• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

As várias faces do muro de Berlim

Clichezão: ir a Berlim e não ver o muro é como ir a Roma e não ver o Coliseu, ou ir à Índia e não ver o Taj Mahal. Apesar do lugar-comum, o muro de Berlim é programa obrigatório na cidade. E como todos os turistas não cogitam ir embora sem ver um pedaço da atração, As Viajantes resolveu fazer um roteiro pra você conhecer as várias faces do muro que dividiu Berlim e o mundo.

UM MURO, VÁRIOS TRECHOS

É sabido que na maior parte da cidade ele obviamente caiu, mas alguns trechos foram preservados para contar as histórias. Em diferentes pontos você pode se deparar com alguns pedaços. Só que eles foram preservados de forma diferente. Se você puder, vá a todos!

EAST SIDE GALLERY

berlimmurolivre

Muro como a tela de um quadro

East Side Gallery é o meu favorito. Lá ainda uma grande extensão do muro onde você pode encostar, tirar fotos mil abraçada e ter uma boa ideia da altura. Em East Side muitos artistas também fizeram vários grafitis e transformaram o muro em um galeria de arte a céu aberto. Esse trecho fica na beira do rio e foi criado uma espécie de lounge onde você pode se jogar nos diversos puffs e beber uma cerveja. Quem tiver a sorte de fazer a visita em um dia de sol pode se jogar na areia na beira do rio e aproveitar. Enfim, além do muro, o local é um passeio e tanto. Visita obrigatória, na minha humilde opinião. Pra chegar lá você pega o S-Bahn (mais informações sobre transporte abaixo) e desce na estação de Ostbanhof.

POTSDAMER PLATZ

Na Potsdamer Platz, bem próximo ao Sony Center, também há vários pedaços do muro. Mas, ao contrário de outras regiões, lá o muro foi colocado. Junto com eles estão diversos painéis que contam um pouco da história das “duas Berlins” e também da derrubada. Toda pessoa que visita Berlim acaba passando em algum momento pela Potsdamer Platz, por isso, reserve alguns minutos para ler e apreciar a exposição, é bem bacaninha.

TOPOGRAFIA DO TERROR

berlimmurogrades

A versão mais parecida com a original

Próximo dali foi criado um trecho chamado Topografia do Terror. Criado não é exatamente a palavra já que o que se vê nesse trecho é o muro exatamente como os moradores da época conheciam. Lá você não vai poder chegar perto já que há cercas e arames farpados. Mas é um ótimo lugar pra ter uma noção de como era a proteção feita para evitar que as pessoas passassem de um lado para o outro. Assim como em Potsdamer Platz há uma exposição com grandes cartazes e fotos que contam horrores que aconteceram na época. Lá você também encontra exposições que mostravam os sistemas de tortura nazista. É história do século XX direto na veia. De novo, programe a visita.

CHECKPOINT CHARLIE

berlimmurochao

A foto clássica

Outro lugar obrigatório é Checkpoint Charlie. Esse, na verdade, era o ponto mais famoso de passagem entre as Berlins Ocidental e Oriental. O guichê por onde as pessoas tinham que passar e apresentar os mil documentos – e justificativas – antes de cruzar de um lado para o outro continua lá. As placas com avisos alertando para a saída dominada pelos americanos também. Há sempre duas pessoas – uma fantasiada com o uniforme americano e outra com o uniforme soviético – que completam o clima do lugar. Ao lado existe um museu que eu achei o melhor da minha vida quando era adolescente. 10 anos depois eu continuo recomendando a visita, mas confesso que não fiquei tão impressionada assim. No museu de Checkpoint Charlie você conhece os diversos planos que foram montados para fugir da Berlim Oriental. Tudo que as pessoas faziam e a criatividade são bem impressionantes. As histórias de quem foi descoberto e acabou morto são ainda mais tocantes. O museu enche mas eu acho que vale a pena a espera. Tente chegar cedo para fugir um pouco da fila. Lá você também vai ver  as marcas de onde ficava o muro de Berlim Foi onde a Isa tirou a foto que é um clássico para quem vai lá. Uma outra diversão – se você tiver um pouco mais de tempo – é seguir as marcações. Nós fizemos isso e foi legal ver tudo que está em cima de onde antigamente era o muro.

MEMORIAL DO MURO

Na Bernauer Strasse, entre Mitte e Prenzlauer Berg, fica o memorial do muro. A gente não esteve lá mas todos dizem que é imperdível. O muro original também está lá junto com muitas fotos e informação reunida no mesmo lugar. Pra quem se interessa pela história do muro parece ser sensacional.

MAUERPARK

berlimflohmarket

Solzinho na entrada do Flohmarkt, ou mercado de pulgas em português

Por último MauerPark, ou Parque do Muro, em português. Aos domingo rola lá o melhor mercado de pulgas que eu já fui na minha vida. É tãããão enorme que você vai embora com a sensação de que não viu tudo. Pra quem gosta de brechós e roupas antigas é o paraíso. Mas também é o lugar perfeito para quem ama discos, antiguidade, objetos pra casa, enfim, todas essa coisas que só um mercado de pulgas e uma feira de antiguidade pode oferecer. Lá você também vê várias barraquinhas com comida, famílias inteiras aproveitando o mercado e muita música ao vivo. Há uma pracinha que é perfeita pra relaxar depois de tanta andança e ficar curtindo. Eu, sinceramente, não consigo imaginar nada melhor pra se fazer em um domingo em Berlim. Tudo isso bem ao lado do muro, que aqui também tem grafites de artistas locais, num estilo East Side Gallery mais original.

A Deutsche Welle fez uma animação sensacional para quem quiser entender melhor como eram os mecanismos de defesa do muro de Berlim. E melhor: o vídeo é em português!!

ANDANDO POR BERLIM

berlimmetro

Os tradicionais vagões amarelinhos do metrô de Berlim

O sistema de transporte público de Berlim é impecável. Assim como em toda a Alemanha. No começo, turistas podem ficar meio receosos porque os nomes das estações são esquisitos e, dependendo do tamanho, pode não haver a opção inglês na hora de comprar os tickets. Mas sem pânico.  Quem já visitou alguma cidade com um grande metrô como Paris, Londres ou São Paulo não vai ter nenhuma dificuldade. Tenha em mente que você vai usar o U-Bahn e o S-Bahn. Os dois são sistemas de metrô, um representado por um U e outro por um S – esse sempre verde. A diferença é o que o U-Bahn anda por cima da terra e o S-Bahn é subterrâneo, como um metrô mesmo. As duas linhas se interligam em diversos pontos. Para evitar problemas na hora de comprar os tickets, a melhor coisa é adquirir logo a versão de vários dias, que são vendidas nas máquinas do aeroporto ou da estação de trem, logo que você chegar. E como a Isa já disse: é preciso validar o ticket nas máquinas espalhadas pelas estações antes de usar. Sem fazer isso é como se você se você estivesse sem ticket. Aliás na Alemanha não é preciso passar por qualquer catraca ou roleta para entrar nos trens. Mas se surgir a tentação de entrar sem pagar trate de superá-la. Centenas de controladores ficam circulando pelos trens – muitos sem qualquer tipo de uniforme, como uma pessoa comum-  e parece que eles têm um faro especial para quem está sem ticket! Você poderá ser multado e certamente ganhará um enorme esporro.

Eu tenho uma amiga alemã arquiteta que ama o metrô de Berlim. Diz que ele é um dos poucos ainda originais. Bem, os vagões são novos então eu imagino que original seja o modelo. Seja o que for, não deixe de reparar, afinal, os trens amarelinhos são uma outra marca da cidade.

Mais Berlim aqui

Para imprimir este post, clique aqui

Personal Trip

About the Author

Destinos exóticos e desconhecidos. É em lugares assim que Reba prefere passar as férias. Isso deve ser uma desculpa para poder passar os outros 11 meses do ano planejando a viagem.

5 Respostas para “ As várias faces do muro de Berlim ”

  1. Oi Fabiana,
    Vc precisa descer na estacao Ostbanhof.
    Beijos

  2. Olá! Gostaria de saber qual linha de metrô pegar para descer na EAST SIDE GALLERY. Obrigada!

  3. Oi Jaqueline,
    S-banh, linha S1, estação Anhalter Bahnhof.

    beijo

  4. Oi meninas!!

    Em qual estação desço para chegar na parte do muro denominada topografia do terror?

    Obrigada!

  5. Oi meninas.
    Fui ano passado e um museu que adorei foi o DDR. Conta um pouco da história da Berlim oriental. É um museu interarivo, onde podemos entrar num carro da época, ver uma típica casa do regime socialista, tocar em objetos, roupas, ver fotos… muito Legal. vale a pena!
    bjos e adorei o Blog.
    Voltarei sempre!

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>