• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Como montar um roteiro de viagem pela Turquia

Skyline de Istambul

Uma das muitas mesquitas de Istambul vista do Bósforo

Quem mora em um país de dimensões continentais como o Brasil pode recair facilmente na arrogância de achar que, em outros territórios, todas as distâncias são pequenas. Na hora de planejar uma viagem, porém, outros fatores podem fazer poucos quilômetros demorarem tempo demais para serem percorridos. Num país como a Turquia, em que o volume de atrações é muito maior do que podem comportar nossos tradicionais 30 dias de férias, recair nesse erro é fácil. Reunimos, então, algumas dicas que podem ajudar o viajante a explorar melhor esse país tão árabe e tão europeu ao mesmo tempo.

. Istambul – É a cidade mais conhecida do país, embora não seja a capital (essa é Ankara). Cortada pelo Estreito do Bósforo e entreligada por diversas pontes, Istambul tem seu horizonte pontilhado por centenas de minaretes das muitas mesquitas que se espalham por seu lado europeu. Se você vai à Turquia numa viagem de até cinco dias, não tenha dúvidas: é Istambul que você deve conhecer. Descubra neste post por que.

Paisagens lunares na Capadócia, Vale das Fadas

Vale das Fadas, Capadócia

. Capadócia – Provavelmente o segundo lugar mais conhecido da Turquia, a Capadócia é mais famosa entre os brasileiros como o berço de São Jorge. As referências ao Santo Guerreiro por lá são praticamente nulas. Em compensação, não faltam paisagens lunares, cidades subterrâneas e casas encravadas nas pedras (as antigas moradas dos trogloditas) para fazer valer a viagem. A cereja do bolo é o voo de balão (vai por mim e lê aqui se você tem dúvidas de que esse passeio é incrível). Para explorar a Capadócia três dias são o mínimo, quatro chegam próximo ao ideal e cinco te dão a chance de descansar e não apenas correr de um passeio a outro. Aqui tem post para você saber mais sobre a Capadócia e a viajante Clarissa conta aqui como é dormir num hotel-caverna.

Biblioteca de Celsius, Éfesus

Biblioteca de Celsius, Éfesus

. Éfesus – É a cidade clássica mais bem conservada da região do mediterrâneo. Sabe o que isso quer dizer na prática? Que, sim, as ruínas de Éfesus estão bem mais inteiras que as tão faladas ruínas gregas. Éfesus é um parque histórico, fechado. Portanto, é passeio de um dia – cansativo, vale dizer. Fica bem pertinho de Selçuk, uma cidade pequena onde os cidadãos mais velhos ainda estranham ver as bermudas das turistas (estamos num país de forte presença muçulmana, não se esqueça) e talvez por isso mesmo valha o passeio. Ah, e também porque você pode visitar as ruínas da Igreja de São Pedro (o lugar onde ele morou após a morte de Cristo), esticar para Sirinçe (se sua vibe for a serra e um jantarzinho embaixo das oliveiras) e começar uma tímida exploração do litoral turco. Para Selçuk reserve pelo menos dois dias e tenha um carro a seu dispor. Selçuk também pode ser base para os aventureiros que quiserem conhecer a Dilek Península, um enorme parque natural turco, com praia, trilhas para trekking e mountain bike, observação de pássaros…

Dilek Península: reserva natural na Turquia

Dilek Península: reserva natural na Turquia

. Pamukkale – São as travertines – uma sequência de piscinas termais de solo branco e água cristalina – que fazem a fama da cidade. O lado ruim é que Pamukkale fica meio fora de mão, tipo a mais de quatro horas de carro de qualquer cidade relevante mais próxima, sabe? Isso e a fama de que as piscinas não são mais o que a gente vê nas fotos do Google me fizeram desistir dessa esticada. Meu anfitrião em Istambul, porém, garantiu que as travertines foram recuperadas e que eu perdi um belo passeio. Quem sabe na próxima.

. Litoral Egeu – Dá para separar em norte e sul esse litoral compartilhado com a Grécia. Ao sul do Egeu ficam algumas das praias mais disputadas pelos turistas europeus, como Bodrum. Dominada por resorts, há quem diga que no verão elas ficam insuportavelmente cheias. Mas se seu negócio é gente-bonita-e-azaração provavelmente é esse o seu destino. Eu fui para o norte, usando Çesme como base. A cidade em si tem um quê de pré-fabricada, já que a população flutuante (maioria) é de donos de barcos usando a marina como porto. Dali deu para explorar as lindíssimas Altinkum (bem reservada num início de setembro) e Alaçati (dominada por resorts, com um curto trecho público, mas de águas caribenhas). Ah, também deu para esticar um dia na ilha grega de Chios (você pode ver aqui como foi).

Alaçati: mar cor de Caribe

Alaçati: mar cor de Caribe

. Litoral MediterrâneoOludeniz e Kas. Clica nesses links depois volta para ler esse texto. Só assim você vai entender minha frustração ao constatar que não, não dava para conhecer a Mesquita AZul em Istambul, voar de balão na Capadócia, explorar Éfesus e ainda conhecer esse litoral tão ao sul do país em apenas 15 dias. É por causa dessa parte do litoral que eu coloquei a Turquia de volta à minha lista de destinos a serem explorados. Espero voltar lá em breve.

Veja também: Croácia, uma joia na região do Mediterrâneo

A minha viagem, num início de setembro: Munique – Izmir de avião com pernoite na cidade; Izmir – Selçuk de carro alugado com três dias e três noites na cidade (um dia em Éfesus, uma noite jantando em Sirinçe, um dia explorando Pamucak e a Dilek Peninsula, outro dia entre a Dilek Península e Kusadasi); Selçuk – Çesme de carro com dois dias e meio na cidade (um dia na ilha grega de Chios, um dia em Altinkum, algumas horas do último dia em Alaçati); Çesme – Izmir para devolução do carro e Izmir – Capadócia em ônibus noturno (três dias e quatro noites na cidade de Göreme); Capadócia – Istambul de avião (seis dias no bairro de Beyoglu); Istambul – Berlim de avião.

E se você está mesmo planejando uma ida à Turquia, vale ler aqui como um phrasebook foi valioso para ajudar a gente se entender com os turcos além da mímica.

Personal Trip

About the Author

Flávia tem viagens planejadas para os próximos cinco anos, pelo menos. Só tem um porém: todas precisam de uma parada em Paris.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>