• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Dez perguntas de primeira viagem

O começo de tudo: o passaporte!

Em junho de 2009, quando resolvemos criar o blog, a primeira coisa que veio à cabeça foi ter um espaço em que pudéssemos contar nossas aventuras mundo afora, dividir experiências, alertar para as furadas etc. Depois de publicar um montão de roteiros, nós percebemos que faltava falar mais a fundo de um momento importante (e às vezes até estressante) pra todo viajante: o planejamento da viagem!

Aproveitando as dúvidas da amiga Vivi Queiroga, que está indo para a Europa pela primeira vez em julho, selecionamos 10 perguntas de quem está saindo do país pela primeira vez. Se você sentiu falta de alguma questão importante, fale com a gente!

1. Como faço para tirar meu passaporte?

O procedimento agora é bem simples. O primeiro passo é preencher a solicitação do documento e agendar o horário de atendimento no site da Polícia Federal (o procedimento é o mesmo para renovação). O cadastro vai gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU), que deverá ser paga respeitando a data de vencimento. No dia marcado, você comparece ao posto da PF que você indicou com todos os documentos necessários. O passaporte é entregue alguns dias depois.

2. Que países exigem visto de turistas brasileiros?

Muitos países já não fazem mais essa exigência, como por exemplo, todos os da América do Sul e da Europa (a partir de 7 de junho, a Rússia deixará de cobrar visto do Brasil para viagens com duração de até 90 dias).  O mais problemático e chato continua sendo os EUA. O ideal é se informar diretamente no Consulado de cada país. Vale lembrar que é possível viajar para países integrantes do Mercosul apenas com a  carteira de identidade, desde que ela seja recente e dentro do prazo de validade (mas atenção, isso não vale para a carteira de motorista!).

3. O que levar na bolsa de mão?

Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, as medidas de segurança ficaram mais rígidas com relação ao que se leva dentro da cabine do avião. Muita coisa ficou proibida como objetos cortantes (tesoura, alicate). Também não é permitido levar produtos líquidos com mais de 100ml, inclusive gel, pasta, creme ou aerossol. A exceção é para as compras que você faz no free shop. Se o seu voo for longo, aconselhamos a levar um par de meias mais grossas e chinelos (pra você poder ir ao banheiro sem ter que ficar se calçando a todo o tempo), protetor labial, escova e pasta de dente pequenas (algumas companhias aéreas dão um kit, mas é melhor não confiar) e algo para passar o tempo (livro, palavra-cruzada etc). Ah, é bom levar uma muda de roupa para o caso de sua mala ser extraviada.

4. Que tipo de compras eu preciso declarar ao voltar de viagem?

A não ser que você vá comprar muitos equipamentos eletrônicos (ou muito caros), não é preciso declarar nada. Tire das caixas e arrume tudo na mala, guardando as notas, é claro! Se achar que está comprando muitas roupas, tire as etiquetas. 🙂

5. Mochila ou mala de rodinha?

Esse é um debate que divide a gente aqui no blog e que rende um outro post. Se você vai se deslocar muito com sua bagagem e andar muito de metrô ou ônibus, é melhor a mochila. Mas escolha uma proporcional ao seu tamanho ou não conseguirá carregá-la. Mesmo. Se sua viagem é mais tranquila, sem grandes deslocamentos, opte pela mala sem medo. Os defensores da mala dizem que o melhor modelo é aquele com quatro rodinhas. E lembre-se, você não precisa levar todo o seu guarda-roupa para viajar (veja aqui nossas dicas de como arrumar sua mala).

Minha mochila vermelha em meio a malas em uma viagem de trem. O que é melhor?

6. Minha bagagem foi extraviada durante o voo. E agora?

Uma das coisas mais chatas que pode acontecer na sua viagem. A primeira atitude é avisar a companhia aérea. De acordo com a Convenção de Varsóvia, a empresa é obrigada a pagar U$20 por quilo de bagagem perdida. E ao ser encontrada, ela é entregue onde o passageiro estiver.

7. É preciso fazer um seguro viagem?

Sim. Além de ser uma tranquilidade a mais caso você adoeça ou sofra um acidente, há muitos países em que você não entra sem ele. Se o seu destino é algum lugar na América do Sul, consulte seu plano de saúde pois alguns fazem a cobertura. Também há alguns cartões de crédito que revertem os pontos em seguro viagem, veja se é o seu caso. Mas se você não se encaixa em nenhum deles, as próprias companhias oferecem opções quando você vai comprar a passagem. Assim como quando se escolhe um plano de saúde, o importante é checar se o seguro cobre todos os lugares por onde você passará e quais são os serviços incluídos.

8. É preciso tomar vacinas para sair do Brasil?

Depende. Alguns países exigem vacinação contra febre amarela. Para se certificar, veja a lista no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

9. É preciso viajar com algum documento além do passaporte?

O passaporte é o único documento válido fora do Brasil, mas é bom ter com você alguma outra identificação com foto caso seu passaporte seja roubado ou você o perca. Se você é estudante, leve sua carteira, ela dará vários descontos em museus. O mesmo serve para carteira de jornalista (algumas outras profissões ligadas à arte também têm esse benefício). Também não esqueça de levar todas as reservas de hoteis/albergues e outras possíveis passagens.

10. Dinheiro, traveler cheque ou cartão?

Se você vai para a Europa, é preciso ter uma boa quantia em dinheiro para apresentar na imigração. O montante exigido vai depender do tempo que você vai ficar e dos países por onde vai passar. É bom se informar direto no site do Consulado do país onde você fará a imigração para não ter nenhuma surpresa quando chegar lá. Os travelers cheques são uma boa opção pois não têm data de validade, porém você paga uma taxa ao usá-los. Atualmente, os mais usados são os cartões de débito. A Visa tem o Visa Travel Money (VTM), que é um cartão internacional com o qual você pode sacar dinheiro em caixas eletrônicos pelo mundo e fazer pagamentos na moeda local via Visa Eletron. Você também paga uma taxa para cada saque.

Versão deste post para impressão.

Personal Trip

About the Author

Pelo Brasil ou exterior. Sozinha ou acompanhada. O negócio é botar o pé na estrada. Tem coisa melhor?

3 Respostas para “ Dez perguntas de primeira viagem ”

  1. […] Veja também: “Dez perguntas de primeira viagem”. […]

  2. […] Claro que essas são contas de uma viagem sem luxo, mas também não é nenhuma proposta de perrengue. E aí, se animou a começar a planejar? Então confira 10 dicas para o ‘viajante de primeira viagem‘. […]

  3. Além do passaporte e das carteiras de estudante e tal, vale a pena levar a de motorista do Brasil, caso você queira alugar um carro. Na UE, por exemplo, você pode conduzir por até três meses, ou seja, se ficar por lá por um tempo inferior a este, nao vale a pena tirar a de motorista internacional.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>