bahia é encantadora em qualquer época do ano, seja pelas belezas naturais, pelas reminiscências do nosso passado, ou pelo sotaque tranquilo de um povo simpático e acolhedor.

CHEGADA

A corrida de táxi do Aeroporto Internacional de Salvador até a cidade é das mais caras que já vi na vida. Em diferentes cooperativas, e até por taxímetro, sai de R$ 92,00 a 99,00. Existe um ônibus que faz esse percurso, mas como a cidade tem fama de insegura e estávamos com um laptop de trabalho, preferimos não arriscar. Optamos por alugar um caro na LocarAlpha, o estande com melhores preços no aeroporto. Pagamos R$ 99,00 por dia, com quilometragem livre e seguro. O preço equivalia ao do táxi, mas o ideal é alugar antecipadamente em lojas na cidade ou pela internet, porque o preço cai para cerca de R$ 60,00 a diária, também com quilometragem livre.

Baía de Todos os Santos vista do Solar do Unhão

TRANSPORTE

Segundo um amigo soteropolitano, a melhor forma de se locomover dentro de Salvador é de táxi ou carro alugado, já que a cidade é enorme e as praias mais distantes são as que valem mais a pena. Mas um serviço de ônibus turístico, estilo jardineira, é uma excelente opção para percorrer os principais pontos de interesse. O nome é Salvador Bus. Você paga a pulseira e sobe e desce do ônibus durante o trajeto, que inclui atrações como Rio Vermelho, Mercado Modelo, Dique do Tororó e Igreja do Bonfim.

HOSPEDAGEM

Ondina e Barra ainda são os melhores bairros para se hospedar, não só pela segurança, mas também pelos serviços disponíveis e facilidade de locomoção. O primeiro tem hotéis de mais alto padrão, enquanto que o segundo tem pousadas mais em conta. Da última vez, experimentei o Atlantic Towers, na Avenida Oceânica, em Ondina. O quarto era espaçoso e tinha uma cozinha ótima, que nos permitia ir ao supermercado e economizar no jantar. Ficamos bastante satisfeitos também com o café da manhã, incluso na diária.

Os mexilhões que comemos no Porto da Barra

É imprescindível experimentar a mais famosa iguaria baiana: o acarajé. Recomendo a porção de miniacarajés do tradicional restaurante Sorriso da Dadá, no Pelourinho. Os melhores que experimentei.

Quando parar para tirar fotos da paisagem no alto do Elevador Lacerda, não deixe de experimentar o sorvete da A Cubana. É uma sorveteria com décadas de tradição, que há anos opera no mesmo lugar, à saída do elevador.

Programa imperdível é tomar uma cerveja acompanhada de petiscos mexicanos no deque do Solar Café, no Solar do Unhão. Se for ao fim do dia, o por do sol deixará a vista ainda mais bonita.

O bairro Rio Vermelho é o que concentra a maior oferta de bares, restaurantes e agito noturno.

Para um jantar a dois, recomendo o Pereira, um restaurante na Avenida Sete de Setembro, no Porto da Barra, onde comemos mexilhões à provençal magníficos.

Caso estiquem até a Praia do Forte, recomendo o restaurante Sabor de Ogum, na principal rua do vilarejo, que tem um caldinho de sururu delicioso.

No Pelourinho

ALGUNS PASSEIOS OBRIGATÓRIOS

Praias, fortes, igrejas e museus de arte sacra são o que há de melhor em Salvador. O centro histórico, tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, concentra a maior parte das igrejas e centros culturais. Já o mar azul é sempre convidativo e fica especialmente bonito emoldurado pelas muretas brancas e ao lado de uma fortificação antiga.

Mercado Modelo – O mercado reúne a síntese do artesanato baiano. Impossível não sair cheia de sacolas.

Elevador Lacerda – O elevador é a melhor forma de subir até o Pelourinho, mas também é um excelente ponto para apreciar a vista da Baía de Todos os Santos.

Pelourinho – No caminho para o Pelô, aprecie as igrejas e prédios históricos. Depois, perca-se no sobe e desce das ruas de casas coloridas.

Solar do Unhão – Um dos lugares mais lindos que já visitei, a edificação do século XVII é hoje o Museu de Arte Moderna da Bahia. Os jardins foram transformados no Parque das Esculturas.

Farol da Barra – O Forte de Santo Antônio da Barra guarda em seu interior o farol mais famoso de Salvador, o Farol da Barra, além de um simpático museu náutico. Entrada a R$ 6,00.

A famosa Igreja do Bonfim

Igreja do Bonfim – O melhor lugar para fazer uma prece, amarrar a tradicional fitinha de Nosso Senhor do Bonfim no pulso e fazer os três desejos.

Lagoa do Abaeté – A lagoa é linda ao fim do dia, perfeita para um momento de contemplação.

Praia de Itapuã – Passar uma tarde em Itapuã está longe de ser um programa tranquilo, como sugere a música. O lugar foi tomado por barracas, ambulantes e banhistas. Melhor apenas dar uma passada pelo Farol de Itapuã e seguir para as Praias do Flamengo e Stella Mares, mais balneáveis hoje em dia.

PRAIA DO FORTE

A 53 Km de Salvador, a Praia do Forte tem águas cristalinas e piscinas de corais. Se estiver de carro alugado, vale a pena nem que seja só para passar o dia, como uma day trip. Mais detalhes em breve, aqui no As Viajantes.

Clique aqui para imprimir este post.

Personal Trip

About the Author

Nada de sombra e água fresca. Daniela gosta mesmo é de explorar o mundo, os países, as cidades por onde passa. Mal acabam as andanças das últimas férias e já começam os planos para o próximo destino.

Uma resposta para “ Salvador, muito além do carnaval e trios elétricos ”

  1. Isso do acarajé é verdade: NÃO há no nordeste igual ao de Salvador. E restaurantes bacanas como o da Dadá e um que acho que se chama Yemanjá, para quem está acostumado com os preços exorbitantes cobrados no Rio e em São Paulo, vale a pena. São top de linha e a preços beeem honestos. Num deles provei a caipirinha de manga, que, apesar de soar estranho, é uma delícia.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>