• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Inhotim: arte contemporânea e paisagismo em harmonia

 

30.04 Inhotim Galeria

Arte e botânica em perfeita sintonia

Quando li a notícia de que uma cidade próxima a Belo Horizonte havia ganho um museu de arte contemporânea a céu aberto, tive vontade de visitá-lo na mesma hora. O Instituto Cultural Inhotim foi aberto ao grande público em 2006, porém, a conjunção ideal de tempo+dinheiro para minha viagem só veio no último feriado da Semana Santa.

A espera valeu a pena. O Instituto idealizado pelo empresário Bernardo Paz é um programão para quem gosta de arte contemporânea, botânica, ou simplesmente para quem curte um passeio num parque arborizado e bem cuidado. O acervo artístico de Inhotim compreende cerca de 500 obras de mais de 100 artistas de 30 nacionalidades. E ele está sempre em transformação, recebendo novas obras. O foco é na arte contemporânea produzida a partir dos anos 60, com inúmeros trabalhos site-specific (quando o artista cria uma obra especificamente para um espaço). O visitante tem a oportunidade de passear por diferentes linguagens artísticas como escultura, instalação (as sonoras são de arrepiar), pintura, fotografia e vídeo.

30.04 Inhotim jardins

Os belos jardins guiam os caminhos dos visitantes

A verdade é que é impossível passar incólume às galerias e obras, várias delas embrenhadas na mata, perfeitamente em harmonia com todo aquele verde. Inhotim é uma experiência e tanto.

Como chegar

Inhotim fica em Brumadinho, uma cidade de 35 mil habitantes localizada a cerca de 50 km de Belo Horizonte. Para chegar lá, o melhor é alugar um carro no aeroporto de BH. Por três diárias pagamos cerca de R$ 250 (ou seja, vale ainda mais a pena se tiver mais gente viajando). O caminho até Brumadinho é bem fácil e a viagem dura uma hora, mais ou menos. Para quem não dirige, há a opção de ônibus intermunicipais: mas atenção ao horário do seu voo pois o primeiro ônibus sai de Brumadinho às 7h15 (você pode consultar informações sobre os ônibus que fazem o trajeto clicando aqui).

Inhotim fica a 5 km do Centro de Brumadinho, ou seja, também é melhor estar de carro para chegar lá. Eu não lembro de ter visto ônibus circulares na cidade, a alternativa ao carro seria chamar um táxi. Ou encarar a estrada de terra caminhando.

Chegando…

O ideal é reservar uma pousada em Brumadinho mesmo. A cidade é bem pequenina e a oferta de hotéis/pousadas não é muita, por isso, não espere encontrar muito luxo. Eu me hospedei na Pousada do Ninho, uma casa de três andares bem rústica adaptada para receber hóspedes. Os quartos são simples, porém confortáveis. O café da manhã, servido na sala da casa com extensão pra varanda (uma delicinha!), é bem servido, com todas aquelas gostosuras mineiras…

Uma dica: informe-se sobre a distância da sua pousada até Inhotim. Se o seu objetivo é exclusivamente visitar o Instituto, não há motivos para se hospedar muito longe dele, certo?

Em Inhotim!

30.04 Inhotim Oiticica

A clássica foto na obra de Hélio Oiticica. 🙂

O Instituto abre de terça à sexta-feira, das 9h30 às 16h30 (não funciona às segundas-feiras). Você pode comprar os ingressos lá mesmo ou pela internet (com opção de passaportes para mais de um dia). Para explorar sem pressa todos os caminhos e galerias de Inhotim, sugiro que você reserve ao menos dois dias para a visita – a área é muito grande e há muito o que ver!

Os trajetos podem ser feitos a pé ou alugando o serviço de “carrinhos de golfe” que chega aos pontos extremos do parque – eles custam R$ 20 por dia, mas pode ser uma boa pedida se você tem pouco tempo disponível.

A estrutura do parque chama a atenção: a equipe é formada por funcionários jovens, simpáticos e bem treinados. E eles estão por toda parte, seja dando informações sobre o caminho ou sobre as obras de arte.

Para comer, há três opções de restaurantes e outras tantas de lanchonetes espalhadas por toda a área do parque. Os restaurantes, além de boa comida, possuem ambientes superagradáveis e contemplativos – também servem como ótima parada para descanso. O Tamboril oferece bufê de culinária internacional e é a opção mais cara (e mais gostosa também). Mais em conta, o Oiticica tem uma vista deslumbrante – e uma mesa de sobremesas idem. E há ainda o Bar do Ganso, o mais moderninho entre eles, mas eu não cheguei a experimentar. Nas lanchonetes espalhadas pela área do Instituto encontra-se cachorro quente e pizza, além de cafés.

O único porém no que diz respeito à estrutura de Inhotim é a falta de caixas eletrônicos (não há nenhum dentro do parque, apenas em Brumadinho).

30.04 Inhotim galeria miguel rio branco

Galeria Miguel Rio Branco: imagens fortes

O que ver

É claro que isso vai depender do gosto de cada um, mas em se tratando de um local repleto de trabalhos de artistas mundialmente reconhecidos, algumas galerias acabam se tornando imperdíveis! Ou melhor, obrigatórias. Se você só tem um dia para visitar o Instituto, deixo aqui uma listinha com os “Top 10”: as galerias de Miguel Rio Branco; Lygia Pape; Adriana Varejão; Tunga; e a Galeria Mata. Entre os trabalhos, não deixe de visitar a instalação sonora Forty Part Motet, de Janet Cardiff; Folly, de Valeska Soares; Ahora jugulemos a desaparecer (II), de Carlos Garaicoa; a impressionante Beam Drop Inhotim, de Chris Burden; e a longínqua obra de Doug Aitken (a caminhada vale a pena). Todos os detalhes sobre artistas e obras estão disponíveis no site de Inhotim.

Calce sapatos confortáveis e aproveite o passeio!

Quer sugestões de outros roteiros em Minas Gerais? Clique aqui.

Personal Trip

About the Author

Pelo Brasil ou exterior. Sozinha ou acompanhada. O negócio é botar o pé na estrada. Tem coisa melhor?

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>