• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

O que ver e fazer na animada Córdoba, na Argentina

 

A Plaza San Martin, no centro histórico de Córdoba / Foto: WelcomeArgentina.com

A Plaza San Martin, no centro histórico de Córdoba / Foto: WelcomeArgentina.com

Córdoba fica no coração dos pampas argentinos, capital da província de mesmo nome. É a segunda maior cidade da Argentina, localizada a 700 km de Buenos Aires.  É bastante desenvolvida, com população jovem numerosa, muitos estudantes universitários. Parte deles estão matriculados na mais antiga universidade do país, a Universidade Nacional de Córdoba, fundada pelos jesuítas em 1613, segundo o santo Google. A informação parece irrelevante, mas é fundamental para entender dois aspectos do lugar: história e diversão. Graças à presença dos jovens, a cidade é salpicada por bares, restaurantes e vida noturna agitada. Já os jesuítas exerceram outro tipo de influência, sendo responsáveis por importantes monumentos históricos, ainda preservados.

Dois dias são suficientes para percorrer as principais atrações da cidade de Córdoba. O centro histórico concentra a maioria dos monumentos da época da colonização espanhola. Vale a pena passar um dia inteiro por lá, percorrendo os edifícios históricos. Deixe-se perder também pelas ruas para pedestres.

Descubra os encantos de Mendoza, não muito longe de Córdoba

O Colégio Nacional de Monserrat, construído pelos jesuítas / Foto: WelcomeArgentina.com

O Colégio Nacional de Monserrat, construído pelos jesuítas / Foto: WelcomeArgentina.com

Comece a visita na Plaza General San Martin, onde encontrará a Catedral de Córdoba, o Museu da Memória e o Centro Cultural Cabildo. Enquanto o Cabildo oferece extensa programação de concertos e sessões de cinema, o Museu da Memória, ou Museo de la Memoria, funciona em um antigo centro de detenção e tortura de presos políticos da ditadura militar argentina. Como o nome diz, o lugar conta a história do País nos anos da ditadura, além de fazer uma homenagem aos torturados e desaparecidos durante o regime.

Ainda no centro histórico, achei interessante o breve passeio pela Cripa Jesuítica, construída no século XVII e enterrada anos depois, quando a cidade se expandia. O lugar foi redescoberto em obras de expansão de cabos de telefonia, há duas décadas. Hoje abriga concertos de música sacra, mas apenas uma voltinha por esse passado enterrado já dá uma ideia de quanta história podemos ter escondida sob os nossos pés.

Perto dali, está também a principal atração do centro histórico, a chamada Manzana Jesuítica, considerada Patrimônio Histórico pela Unesco. O complexo de construções feitas pelos padres jesuítas inclui a Universidade Nacional de Córdoba, onde funciona o museu histórico e a biblioteca jesuítica, a Iglesia de la Compañía de Jesus, Capilla Doméstica e Colégio Nacional de Monserrat, outro lugar pitoresco, onde é possível conhecer instrumentos de ensino de outros tempos.

Se ainda tiver tempo, nos arredores estão também a Igreja de Santa Teresa e Convento das Carmelitas Descalças de São José, o Teatro del Libertador General San Martin, o Museu Municipal de Belas Artes Dr Genaro Pérez e Museu Histórico Provincial Marqués de Sobremonte.

O Paseo del Buen Pastor / Foto: WelcomeArgentina.com

O Paseo del Buen Pastor / Foto: WelcomeArgentina.com

Ainda perto do centro, fica o Paseo del Buen Pastor. O prédio histórico foi remodelado para abrigar um centro cultural, mas também há bons restaurantes no local. Os jardins ficam lotados de jovens estudantes, sentados na grama no fim da tarde. Aproveite para visitar a Igreja do Sagrado Coração de Jesus dos Capuchinhos, logo ao lado.

Outra atração é o Parque Sarmiento. Se quiser percorrer todo o parque é melhor que esteja de carro. Essa imensa área verde abriga edifícios governamentais e faculdades, mas há duas atrações principais, que são facilmente alcançáveis a pé: o jardim zoológico e o Museu de Artes Emilio Caraffa. Cheguei a explorar boa parte do lugar porque estava de carro, mas sugiro que se concentrem mesmo no trecho que vai da Plaza España ao zoológico.

Córdoba ainda fica perto de uma região serrana que oferece cidades pequenas e belas paisagens a explorar, além da prática de esportes radicais e passeios a cavalo. Você pode querer ainda se embrenhar pelos arredores à procura das demais seis Estancias Jesuíticas (além da Manzana Jesuítica), construídas pelos religiosos entre 1616 e 1725. Nesse caso, considere ficar pelo menos mais dois dias por lá.

O jardim zoológico, no Parque Sarmiento / Foto: WelcomeArgentina.com

O jardim zoológico, no Parque Sarmiento / Foto: WelcomeArgentina.com

Uma dica: se estiver de carro, certifique-se de reservar um hotel com estacionamento em Córdoba. Não é fácil estacionar pelas ruas, e a cidade também não é muito facilmente transitável. Na minha opinião, o melhor é hospedar-se mesmo perto do centro e explorar a cidade a pé.

A Gol tem voos diretos para Córdoba, partindo de São Paulo, ideais para quem prefere entrar no país vizinho logo pelo interior. Acho o destino especialmente atraente para quem pretende conjugá-lo com Mendoza. Os voos para Córdoba são bem mais baratos do que as tarifas cobradas para Mendoza, além da cidade também ficar à metade da distância que a capital Buenos Aires, tradicional porta de entrada para a Argentina. Enquanto é preciso percorrer cerca de 960 km de Buenos Aires a Mendoza, de Córdoba a Mendoza a distância cai a cerca de 460 km.

 

Personal Trip

About the Author

Nada de sombra e água fresca. Daniela gosta mesmo é de explorar o mundo, os países, as cidades por onde passa. Mal acabam as andanças das últimas férias e já começam os planos para o próximo destino.

Uma resposta para “ O que ver e fazer na animada Córdoba, na Argentina ”

  1. Oi, Dani. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie

    Boia Paulista

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>