• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

‘Calas’, uma maneira diferente de curtir o mar na Espanha

Qualquer cantinho vale para se refrescar, como este em Cadaqués (Catalunha)

A palavra tem tradução para o português: enseada. Mas foi na Espanha que eu conheci o verdadeiro significado dela. As ‘calas‘ (‘coves’, em inglês) são queridas conhecidas dos europeus. Principalmente daqueles que não têm o privilégio de ter o mar à disposição o ano inteiro, seja por razões geográficas (moram a quilômetros de distância do mar) ou pelo clima desfavorável mesmo. Ou seja, quem anseia por uma brisa marinha durante meses comemora qualquer espacinho de terra firme para curtir o barulho das ondas.

Um brasileiro acostumado a praias de areia (principalmente de largas faixas de areia) vai torcer o nariz para as ‘calitas’. Afinal, como assim esticar a canga nesse micro espaço (geralmente) cheio de pedras? Pois é. A primeira coisa a fazer é não generalizar. As calas são tão variadas quanto as praias. Podem ter só areia, sim, podem ser até larguinhas e confundidas com uma pequena praia. O que a caracteriza é o formato de baía (menor que as enseadas em geral) e o fato de estar rodeada ou estar coladinha em uma parede de pedra (este link explica, em espanhol, a diferença entre algumas formas de litoral). Algumas são alcançáveis só por trilha ou por uma descida de pedra. Muitas vezes estão escondidas – e essa é a principal graça delas.

Calela de Palafrugell, na Costa Brava. Tem até restaurante perto.

Pelo menos era para mim. Imaginar que eu estou numa prainha particular é uma delícia. Já fiquei em calas em que mal cabíamos eu e meu marido. Ou seja, zero chance de chegar alguém para atrapalhar nosso sossego. A primeira vez que vi uma cala foi na Croácia. Achei o máximo ver uma menina tranquilona fazendo topless entre a pedra e o mar calminho, num espaço onde só cabiam ela e seu livro. Depois, morando na Espanha, descobri que essas “praias improvisadas” (assim eu as chamava) têm nome.

Veja também: Croácia, uma joia na região do Mediterrâneo

Claro, elas também existem aos montes no Brasil e em diversos países banhados pelo mar. Porém, diante do nosso abençoado e extenso litoral, quem dá bola para elas? Talvez só os gringos mesmo. Na Espanha, elas estão em todo o litoral, de norte a sul, a leste e nas ilhas. Aproveitei algumas no Sul (Cabo de Gata, na Andaluzia, reúne algumas das mais lindas e escondidas calas da Espanha), na Catalunha (principalmente na Costa Brava) e em Maiorca. E digo: muitas não deixam nada a dever às praias tradicionais. É só encarar como uma novidade e relaxar.

Personal Trip

About the Author

Depois de três anos morando na Europa, Clarissa foi multada ao voltar ao Brasil. Motivo: excesso de bagagem. Mas não se arrepende. Afinal, eram muitas histórias e dicas para trazer na mala e ela não queria deixar nenhuma para trás.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>