• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Curso de culinária na Tailândia #ficaadica

 

Ingredientes separados no mercado: primeiro passo da aula de culinária thai

Ingredientes separados no mercado: primeiro passo da aula de culinária thai

A primeira vez em que ouvi falar de cursos de culinária na Tailândia foi há dez anos, conversando com uma amiga de uma amiga numa viagem a São Paulo. Na época achei aquilo super exótico e diferente (até porque eu nem sabia cozinhar ainda). Mal imaginava que fazer aulinhas de culinária na Tailândia é um programa super comum, praticamente obrigatório para quem visita o país e é fã de sua variadíssima gastronomia. E é claro que a gente fez.

Veja aqui como planejar sua viagem pela Tailândia

Para começar, não é exatamente um curso. Ou melhor, até existem cursos mais profundos, mas o que a grande maioria dos turistas faz mesmo é uma espécie de workshop de um dia. Foi o meu caso – mais por falta de tempo do que de vontade, já que eu passaria até uma semana só cozinhando, se pudesse.

Neozelandesa curiosa com o cogumelo-orelha, muito usado em pratos vegetarianos

Neozelandesa curiosa com o cogumelo-orelha, muito usado em pratos vegetarianos

É PARA INICIANTES OU INICIADOS?

Se você tem mais intimidade com garfo e faca do que com o fogão, deve estar se perguntando se é preciso saber cozinhar para fazer a aula. Eu diria que seria uma boa. Porém, na minha turma, havia mãe e filha neozelandesas fazendo juntas e a menina nitidamente estava cozinhando pela primeira vez. Também havia uma senhora argentina que se enrolou bem, mas acabou conseguindo. Ou seja, não é obrigatório manejar bem as panelas, já que a aula é mais um passo a passo e o professor fica de olho em todo mundo. E se você conhece um pouco da culinária thai (recomendo provar várias vezes os pratos típicos antes de fazer o curso), já terá facilidade. Você não estará no Hell’s Kitchen, então, não se preocupe, ninguém vai eliminar o aluno que fizer besteira. Vá com a ideia de se divertir porque a intenção é essa.

POSSO COMER NO FINAL?

Claro que sim, é a melhor parte! Além de ter almoço ou jantar garantido no dia da aula, você leva também uma apostila/livro de receitas para casa que ensina o que você cozinhou e outros pratos mais.

Assistente mostra a diferença entre duas espécies de gengibre

Assistente mostra a diferença entre duas espécies de gengibre

ONDE FAZER?

Onde fazer a aula? Há cursos de culinária em todas as grandes cidades tailandesas. Eu fiz a minha em Chiang Mai, que fica no norte, parte do país conhecida por sua gastronomia mais elaborada. Porém, isso não fez muita diferença, já que minha turma escolheu fazer pratos nacionais e nada tão específico.

Que cidades visitar na Tailândia? Veja aqui algumas sugestões 

Escolher a escola de culinária não é muito complicado. Em Chiang Mai, há uma alta concentração delas. A minha se chamava Asia Scenic, mas por lá você pode pedir uma indicação no seu hotel, albergue ou guesthouse (normalmente eles arrumam descontos). Nessa cidade, também são famosas a Baan Thai e a Chiang Mai Thai Cookery School (essa pertence a Sompon Nabnian, chef famoso e apresentador de TV tailandês). Em Bangkok, dei uma pesquisada e achei a Baipai Thai Cooking School e a Silom. Em Phi Phi vi muita propaganda da Pum Cooking School, que também é restaurante e existe em outras cidades da Tailândia. Porém, vale pedir o aval do lugar onde você vai se hospedar, já que eles podem ter muitas outras para sugerir.

COMO É A AULA?

Só vi aulas em inglês, nenhuma em espanhol ou outro idioma comum. É preciso ter um nível razoável (ou ir com alguém que o tenha, para traduzir para você), já que há bastante vocabulário específico de culinária. Pode ser uma aula que dure meio dia (cerca de quatro horas), começando de manhã (para cozinhar o almoço) ou por volta das 17h (e aí você janta lá) ou de um dia inteiro (seis horas).

Normalmente começa com uma visita ao mercado local ou fazenda, para conhecer os ingredientes. E aí é uma delícia, pois você descobre que os tailandeses usam três tipos de manjericão, por exemplo. Ou que cultivam alguns cogumelos em um armário fechado, na vertical. E que há quase uma dezena de variedades de arroz, cada uma para um prato diferente. Sem falar nas pimentas e suas combinações para os curries. Enfim, uma festa para quem curte comer.

Eu dando um duro danado para transformar uns dez ingredientes diferentes em uma pasta de curry

Eu dando um duro danado para transformar uns dez ingredientes diferentes em uma pasta de curry

Antes de começar a cozinhar, a turma decide o que quer fazer e precisa chegar a um acordo em relação a que tipo de pratos fará. No nosso caso, deveríamos escolher três categorias entre entradas, thai fast food, stir fried (o que chamamos de prato wok por aqui), sopa, curry ou sobremesa. Escolhemos fazer sopa, thai fast food e curry. Dentro dessas categorias, há três ou quatro opções e aí cada um escolhe o que quiser, individualmente.

No meu caso, encarei um pad thai (considerado thai fast food), um dos pratos típicos mais famosos da Tailândia; uma sopa Tom Yum e um curry vermelho. Lembrando que você aprende não apenas a fazer o ingrediente curry (socar pimenta e outros condimentos em um pilão), mas também a elaborar um prato com ele (usando alguma proteína, como frango ou tofu, leite de coco e outros ingredientes). O professor faz o passo a passo e os alunos observam já devidamente paramentados – cada um tem um fogãozinho, com panela, acessórios e ingredientes próprios.

Não se preocupe se não memorizar a ordem de tudo. Na hora de fazer (todos fazem juntos, é bem divertido), o cozinheiro vai avisando a hora de colocar o quê. E, no fim, só você come seu prato, ou seja, se ficar ruim, dá até para disfarçar, hehe. Importante: o professor pergunta qual é sua preferência no grau de picante (mild, medium, hot) e, acredite, não vale pedir o máximo, mesmo que você, como eu, ame ficar com a boca anestesiada e não se importe em suar muito ao comer pimenta. Os caras não brincam nesse quesito, é forte mesmo.

QUANTO CUSTA?

Nós pagamos 600 bahts (cerca de R$ 40) por pessoa para a aula de quatro horas. Para ficar o dia inteiro, pode custar a partir de 1000 bahts (algo como R$ 67). Uma pechincha para os atuais padrões brasileiros, ainda mais se pensarmos que inclui sua refeição.

Ficou com água na boca? Então aguarde, pois em breve postaremos mais textos sobre a comida da Tailândia.

Sua viagem inclui o Camboja? Programe-se aqui.

Personal Trip

About the Author

Depois de três anos morando na Europa, Clarissa foi multada ao voltar ao Brasil. Motivo: excesso de bagagem. Mas não se arrepende. Afinal, eram muitas histórias e dicas para trazer na mala e ela não queria deixar nenhuma para trás.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>