• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Galícia: coma, reze e ame

Catedral de Santiago, cartão-postal da Galícia

O livro ‘Comer, rezar, amar’, de Elizabeth Gilbert, novo best-seller mulherzinha da temporada (cuja adaptação cinematográfica traz como protagonista Julia Roberts), tem como cenário a Itália, a Índia e a Indonésia, mas bem que poderia se passar todinho na Galícia. Isso porque essa parte chuvosa, verde e encantadora do norte da Espanha pode proporcionar incríveis viagens gastronômicas, espirituais e amorosas. Não é garantido que você vá encontrar o amor da sua vida (como a moça do livro) por lá, mas, certamente, vai voltar apaixonado(a) por esta terra.

Leia mais sobre a Espanha aqui.

COMER

Pronta para comer uma cigala de entrada em um casamento galego

Por que a Galícia é bacana gastronomicamente? Não sei nem por onde começar. Podemos falar primeiro dos deliciosos vinhos brancos albariño e ribeiro. Eu não sou muito chegada a vinho branco, mas esses valem muito a pena, principalmente se tomados nas taciñas, fofíssimas taças de louça branca ou cor de barro que lembram potinhos de aperitivo. Ou da empanada gallega, que não tem nada a ver com o quitute argentino, e lembra mais o nosso empadão, só que com a massa mais fina (que dá um trabaaaalho pra fazer). Normalmente o recheio é de atum ou bonito (espécie de atum). Mas você encontra de outros sabores. Uma cerveja Estrella Galícia também vai bem para acompanhá-la, caso você não curta vinho.

Porém, a especialidade da região são os frutos-do-mar. Estamos falando de uma lugar banhado pelo frio mar Cantábrico e pelo Oceano Atlântico. Nessas águas se pescam cigalas (espécie de lagostim grandão), bogavantes (lembra uma lagosta, mas, além de ser mais caro, tem as patas e o rabo diferentes, além de uma cor acinzentada/azulada), centollos (king crab), vieiras (vêm numa conchinha, parecida com nossa casquinha de siri), o sensacional polbo á feira ou pulpo a la gallega (polvo com páprica e muito azeite de oliva) e, como não, camarões, lulas, lagostins e crustáceos que temos no Brasil. Peixe e carne também são deliciosos por lá, assim como o caldo gallego, que eu conheci com diferentes receitas, mas quase sempre é com legumes e verduras (pergunte o que leva o da casa se você é daqueles que têm restrições alimentares).

Polbo á feira e cerveja Estrella Galicia. Dois itens obrigatórios de degustação por lá

Se você ainda não se convenceu, a região também é famosa por seus queijos: o tetilla (que tem a forma de um peitinho) e o queixo de Arzúa têm uma casquinha levemente dura e são cremosos por dentro. Como está ao lado de Portugal, o costume de servir generosas porções também predomina. De sobremesa, recomendo provar a tarta de Santiago (torta de amêndoas) e o queijo com mel.

REZAR

Junto com Astúrias, comunidade autônoma vizinha, a Galícia é considerada uma das regiões mais místicas da Espanha. Tudo conjuga para manter o clima misterioso. As casas e igrejas de pedras, a chuva (o clima, a vegetação e a cultura lembram a Grã-Bretanha), as lendas… Há muitíssimas lendas, superstições e até rituais. Um dos mais famosos é a queimada, feita tradicionalmente na noite de São João.

Já participei de uma com umas colegas galegas da faculdade, no campus da Universidad Complutense de Madri. Consiste em colocar numa espécie de bacia de barro muito orujo (tipo de aguardente), grãos de café e limão e fazer uma espécie de prece, o arrepiante conxuro, para afastar os maus espíritos, ateando fogo na bacia para flambar tudo.

A galega Bárbara prepara a queimada na noite de São João

Em seguida, todos bebem o líquido, que, dizem, tem propriedades curativas. Era uma noite de tempestade elétrica (coisa raríssima em Madri) e teve gente que viu até mulher de branco desaparecer entre as árvores. Mas eu acho que a visão do menino em questão foi provocada por um excesso de orujo com cerveja. 🙂

A Galícia também é o ponto de chegada do Caminho de Santiago, já que a cidade de Santiago de Compostela, capital galega, é o objetivo dessa rota de peregrinação. Ou seja, atrai religiosos, espiritualistas e gente de diferentes crenças do mundo inteiro.

Leia mais sobre o Caminho de Santiago aqui.

O som das gaitas (que lembram as de foles da Escócia) está por toda parte, principalmente em Santiago (os gaiteros ficam nas esquinas tocando em troca de moedas, como os músicos das grandes cidades). Seu som nos transporta para outra época e outro lugar, completamente diferente dos clichês e ideias pré-concebidas que temos da Espanha.

AMAR

A escritora brasileira Nélida Piñón, descendente de galegos, uma vez me disse em uma entrevista que quando visitou pela primeira vez Vigo, principal cidade portuária da Galícia, sentiu uma das maiores emoções de sua vida. Ao chegar (era uma criança), foi abraçada com tanta efusão pela família espanhola que quase se sufocou. Os galegos têm fama de frios, de terem personalidade montanhesa (mesmo os que moram à beira do mar), mas quando amam, amam de verdade e para toda a vida. Nossos amigos galegos são alguns dos mais fiéis e carinhosos que tivemos na Espanha. O povo em geral é bem simpático com os turistas e sempre fomos muito bem tratados por lá ao descobrirem que somos brasileiros.

Bosque perto de Arzúa, na parte galega do Caminho de Santiago

Com um idioma próprio muito parecido com o português (quem só arranha um portunhol não terá problemas de comunicação), os galegos também são notórios emigrantes e se espalharam por toda a América (junto com os bascos e os catalães) em diversos momentos da História. A oleada mais recente foi depois da Guerra Civil Espanhola. Muitos deles foram pro Brasil, estabelecendo-se principalmente na Bahia e no Rio de Janeiro, mas também em outros Estados. Achei muito engraçado quando descobri que eles chamam qualquer versão da Virgem Maria de virxe (virgem em galego) e me lembrei imediatamente do nosso vixe maria! Será influência galega? 🙂

ROTEIROS

Um roteiro básico pela Galícia deve incluir as quatro cidades grandes (não espere nenhuma metrópole) da região. O nosso durou oito dias (média de dois dias para cada uma). É super fácil se locomover entre elas por trem (pela Renfe) e de ônibus, mas vale a pena alugar carro também, principalmente se for verão e se a sua intenção for ficar nas lindas praias das Rías Baixas (espécie de estuário de lá). Mas saiba que o mar é gélido e que o tempo é bem instável, inclusive no alto verão.

A Coruña vista da Torre de Hércules

Na primeira vez que fomos à Galícia ainda fazia frio e não rolou praia, mas mesmo assim foi delicioso. Começamos por A Coruña, balneário lindíssimo, com sua bela Praia de Riazor. Para ter as melhores vistas, suba na Torre de Hércules, que é de babar. Um passeio pela Ciudad Vieja, pelo Castillo de San Antón e por seu porto também são obrigatórios.

Em seguida fomos a Santiago de Compostela, que nos deixou enfeitiçados. Suas antigas ruas e casas de pedra se harmonizam perfeitamente com lojas e restaurantes modernos e elegantes. Vimos peregrinos por todas as partes, principalmente na área da Catedral do Apóstolo e da Praza do Obradoiro. Entrei na catedral (que é imensa) como turista e depois como peregrina e a emoção foi indescritível nos dois casos. Se você tiver vontade de fazer o Caminho, vale uma passada no Museo das Peregrinacións para conhecer a história dessa rota. Além disso, passeie pela Praza das Praterías, ao lado da Catedral, com sua fonte de cavalos. Somos viciados em um restaurante da cidade chamado La Bodeguilla de San Roque, que tem uns boliños de tenreira en prebe de espinaca (almôndegas no molho de espinafre) inesquecíveis. Santiago também é meca de barezinhos universitários, já que muitos espanhóis vão fazer o terceiro grau na cidade.  Recomendo o hostal Casa Felisa, que fica bem no centro e é confortável.

A parada seguinte foi Vigo, visitada em duas ocasiões: na primavera e no verão. Vale mais a pena ir a essa cidade na estação mais quente, porque o mais bacana é seu entorno praiano. Vigo é portuária, portanto, não é bonita à primeira vista, apesar de ter pontos legais como seu próprio porto e seu Casco Vello (parte antiga). Pode ser uma boa base para visitar as praias legais das Rías Baixas, como as da cidade de Baiona. Um passeio espetacular é pegar um barco até as Illas Cíes.

Entrada para a paradisíaca Figueiras, uma das praias nudistas mais lindas da Espanha (Illas Cíes)

O jornal The Guardian escolheu a Praia de Rodas, que fica nesse pequeno arquipélago, como a mais bonita do mundo em 2007. É realmente muito linda, com areia branca fininha e água cristalina. Mas a minha favorita das Cíes é a praia de Figueiras, onde se pode praticar o naturismo. Se quiser dormir nas ilhas (há um camping), é preciso pedir autorização com antecedência. Veja como chegar até lá de barco e mais detalhes do camping neste site.

Vigo também pode ser uma boa base para fazer uma day trip até a simpática Pontevedra, nossa quarta cidade visitada. Por lá, vale uma passada no Santuario da Virxe Peregrina, na Praza da Ferrería e na Igrexa de San Francisco, que, dizem, foi fundada pelo próprio santo hippie em sua passagem pelo Caminho de Santiago.Ourense e Lugo são outras duas cidades muito visitadas da Galícia, mas, infelizmente, não as conhecemos ainda. Nelas você vai encontrar também igrejas e ruas de pedra, muralhas e, claro, como eu disse no início, muita gastronomia, misticismo e amor, porque é disso que é feita a Galícia.

Este link oferece opções de hospedagem na região.

Imprima este post aqui.

Siga As Viajantes no Twitter.

Personal Trip

About the Author

Depois de três anos morando na Europa, Clarissa foi multada ao voltar ao Brasil. Motivo: excesso de bagagem. Mas não se arrepende. Afinal, eram muitas histórias e dicas para trazer na mala e ela não queria deixar nenhuma para trás.

11 Respostas para “ Galícia: coma, reze e ame ”

  1. Bárbara, querida, que bom que tenho a aprovação de uma galega! Por onde andas? Beijo grande!

  2. Clarissa! Não acredito que demorei tres anos para ler este texto seu tão maravilhoso sobre “a miña terra” e que…estou eu por aí!Hahaha! Que lindas lembranzas! E que boas dicas! Adorei, viu? Parabens pelo seu trabalho! E como dizemos na Galiza, “moitos bicos, miña rula!”

  3. Que delícia, Stella, aproveite muito! Tenho certeza que você vai amar. Boa viagem!

  4. Olá – vou pela 1a vez para Galicia agora em Junho – adorei suas dicas, me encantaram – darei meu relato depois!
    Vou atrás de meus ancestrais Casal Derrey, de Pontevedra. Sou Paulistana, morei 12 anos na França mas nunca fui para a Galicia.Estou curiosa!

  5. Fátima, não sei você se casou com seu galego ou pensa em se casar, mas o casamento que fui lá foi um dos mais animados que já fui na vida. Os caras sabem fazer festa, hehehehe. Aproveite muito. Abraços!

  6. belissima a galicia espanhola,comer,rezar e amar e muito facil,pois conheci um espanhol desse lugar lindo e me apaixinei perdidamente,foi o homem mais gentil que conheci ate agora…sou cARIOCA ,MAS DANÇARIA COM CASTANHOLAS SE FOR PRECISO PARA AGRADA-LO. BEIJOS.

  7. sou carioca,mas me apaixonei por um galego lindo e mui gentile e moiamoroso,mas ao que me parece comer,amar rezar moi facil nesse lugar tao belo como o e a galiia espanhola.beijos eame muito…

  8. Em setembro pretendo ir à Galícia, tenho irmãos e sobrinhos por parte de pai que vivem lá, irei conhecê-los pessoalmente, pois só os conheço por fotos e email. Gostei muito das dicas sobre a Galícia, mas não consegui nenhuma agência que tenha pacote direto p/ Galícia.

  9. Oi, Juliana. Às vezes os espanhóis dão mesmo essa impressão de grosseirões, mas, se você reparar, eles também são assim entre eles. Ou seja, não é nada pessoal com a gente. De qualquer maneira, acho que depois de passar uns anos aqui me dei conta que eles são como qualquer povo, há gente legal e amável e gente chata e grossa em todas as cidades. Agora, eles são bem mais diretos que a gente, falam tudo na cara e isso assusta. Mas já me acostumei. Espero que você goste da Galícia, lá eu realmente achei as pessoas muito bacanas. Um beijo.

  10. Morando na Espanha já estive em algumas cidades daqui e ñ foram boas experiências(povo sujo, mal-educado e arrogante). A Galicia é minha esperança de desfazer essa péssima impressao que criei desse país, mt bom esse post. Estudo aqui e meu marido também, mas nossa vontade é de que o tempo voe e logo possamos voltar para nosso amado país, Brasiiiilll. Abraços!

  11. Como galega que son, emocioneime lendo o texto, sobre todo esa parte na que fala do noso xeito de ser. Moi bon, gustoume.Noraboa

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>