• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Como montar seu roteiro e escolher seus passeios em Bonito

Gruta do Lago Azul Bonito

Gruta do Lago Azul

Bonito é daqueles lugares de te deixar boquiaberto. Sério, fiquei estarrecida com as cores e, sobretudo, as formas daquele lugar. E quando fico assim, quero que todo mundo vá também. Rsrsrs. Você não precisa ser adepto de esportes radicais ou rico para desfrutar desse Brasil que tá ali tão pertinho. A gente já deu as dicas de como preparar a sua viagem, agora, vou contar um pouco dos passeios que fiz por lá.

A primeira coisa é saber quanto tempo você tem disponível. Eu fiquei uma semana, mas poderia tranquilamente ter ficado mais. Mas, se você só tem um feriadão (tem que ser de pelo menos quatro dias pra valer a pena), pega um vôo na véspera e embarca sem medo de ser feliz. Não esqueça de colocar repelente e protetor solar na mochila e levar por onde você for! Nós levamos uma máquina a prova d’água emprestada, além da nossa. Valeu à pena. Na cidade tem aos montes pra alugar, mas não sei sobre a qualidade e os preços não devem ser baratos.

Leia também: O que é Bonito é pra se mostrar: planejando sua viagem ao paraíso

Flutuação Rio Sucuri Bonito

Preparando para entrar no Rio Sucuri

Bonito é um lugar de fauna latente e com uma estrutura pro turismo impressionante. Eu, confesso, achei que ia me irritar um pouco com essa coisa de ter horário marcado. Mas não me incomodou nem um pouco. Os horário ajudam a não lotar nem muvucar – e consequentemente, estragar – os lugares. Sem contar que, no geral, você tem tanta coisa pra ver, que você não se sente enxotado de lugar nenhum. Em vários passeios, depois de curtir a atração você tem um espaço com rio, piscina e restaurante pra curtir o tempo que quiser. Então, não esqueça: não adianta ir direto nos lugares que você vai dar de cara na porta. É sempre preciso acertar com alguma agência na cidade e levar o voucher do passeio.

Uma dica importante pra quem gosta de trilha e rapel é tentar intercalar os passeios que requerem esforço físico com as flutuações e passeios mais lights que vão te revigorar no dia seguinte. Eu peguei dois dias de pauleira e achei que mandei meio mal na organização dos dias e passeios. Enfim, vou falar de cada passeio aí embaixo, mas, se ajudar, o meu roteiro ficou assim (pra quem tiver pique, dá pra otimizar mais o tempo. Eu em alguns dias usei o tempo livre pra curtir o hotel):

Dia 1 – Gruta do Lago Azul, Rafting Ilha do Padre
Dia 2 – Trilha Boca da Onça, Treinamento papel abismo
Dia 3 – Abismo Anhumas
Dia 4 – Rio Sucuri
Dia 5 – Rio do Peixe
Dia 6 – Mergulho Hotel Cabanas, Balneário Municipal

Abismo Anhumas Bonito

Dentro do Abismo Anhumas depois da flutuação

Gruta do Lago Azul – Esse foi meu primeiro passeio em Bonito e acho que é uma boa pedida pra quem tá chegando à região. Fica a mais ou menos 20 minutos de carro da cidade e tem uma formação rochosa espetacular. São estalagmites e estalactites enormes, com um lago azul caribe no fundo. Incrível! Não é permitido mergulho e é um passeio pra se fazer de tênis ou botinha de trecking. Mas não se assuste, é uma escadaria de pedra pra subir e descer e não requer muito preparo físico. A entrada de luz no lago acontece com maior intensidade no verão às 8h, mas como nessa época chove bastante por lá, não é certeza de que você vai ver aquelas fotos de cartão postal. Mas eu fui em abril, no meio da manhã e foi lindo anyway.

Abismo Anhumas –  É uma experiência única e também um dos passeios mais caros. Mas requer preparo físico e tênis ou bota de trecking. Lá só se desce de rapel (são 70 metros) e você pode fazer mergulho com cilindro ou o pacote mais barato, que inclui flutuação e um bote. Quando você chega lá embaixo é um salão de 120 metros de diâmetro com mais da imponência geológica daquela região. Uma coisa bacana que eu achei é que você tem que passar por um treinamento de rapel um dia antes para conhecer o equipamento e aprender a usá-lo. O que não gostei é que achei que faltou infra na chegada à propriedade do passeio e que, como só dá para subir duas pessoas por vez, acabamos esperando lá embaixo pra subir quase tanto tempo quanto demorou o passeio em si. Nesse passeio é fundamental levar água e algo pra comer, são muitas horas e nada é oferecido nem há a opção de comprar.

Boca da Onça Bonito

Vida mansa antes e depois de começar a fazer a trilha da Boca da Onça

Flutuação Rios da Prata e Sucuri – Pelo menos a um desses você tem que ir. Mesmo que não saiba nadar. Rsrsrs. É sério, você coloca uma roupa de mergulho, botinha e a correnteza vai te levando com um bote de apoio do lado – dá pra encarar, não chega nem a um metro de profundidade. Eu fiquei na dúvida cruel de qual dos dois escolher e fui no Rio Sucuri. Mas, podendo, vá nos dois. Eu fiquei com mó vontade, mas aí já não tinha mais dia livre no meu roteiro. A diferença, segundo me disseram lá é a seguinte: Sucuri tem as águas mais claras do Brasil, mas o Rio da Prata tem mais diversidade de fauna. O receptivo do Rio da Prata é mais distante da cidade e no Sucuri dá pra agendar outros passeios saindo da mesma propriedade, como o passeio de quadriciclo, monomotor ou cavalgada. Ah, tem lugar pra almoçar e dá pra curtir a piscina do local depois do passeio se quiser. Fomos lá no dia seguinte do Abismo Anhumas e foi ótima. Foi só relaxamento depois da malhação do dia anterior.

Balneário Municipal – É o passeio mais barato de Bonito (tipo R$ 10 ou R$ 15) e praticamente o único que você pode pagar na hora. É um parque, com quiosques, muita grama pra esticar a canga e pegar um sol à beira do rio e tomar banho entre os peixes. O lugar é bem bonito e agradável, mas aconselho evitar os fins de semana porque fica muito cheio.

Gruta Rio do Peixe Bonito

Passeio do Rio do Peixe: gruta dentro da cachoeira

Rio do Peixe – Achei um dos passeios mais legais. Dura o dia inteiro, as cachoeiras são lindas, as trilhas são bem demarcadas e não exigem esforço físico. Mas no trajeto tem opções como tirolesa, trampolim e grutas. O roteiro inclui a trilha de manhã, o almoço, que é daqueles de fazenda, com comidas e temperos deliciosos, descanso no redário, mais trilhas e, no fim do dia, macacos e araras fazem a festa no local. Vimos até tamanduá na área. Os animais ficam livres, mas se acostumaram a ir lá sempre no fim da tarde. O dono é uma figura e nos dá bananas e sementes que os animais vêm comer nas nossas mãos.

Trilha Boca da Onça – Esse também amei. Você pode contratar só a trilha ou o passeio com rapel. Ambos incluem almoço, que, aliás, é ótimo. O local tem uma infra ótima, piscinas naturais próximas à sede com peixes e um redário delicioso. As cachoeiras são lindas, as trilhas são super bem traçadas, com bancos para descanso no caminho e corrimão nas partes de escadarias. Mas o oásis pra mim foi chegar ao pé da cachoeira que dá nome à propriedade e encontrar espreguiçadeiras num deck. Dá vontade de nunca mais sair de lá.

Carne de jacaré Bonito Gastronomia

Iguaria da gastronomia popular de Bonito: X-Jacaré

Ilha do Padre – Esse passeio dura uma manhã ou tarde e é bem legal. Lá tem várias atividades, como aluguel de canoa, ou bote, que foi o que fizemos. É bem divertido, tem pausa para banho e as quedas das corredeiras dão a emoção necessária. Ah, dá pra estender o dia aproveitando o Rio ou a comida do local.

Outros – Alguns passeios eu não fiz, mas acho que pra quem vai ficar mais tempo, e sobretudo quem vai com criança,  vale a pena pesquisar o Projeto Jiboia e o Aquário Municipal.

=> COMIDA – A rua principal de Bonito tem vários restaurantes e barzinhos. Prove alguma carne de jacaré e peixes como Pirarucu ou Piraputanga. Ah, vale lembrar que o Mato Grosso do Sul é um dos principais produtores de carne do país. Então, também pode ser uma ótima pedida. Pra mim, o obrigatório é a Casa do João, que fica numa rua atrás da praça, perto do Banco do Brasil, da carne ao peixe, tudo é uma delícia e com preço honesto. O Vício da Gula também valeu a parada, depois de nos conquistar com o inusitado X-Jacaré que, pasmem, vem com molho de alcaparras e gengibre. Uma delícia. Fomos ainda no Taboa Bar, que é um barzinho mais descolado e comemos uma pizza com massa de aipim muito boa no Ocas Bar. O único que nos recomendaram, mas que, apesar do cardápio diversificado, achei a comida meio gordurosa foi o restaurante Pantanal.

* Essa viagem foi feita numa parceria com a Agência Ar.

Personal Trip

About the Author

De moto, barco, carro, avião, trem ou ônibus, para Alícia o importante é viajar, conhecer lugares novos, sem deixar de desbravar o Brasil.

Uma resposta para “ Como montar seu roteiro e escolher seus passeios em Bonito ”

  1. Oi Barbara,
    Os preços dos passeios que fizemos por lá variaram entre R$ 76 e R$ 860 (esse foi o mais caro e foi o de rapel no abismo anhumas). Mas já tem mais de um ano e pode ser que os valores não sejam mais os mesmos. De qualquer forma, você tem que fechar os passeios com as agências e os preços não variam muito de uma pra outra (tem várias delas na rua principal de Bonito), pra ter a informação correta sugiro que você entre em contato diretamente com eles.
    bjs

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>