• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Nova York: alguns tesouros da Big Apple

Nova York é daquelas cidades no mundo que você já chega com a sensação de que vai ter que um dia voltar. E depois que você volta, você tem a sensação de que precisa morar lá por um tempo. E quando você mora por um tempo, tem a impressão de que só passando a vida toda para conseguir aproveitar tudo que a Big Apple tem para te oferecer.

Nova York: uma cidade pra voltar

Para contar um alguns dos tesouros escondidos por lá, As Viajantes convocaram Gabi Lomba. Jornalista, tia de Fernanda e Marina, apaixonada pelo Rio de Janeiro (e ela consegue ser uma carioca à la novela de Manoel Carlos: corridinha na areia e mergulhinho no mar antes de seguir pro trabalho, corrida, surfe, patins, futevôlei – ou qualquer outro esporte que ela tenha encasquetado -, Maracanã e samba no fim de semana), louca por caipirinha e …. nova iorquinha de coração.

Gabi escolheu Nova York pra curá-la de uma ressaca que tinha tomado conta da sua vida. Voltou com a certeza de que precisava morar por lá. E no ano seguinte lá estava ela: aluna da New York Film Academy. Voltou ainda achando que a cidade precisa de mais tempo mas cheia de dicas pra dividir.

Grand Central Station – Eu passava por ali todo santo dia (e noite, e madrugada) e nem por isso o lugar perdeu o encanto. Além de ser lindíssima, a estação é incrivelmente eficaz.


Bryant Park e Biblioteca
– Uma das minhas áreas preferidas. Eu vira e mexe ia na biblioteca só para ler algum livro ou escrever algum texto para o curso que estava fazendo. Ela fica bem em frente ao Bryant Park. Gostava de sentar ali e ficar observando os prédios, principalmente o Grace Building que tem formato de “half pipe”.


Frick Collection, Guggenhein, Met e Upper East Sid
e – O upper east side é a área dos museus. Desses que eu citei, o primeiro não é muito conhecido, mas vale a visita. Era a casa de um milionário que, à beira da morte, pediu para que o lugar virasse um museu. Para comer uma besteirinha, recomendo o Cinema Cafe. Acho que fica na 60th street, perto da Madison.

Rockfeller e Moma São lugares lotados de turistas, mas que precisam ser visitados. Eu e o Rockfeller temos uma ligação especial. Foi o primeiro lugar aonde fui em 2008, quando estava destruída depois de uma separação. Lembro de, no último dia, ficar ali sentada, por quase uma hora, só observando as pessoas e as flores. Ali fica a sede da NBC. Custa caro, mas é um passeio bacana, principalmente para jornalistas. O Moma é meu museu preferido. Tem quadros famosos, cinema e, quase sempre, exposições temporárias imperdíveis.

Selva de pedra, literalmente


West and Greenwich Village
– Ali fica o Washington Square Garden – onde tem um arco similar ao de Paris. Lugar dos universitários e do Jazz. Em vez de ir ao caríssimo Blue Notes, recomendo o Café Wha? ou o Fat Cat. Tem o falafel do Mammo – é o número 1 em falafel, mas no esquema universitário: duas mesinhas pra comer e olhe lá, maior barulho. Pra se sentar e comer bonitinho, recomendo o Caffe del Mare. Durante o dia, uma boa pedida é comer no The Diner, bem em frente à Apple Store.


Park Avenue
– A rua mais Sex and the City. Não pelas lojas, mas pela sofisticação. Tem ótimos restaurantes. O mexicano Dos caminos, os franceses Barbounia e LExpress.

Union Square – Meu lugar preferido de NY, sem dúvidas. Ali você come bem, passeia, faz compras e, no meu caso, estuda. Se quiser uma comidinha saudável, uma ida ao mercado Whole Food vale a pena. Se quiser comer salada e falafel, a boa é o Maoz. A batata frita de lá também é um espetáculo. À noite, recomendo o Coffee Shop. O lounge, no subsolo, é interessante. Rola música, boa comida e até caipirinha. Para comprar posters de filmes de cinema, vá à Movie Star News, na 18th perto da sétima avenue.


Brooklyn bridge e Píer 17
– A ponte é um passeio bacana, desde que o tempo esteja bom. Do contrário, é melhor ir ao Píer 17, de onde é possível bater altas fotos. O pier tem altas lojinhas, entre elas a Abercrombie. Aliás, é bem melhor comprar ali, pois a loja da 5th avenue não tem liquidação. No Brooklyn, recomendo a pizzaria Grimaldi’s. É divina e tem um vistão para Manhattan.

Porque lá comer qualquer coisinha vira mesmo um programa

Brooklyn (night) – Fui diversas vezes ao Brooklyn à noite. Ali não é igual a Manhatan, onde há movimentação a qualquer hora. Mas, se você ficar pela área da Belford Avenue, não tem erro. O karaoke Tacu Tacu é divertido. Parece um inferninho. Fica no subsolo. Não esqueça de levar identidade. Não importa sua idade: não levou ID, não entra. Tem também o Bembe. Muito bom!

East Village e Thompkins park – Um parque bem new yorker mesmo que antigamente era muito frequentado por punks. Maior galera vai lá pra jogar bola, basquete, andar de skate. O ruim do East Village é que não há estações do metro por ali… mas a caminhada vale muito a pena.

East Broadway – fica pertinho de Chinatown, mas tem uns lugares legais. Um restaurante brasileiro chamado Petisco e, bem ao lado, um bar com sinuca e música ao vivo. Ficam na East Broadway, ao lado da estação do metro.

Soho – Moda e comida boa a dar de rodo. Andar pelo SoHo faz mal a qualquer cartão de crédito. Para comer uma massa ótima e barata, vá ao Il Corallo. Fica na Prince Street, entre a Thompson e a Sullivan. Se não gostar, pode puxar minha orelha na volta.

Mais Nova York aqui

Para imprimir este port, clique aqui

Siga AsViajantes no twitter

Personal Trip

About the Author

Destinos exóticos e desconhecidos. É em lugares assim que Reba prefere passar as férias. Isso deve ser uma desculpa para poder passar os outros 11 meses do ano planejando a viagem.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>