• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Está no Rio? Visite o MAR #ficaadica

27.03 Museu de Arte do Rio MAR

O novo e o antigo juntos na arquitetura do novo museu

O título deste post pode causar alguma confusão. É intencional. Claro que quem está de passagem pelo Rio de Janeiro vai visitar o mar… Mas eu estou falando do Museu de Arte do Rio (MAR), recém-inaugurado na Praça Mauá, região portuária da cidade, e que tem tudo para ser um pouco a cara da cidade também, assim como o belo litoral.

Depois de uma inauguração badalada, estive lá recentemente com uma amiga portuguesa e deu alegria ver a quantidade de público em plena quinta-feira. Turistas estrangeiros, brasileiros e alguns cariocas (tipo eu, que aproveitei uma folga pra conhecer a tão falada novidade). E vou dizer… Deu orgulho! Ainda do lado de fora, impressiona o contraste e ao mesmo tempo a combinação arquitetura dos dois prédios que formam o museu. São duas construções completamente diferentes entre si: o Palacete Dom João VI, tombado, e um moderno prédio vizinho, construído no lugar de um antigo terminal rodoviário. Para ligar os dois, um teto lindíssimo que remete ao movimento de uma onda e que, não à toa, já virou marca registrada do MAR.

Vamos ao tour. No térreo ficam a bilheteria – a entrada custa honestos R$ 8, sendo gratuita às terças-feiras – a lojinha do museu – que vende objetos de design com motivos cariocas – e o café. De ingresso na mão, a visita começa direto pelo terraço, no sexto andar. Todos os visitantes saem do elevador e dão de cara com a vista da Baía de Guanabara e a Ponte Rio-Niterói. Uma ótima sacada do museu, que já ganha a simpatia do visitante com aquele visual.

27.03 Museu de Arte do Rio exposição

A obra ‘Morrinho’ chama a atenção do público

A sinalização também é um ponto positivo do MAR: do último até o primeiro andar, você é guiado facilmente pelas exposições sem perder nada se seguir direitinho as indicações. Atualmente, há quatro exposições em cartaz: Rio de Imagens – Uma Paisagem em Construção; O Colecionador – arte brasileira e internacional na Coleção Boghici; Vontade Construtiva na Coleção Fadel e O abrigo e o terreno – arte e sociedade no Brasil (1). Cada uma a seu estilo, as quatro prestam uma bela homenagem aos vários ‘Rios de Janeiro’ possíveis. Passeando pelo MAR, o visitante cruza com peças de Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall, Tomie Othake, Ernesto Neto, Adriana Varejão, entre muitos outros nomes da arte nacional e internacional. Saiba mais sobre as quatro exposições clicando aqui.

Enquanto as obras de revitalização na região portuária estiverem acontecendo, a região do entorno do MAR está um verdadeiro caos, então, o chegar e sair está um pouco confuso, especialmente para quem não é da cidade. Os ônibus não estão passando exatamente perto e a estação mais próxima do metrô também é distante. Mas nada dramático, apenas é bom se informar direitinho. Ah, sim! O museu conta com bicicletário (aliás, um passeio de bike até lá já está nos meus planos!)

Visita terminada, fiquei com a sensação de que preciso voltar para rever com calma duas das quatro exposições, pois fiquei cansada antes do fim… Minha amiga portuguesa – carioca de coração – saiu com sensação parecida. E com um veredito que deixa me deixou ainda mais orgulhosa: o MAR não está devendo a nenhum museu europeu. Torcemos para que continue assim. Ponto pro Rio!

27.03 Museu de Arte do Rio MAR galeria

Galerias cheias em plena quinta-feira

Personal Trip

About the Author

Pelo Brasil ou exterior. Sozinha ou acompanhada. O negócio é botar o pé na estrada. Tem coisa melhor?

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>