• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

O que comer na Turquia

Kebab carpichado com pão e salada em Istambul

Posso dizer que a Turquia me conquistou pelo estômago. Sua culinária é variadíssima, rica em influências do Ocidente e Oriente, principalmente a remanescente do Império Otomano (que, por sua vez, tem traços da comida centro-asiática, do Oriente Médio e dos Bálcãs), sobretudo em Istambul, Izmir e na região banhada pelo Mar Egeu. No sudeste do país é onde estão os melhores kebabs e meze (veja abaixo), porém, quem pensa em ir apenas a Istambul e Capadócia pode encontrar facilmente esses pratos por lá também.

No litoral, é possível degustar refeições de influência mediterrânea (peixes e azeite de oliva estão muito presentes à mesa) e em várias partes do país o iogurte é ingrediente base para diferentes receitas. A gastronomia turca pode ser farta, sofisticada, condimentada e nunca entediante. Tanto que os brasileiros estão cada vez mais interessados no tema (OK, é culpa da novela, mas o que é bom é para ser divulgado, né?). Passear pelos pratos típicos do país é uma aventura que você deve (e adorará) vivenciar.

Veja aqui como montar seu roteiro pela Turquia

Istambul: primeiros passos

O que fazer na Capadócia

A Turquia é muito, muito mais do que o conhecido kebab, lanchinho que ajudou a tornar a comida turca célebre pelo mundo. Para começar, o kebab nem é exclusividade turca, sendo comida típica em vários países da Ásia Central. Mas, qualquer um que já deu umas voltas por grandes capitais europeias (e por grandes capitais brasileiras também) já deu de cara com uma barraquinha ou loja de kebab e, não raro, com turcos atrás do balcão.

Pide de queijo de cabra. Delícia.

Para quem nunca provou, o kebab, que pode ser de carne de vaca, frango e cordeiro ou tudo junto, é assado em um gigantesco espeto e, geralmente, servido com molhos (alguns picantes, outros não) e vegetais. O kebab pode resultar das lascas dessas carnes (a versão turca é conhecida como Adana kebabı ou kıyma kebabı), pode ser servido em espetinhos (comum na Grécia, onde se chama gyros) ou no pão pita (o famoso döner kebab). Há dezenas de maneiras de se servir kebab e existem países que o fazem até com carne de porco, animal incomum na dieta de países islâmicos que contam com kebab em sua tradição culinária.

Passado o tema kebab, lembramos que a Turquia é um desses países de grande maioria islâmica que não tem no porco um ingrediente frequente. Ou seja, se você é amante desse tipo de carne, pode esquecer. Em compensação, carne de vaca, carneiro, cordeiro, frango, peixes e frutos do mar são abundantes. E se você é vegetariano, pode comemorar. Os pratos com vegetais são inacreditáveis, com temperos e molhos deliciosos, feitos muita criatividade. Só com berinjela, por exemplo, existem centenas de receitas e até livros de culinária turca especializados nesse legume.

Se, como eu, você é doido por farinha, viciado em glúten e pães, pode comemorar também. Os pães e massas são deliciosos e os folheados, doces e salgados, também são muito comuns. Nesse sentido, recomendo fortemente provar o pide, que é conhecido como “pizza turca”, mas tem personalidade própria, com formato de canoa e recheios deliciosos, e o lahmacun, espécie de wrap aberto, normalmente servido com recheio de salada e/ou carne de kebab.

O çai (chá) servido no cruzeiro pelo Bósforo

Do café da manhã ao jantar 

café da manhã (incluído em quase todas as hospedagens, exija o seu) é outro tema bacana. O desjejum típico tem suco de cereja, chá, rodelas de pepino, tomate, queijo feta e bürek, espécie de massa folheada deliciosa. Outro artigo típico é o chá (çai, que se pronuncia “tchai”). Os turcos gostam de tomar uma espécie de chá preto, que impregna os bazares, lojas e ruas com seu aroma. O engraçado é que muitos dos comerciantes oferecem para os turistas um gostoso chá de maçã, que também é típico, mas é meio “pra gringo ver”, vendido como especialidade. Só que é praticamente impossível ver um turco tomando o tal chá de maçã (e variantes de outras frutas, como o chá de banana), eles gostam mesmo é do chá tradicional preto. Além do chá e do café (também muito popular), outra bebida comum é o ayran, feito com iogurte e água, que se toma bem gelado. E, se quiser arriscar, existe a Cola Turka, versão nacional da Coca-Cola.

Tanto para a hora do almoço quanto para o jantar, vale a pena investir no esquema dos meze, que são pequenos pratinhos servidos de uma vez. Em Istambul, a rua Nevizade Sokak, no bairro de Beyoğlu, é o melhor lugar para prová-los, pois está cheia de tavernas (meyhane) legais. Minha escolha lá foi o Boncuk (Nevizade Sokak, 19). No bairro histórico de Sultanahmet, gostamos do Doy-Doy (Şifa Hamami Sokak, 13), que tem vista para a Mesquita Azul.

Sortido de meze picante, em Göreme

Na Capadócia, fiquei em Göreme e a rua que concentra mais restaurantes e bares (é possível encontrar álcool na Turquia, diferentemente de outros países de maioria islâmica) é a Müzi Caddesi. Eu me apaixonei por essa pequena cidade e algumas das melhores lembranças que tenho são dessa rua, onde é possível comer os meze com vinho ou cerveja (curtimos a Efes, cerveja turca), fumar narguilé e ouvir música típica. Mas atenção: pegue leve nos meze muito condimentados. Eu, que estou bem acostumada com comida picante, passei mal no último dia depois de provar de tudo um pouco.

Que tal dormir em uma caverna na Capadócia?

Voo de balão: modo de usar

De doce típico sugiro a baklava (folheado de pistache com mel) e o lokum, espécie goma com recheio de frutas ou frutos secos, polvilhado com açúcar, que também existe na Grécia. No mercado Grand Bazaar, em Istambul, é onde se compra o lokum mais fresquinho. Aliás, o Grand Bazaar é parada obrigatória para gourmets, gulosos e amantes de fotografia, pela profusão de cores, sabores e aromas dos alimentos vendidos por lá.

Ainda em Istambul, o bairro artístico de Cihangir (ao sul da Praça Taksim, em direção ao Bósforo) tem se tornado algo como a versão turca do Marais, de Paris. A área é repleta de cafés movimentados, bares, restaurantes e lojas de comida e vinho.

Essa é apenas uma pequena (pequena mesmo) lista de pratos e petiscos básicos para provar. A culinária turca sempre reserva surpresas e certamente você terá alguma para contar aqui. Afyet Olsun (Bom apetite)!
Para ver mais fotos da Turquia, clique aqui
Personal Trip

About the Author

Depois de três anos morando na Europa, Clarissa foi multada ao voltar ao Brasil. Motivo: excesso de bagagem. Mas não se arrepende. Afinal, eram muitas histórias e dicas para trazer na mala e ela não queria deixar nenhuma para trás.

2 Respostas para “ O que comer na Turquia ”

  1. Bacana, obrigada, Márcia! Volte para a Capadócia mesmo, ela vale uma viagem inteira. Abraços!

  2. Clarissa adorei seu relato, completíssimo!
    Ano passado estive na Turquia e amei a culinária turca, cheia de tempeiros, azeitonas maravilhosas, realmente um espetáculo.
    Ainda quero voltar para conhecer a Capadócia.
    Abraços!

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>