• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Pipa: pra relaxar e badalar, pertinho de Natal

Pipa é a Búzios de antigamente.” Foi isso que muitos cariocas me disseram quando eu disse que ia visitar a famosa vila de pescadores próximo a Natal. Bom, eu não conheço a Búzios de antigamente, mas se era mesmo igual a Pipa, devia ser uma delícia. Porque Pipa é mais um daqueles lugares que foi descoberto por surfistas, ficou famoso e passou a figurar nos roteiros turísticos.

Placa na chegada de Pipa

A placa avisa: você está chegando a Pipa

Mas, ao contrário de muitas outras histórias que começam assim, o turismo não acabou com o lugar. A cidade ainda se resume às praias e a rua do agito noturno, que concentra bares e restaurantes. Mas, diferentemente de muito balneários, não tem preços proibitivos.

PRAIA, PRAIA PRAIA – Pipa é para quem quer descansar deixando o tempo passar mas não quer abrir mão de certos confortos. Praia bacana? Pipa tem. Boa comida? Também. E para a turma mais jovem ou da noitada, a cidade ainda tem uma balada animada.

As praias de Pipa se dividem basicamente em Praia da Pipa (a do Centro), do Curral (que forma a Enseada dos Golfinhos, junto com a Praia do Madeiro) e do Amor. A Pipa é a mais ‘urbana’ das praias, onde você vai pagar para alugar cadeiras e guarda-sol e onde vai dividir a faixa de areia com excursões turísticas. Na maré baixa é possível ir caminhando de lá, pela areia, até o Curral, que não tem nenhuma estrutura para turista (ou não tinha, em abril de 2009). É lá que, se você der sorte, vai avistar golfinhos saltando na água.

Em Pipa, a praia do Curral

A Praia do Curral vista do mar

À Praia do Amor também é possível chegar a pé pela areia desde Pipa na maré baixa. Mas o legal mesmo é chegar de cima, curtir a vista do Chapadão e depois descer o escadão até a beira da água. Quem gosta de caminhar pode seguir mais adiante até a Praia das Minas, outra sem infraestrutura de turismo – e por isso quase deserta – mas que virou point de kitesurf.

PASSEIOS – Para fechar qualquer passeio, você pode pedir recomendação na sua pousada ou só dar uma volta na rua principal de Pipa. Um dos passeios mais oferecidos na região é de lancha para a Enseada dos Golfinhos – também é o menos necessário, se você se dispuser a caminhar.

Boa opção é o passeio de bugue que pode ir de Pipa até Sagi (na divisa com a Paraíba), mas que pode fazer um itinerário mais curto, até Sibaúma e Barra do Cunhaú, por exemplo. Mais exótico é o ‘tour’ de pau-de-arara, na verdade um jipão que faz o circuito Pipa – Tibau do Sul, passando por falésias, parando em piscinas naturais e fechando o dia com o por-do-sol em Guaraíras.

golfinhos em Pipa

Na Enseada dos Golfinhos, eles aparecem se você der sorte

Um outro passeio que muitos recomendam dura um dia inteiro a bordo de um barco com almoço a base de frutos do mar e várias paradas no meio do caminho. Começa pela Enseada dos Golfinhos e vai em direção à lagoa de Guaraíras, depois de Tibau do Sul. Como visitamos a cidade já no começo da baixa temporada, o barco que recomendaram estava parado para manutenção e não encontramos outro passeio do gênero. Em todos os casos, é bom confirmar se as refeições estão incluídas antes de fechar negócio.

CHEGANDO LÁ – Pipa fica a 85 km de Natal e 132 de João Pessoa. É o tipo de lugar que cabe muito bem num roteiro de carro pelo Nordeste. A cidade mais próxima à vila é Tibau do Sul, que fica 8 km mais para o Norte. Nós viemos de João Pessoa e seguimos pelo litoral, passando pelas praia de Baía Formosa e Barra do Cunhaú, onde tivemos que fazer uma travessia de balsa para seguir nosso caminho.

balsa em cunhaú

Travessia de balsa na Barra do Cunhaú

Uma opção interessante para quem vai de João Pessoa pode ser se programar para chegar cedo a Sibaúma e curtir o dia ali, mergulhando em suas piscinas naturais. Chegando cedo por Tibau do Sul, com o Madeiro ali no meio do caminho, vale parar e já curtir a praia, que tem acesso mais complicadinho.

AS TEMPORADAS – A alta e a baixa temporada definem bem a ‘vibe’ que se vai encontrar em Pipa. Por ser essencialmente turística, a vila vê muitos de seus bares fechados quando os turistas vão embora. Assim, quem visita a cidade entre maio e junho pode achá-la um pouco deserta demais.

A proximidade com Natal, aliás, faz de Pipa uma ótima opção para uma day trip. E a frequência de voos que ligam a capital do Rio Grande do Norte à Europa, também tem feito da cidade ponto de encontro de turistas europeus.

COMER E DORMIR – A alta frequência de turistas europeus faz com que Pipa tenha restaurantes bem razoáveis. Um dos mais concorridos, especialmente para almoço, é o Panela de Barro. Com bela vista da Praia da Pipa, o lugar oferece boa comida brasileira, em porções razoavelmente fartas – dividimos uma moqueca de camarão deliciosa. Quando cansamos de frutos do mar depois de mais de dez dias de peixes e afins no menu, optamos pelas massas da Trattoria da Francesco e não nos arrependemos.

praia do amor

A Praia do Amor vista do alto

A oferta de hospedagem em Pipa também é variadíssima, desde pousadas supersimples a pequenos hotéis no estilo boutique. A maioria dos mais sofisticados fica mais afastada do centro, mas há boas opções perto da Praia da Pipa. Eu fiquei na Pousada Marlins, que tinha estacionamento, piscina, bom café da manhã e um quarto cuja varanda dava de frente para a praia.

PARA NÃO SE ABORRECER – A Avenida Baía dos Golfinhos concentra os bares, restaurantes e lojas de Pipa e também o trânsito da cidade. Some-se a isso a falta de educação de motoristas que param seus carros ali, apesar de ser uma via estreita, e taí a oportunidade ideal para você se estressar na viagem.

Para evitar esse transtorno, duas dicas: primeiro, escolha uma pousada que tenha estacionamento; segundo, deixe seu carro parado ali e só pegue de volta para ir embora. Não só porque não faz muito sentido circular de carro pela cidade – e pagar flanelinhas ao estacioná-lo – mas porque o posto de gasolina mais próximo não é tão próximo assim, então é bom economizar combustível.

Siga As Viajantes no Twitter.

Quer imprimir este post? Clique aqui.

Personal Trip

About the Author

Flávia tem viagens planejadas para os próximos cinco anos, pelo menos. Só tem um porém: todas precisam de uma parada em Paris.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>