• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

A surpreendente e cosmopolita Bogotá

Bogotá tem o charme das cidades históricas...

Bogotá tem o charme das cidades históricas...

Nosso plano contemplava dez dias na Colômbia, depois de ter rodado bastante pelo Peru (para quem está planejando férias em terras colombianas é bom saber que para chegar em algumas regiões do país o avião é o único meio de transporte seguro e recomendável. Ao menos enquanto as Farc ainda estiverem escondidas pelas selvas sequestrando turistas).

Bogotá era pra ser apenas a porta de entrada de uma viagem que tinha como destino a Cartagenas, do amado Gabriel García Marquez, e a liiinda San Andrés, pra terminar 30 dias de férias em uma paradisíaca ilha no meio do Caribe. O descrédito era tanto que a gente planejou apenas dois dias na capital colombiana. O arrependimento veio poucas horas depois que a gente chegou e resolveu ir jantar na zona badalada da cidade. Bogotá é simplesmente incrível! Um exemplo de como uma cidade pode ser histórica e cosmopolita ao mesmo tempo. Enfim, um lugar para agradar (e surpreender!) qualquer tipo de viajante.

CHEGANDO NA CIDADE
Nós estávamos em quatro e optamos por pegar um táxi, mas existem ônibus que ligam o aeroporto ao centro da cidade.

ANDANDO PELA CIDADE
Bogotá tem o melhor sistema de transporte público de todas as cidades sul-americanas em que eu já estive. Embora eu nunca tenha ido a Santiago, não dá pra comparar com Buenos Aires, Lima ou mesmo o Rio de Janeiro. Lá o ótimo (e

... e os encantos das cidades grandes

... e os encantos das cidades grandes

super bem conservado) sistema de ônibus biarticulados cobre muitíssimo bem a maior parte da cidade. Além disso, em cada estação é possível encontrar funcionários sempre muito simpáticos para tirar qualquer dúvida sobre trajeto. O sistema funciona até 23h e a passagem é comprada em cada estação. A cidade também é repleta de táxis. Recebemos um aviso de moradores e também no albergue de que não deveríamos pegar táxi na rua e sim chamar de uma cooperativa. Eles nos disseram que é comum o sequestro de turistas por taxistas. Em qualquer restaurante ou loja as pessoas têm telefones de cooperativas e pedem o carro pra você sem o menor problema. Confesso que algumas vezes – sem muita paciência pra esperar o táxi chegar – a gente acabou pegando na rua mesmo. Ainda bem que estamos todos aqui vivos pra contar a história.

Na parte histórica de Bogotá há muitas ladeiras e subidas, por isso, no dia em que você for passear por esses lados, calce um sapato confortável e evite saltos altos porque muitas ruas são de pedras, o que poderia tornar a caminhada um martírio.

PASSEIOS

A tradicional igreja estilo espanhol

A tradicional igreja estilo espanhol

*Plaza Bolívar – O lugar é apenas um das centenas que levam o nome do principal responsável pela independência de muitos países da América espanhola. A praça fica no coração da parte histórica da cidade é um ótimo lugar para começar a conhecer Bogotá. Cercada de prédios com arquitetura bem característica, a Plaza Bolívar lembra muito Cuzco. Ao redor da praça estão o Palácio da Justiça, a prefeitura, a sede do Congresso e o observatório astronômico, todos em prédios absolutamente lindos e bem conservados.

*Cerro de Monserrate – Localizado no bairro da Candelária, o Cerro Monserrate é a montanha mais alta da cidade. Para chegar ao topo você pode pegar o organizado e fofo bondinho ou optar por uma caminhada – bem puxada – na mata. Esse é um

Passeio de bondinho e vista linda

Passeio de bondinho e vista linda

dos programas preferidos dos moradores de Bogotá aos domingos, então, se vc optar pela forma mais radical esteja certo de que terá companhia de senhoras ou de esportistas profissionais. Chegando lá em cima, você se depara com uma vista linda e uma pequena igreja que vive repleta de celebrações. O topo também é a casa de um espetacular restaurante francês que fica num prédio maraviolhoso, tem um clima espetacular e a comida ótima. Comer ao redor da lareira nos pareceu o programa perfeito depois da longa jornanada pra chegar até  lá em cima (Sim, mesmo que você opte pelo bondinho preprare as pernas pra uma caminhadinha até chegar à estação).

*Quinta Bolívar
– Foi a casa de Simón Bolívar e hoje abriga um interessante museu sobre a vida dele. A casa fica no caminho do bondinho do Cerro Monserrate. Então, você pode programar os dois passeios pro mesmo dia. A casa está praticamente intacta assim como o enorme jardim que dá um charme todo especial ao museu.

*Zona rosa – É  o lugar ideal pra programar um jantar, sair pra beber ou pra dançar. Você pode pedir ao taxista pra ir até a Zona Rosa e circular a pé pelos muitos quarteirões pra escolher onde quer sentar. Lá você vai encontrar restaurantes com todos os tipos de comida, a nossa opção foi um maravilhoso árabe. O lugar está sempre cheio – mesmo nos dias de semana – e pode ser comparado aos bairros mais agitados e cosmopolitas do mundo.

A fofa Ziquapará

A fofa Ziquipará

*A catedra de sal – Esse programa é absolutamente imperdível porque, afinal, é só em Bogotá que você vai encontrar uma catedral toda feita de sal!! Explicando: Ziquipará é uma cidadezinha na região metropolitana de Bogotá, que tinha como principal atividade econômica a exploração das minas de sal. Depois do fim da exploração, em 1954, os operários resolveram construir uma catedral de sal dentro da mina. Há uma reprodução da via crúcis, altares, diversas cruzes, santos e anjos tudo esculpido em sal puro. O lugar fica 60 metros abaixo da terra e você é acompanhando por um guia que vai explicando tudo em espanhol ou inglês. Foi uma experiência realmente fascinante. Para chegar em Ziquipará você pode pegar um ônibus no centro de Bogotá. A viagem toda dura mais ou menos uma hora e meia e, além da catedral de sal, você pode visitar o museu de sal e o museu arqueológico. Depois programe um almoço em Ziquipará mesmo. Ou seja, prepare um dia inteiro pra esse passeio. Vai valer a pena.

Parece de mármore mas é tudo sal. A gente até provou.

Parece de mármore mas é tudo sal. A gente até provou.

*Donación Botero – Estava fechado quando a gente foi mas deve ser programa obrigatório, afinal não se pode ir à Colômbia e não ver nada de Botero (Nós realizamos o desejo em Cartagenas).

*Museu del Oro –
Como estávamos em Bogotá em uma segunda-feira também pegamos o museu fechado. Mas o amigo Ruivo esteve lá e garantiu que vale a pena.

COMENDO
A comida colombiana é muito parecida com a brasileira e igualmente deliciosa. Mas em Bogotá não encontramos muitos pescados com arroz de coco e patacones (uma banana frita que, por incrível que pareça, tem gosto parecido com aipim frito)- pra citar um dos pratos principais. Pra quem gosta de café, a Colômbia é o paraíso. Dizem que são de lá os melhores cafés do mundo, embora todas as pessoas para quem eu presentei café tenham me relatado que preferem os brasileiros. De qualquer forma, a quantidade de opções é pra deixar os fãs da bebida loucos. Pode parecer estranho, mas uma das nossas grandes descobertas gastrônomicas foi uma rede de lojas colombianas que tem um dos melhores crepes que eu ja comi na minha vida. É a Crepes & Waffles (o nome não é dos mais originais) que tem desde o mais tradicionais até combinações pra lá de sofisticadas.
COMPRAR
Muita gente não sabe, mas a Colômbia é o paraíso para quem gosta de comprar roupas de marca. Diesel e Calvin Klein  – pra citar as lojas que eu entrei e comprovei – têm produtos por muito menos da metade dos preços brasileiros. Quem quiser aproveitar a oportunidade pode programar meio dia – ou um dia inteiro, depende do espírito consumista de cada um – pra se perder em alguns dos muitos shoppings e lojas dos quarteirões da zona rosa.

PARA FICAR
Ficamos no Platypus, um hostel que fica no histórico bairro da Candelária. Escolhemos esse lugar porque era o mais bem indicado pelo Lonely Planet. A experiência começou um pouco ruim – o dois quartos individuais que nós tínhamos reservado estavam ocupados na nossa chegada – mas depois do problema resolvido desfizemos a má impressao com a simpatia do dono que nos recebeu com cervejas de graça. Nosso quarto era simples, mas limpo, e o hostel parece especialmente bom pra quem viaja sozinho e quer conhecer gente. Há sempre papos animados por todos os cômodos. Outra questão é que o Platypus fica na Candelária e pra chegar à Zona Rosa é preciso pegar um táxi (de noite não há ônibus), logo, quem adora uma agitação talvez prefira escolher algo mais central.

O GUIA

Por último, é bom ressaltar que o Lonely Planet, que é o nossa companhia preferida nas viagens mundo a fora, é uma péssima escolha pra quem planeja conhecer a Colômbia. Existe uma enorme polêmica de que o principal escritor nunca foi ao país e teria escrito o guia com ajuda de uma amiga colombiana. Eu não sei se é verdade, mas tenho o guia e é fato que ele deixa muito a desejar, principalmente se comparado aos demais. Enfim, se puder, escolha outr0 companheiro de aventuras.

Quer imprimir este post? Clique aqui.

Personal Trip

About the Author

Destinos exóticos e desconhecidos. É em lugares assim que Reba prefere passar as férias. Isso deve ser uma desculpa para poder passar os outros 11 meses do ano planejando a viagem.

2 Respostas para “ A surpreendente e cosmopolita Bogotá ”

  1. Oi Reba, parabéns pelo blog! Adorei os posts sobre a Colômbia!
    Também fui à Colômbia este ano e conto minha experiência no Comer, Dormir e Viajar. Dá uma olhada lá, gostaremos muito da visita! 🙂
    http://comerdormireviajar.wordpress.com

  2. será que me renderei à América do Sul nas próximas férias?? huummm…

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>