• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Viagens internacionais: uma ajuda para escolher a companhia aérea

Escolher bem é sinônimo de começar as férias com o pé direito

Você sonhou com as férias fora do Brasil, fez pesquisas, montou o roteiro e finalmente chegou a hora em que você já se sente com um pezinho lá: a compra das passagens aéreas. A maioria das pessoas acaba escolhendo a companhia aérea pelo preço mesmo, mas com um mercado mais competitivo (viva!) não é raro que a diferença entre uma companhia e outra seja de poucos reais. Neste caso, outras variáveis podem (e devem!) pesar na decisão. Quantidade de escalas, horários dos voos, programas de milhagens e possibilidade de parcelamento são itens em que vale a pena ficar de olho.

Mas e a qualidade da companhia área? Afinal de contas, ter um bom voo é a melhor forma de começar as férias com o pé direito!

Por isso, nós resolvemos listar as nossas boas e más experiências em algumas das companhias que fazem voos internacionais a partir do Brasil e ajudar na sua escolha.

Boa viagem!

Já comprou a passagem internacional mas está com dúvida de como escolher as companhias low cost? Clique aqui.

– AEROLINEAS ARGENTINAS
É uma escolha muito popular para que vai para a amada Argentina. Mas a gente também teve uma excelente experiência para a Austrália. O voo para o outro lado do mundo foi confortável (mesmo para as quase 20 horas de viagem!) com aviões mais novos e modernos do que os que fazem o trecho Brasil – Argentina.

Nós curtimos
Os preços são competitivos e não é raro encontrar passagens mais em conta especialmente para Buenos Aires. Para quem sai de cidades do sul do país, os voos diretos são uma vantagem. O doce de leite de sobremesa pode parecer uma besteirinha mas quem já comeu doce de leite argentino sabe que ele traz felicidade. 🙂

Deixa a desejar
A frota voa para Buenos Aires não é das mais novas e nós já viajamos em assentos quebrados. O atendimento também não foi a nossa melhor experiência. Reba já ficou mais de 50 minutos no aeroporto de Ezeiza para conseguir trocar o horário de uma passagem.

– AIR FRANCE 
Como a gente é louca pela Europa, a Air France é uma das mais usadas pelas AsViajantes.

Nós curtimos
A escala. Afinal, se você vai ter que parar em algum lugar que seja em Paris. É possível comprar passagens entrando por uma cidade, saindo por outra, e ainda dar uma paradinha por algumas noites na capital da França. Ou seja, três trechos pagando apenas por dois já que a parada em Paris é de graça. Flávia acha que o serviço de bordo é o grande diferencial da classe econômica: – vinho ou champanhe, além dos não alcoolicos. Eles também deixam à disposição dos passageiros uma caixa com picolés e sanduichinhos, ao longo do voo. O padrão costuma ser picolé Kibon de uva na ida e picolé de Hagen Dasz de creme com casca de chocolate na volta para o Brasil. Dani lembra que ter vinho francês a bordo e queijo President são uma baita vantagem. Além disso, nos voos indo ou vindo para o Brasil há pelo menos um comissário que fale português.

Deixa a desejar
Apesar dos mimos e vantagens gastronômicas, a comida em si já foi melhor. E eles tem um frota irregular, então você pode dar azar de pegar um avião que seja bem velho.

Aperto ou conforto?

– AMERICAN AIRLINES
Se os seus planos são férias nos Estados Unidos, você vai se deparar com a possibilidade de voar American.

O que curtimos
Voar para solo americano em companhia americana faz diferença. Principalmente se você não for apenas para Miami e Nova York. Afinal ela está presente em quase todos os aeroportos americanos e você não é obrigado a fazer voos internos com outras cia que nunca ouviu falar.

Deixa a desejar
Nas escalas. Os aeroportos americanos são, na maioria, imensos e o tempo de escala da American é normalmente curto. Reba já viu muito brasileiro esbaforido correndo em aeroporto americano pra conseguir pegar a conexão. E ela tem uma regra: conexão da American em Miami nunca mais.

– AVIANCA
No início, muito brasileiro estranhou de ver a companhia colombiana atuando no mercado brasileiro. Mas é fato: ela veio pra ficar.

O que nós curtimos
Atendimento, pontualidade, aviões novos e comida digna de nota para padrões de gastronomia aérea.

Deixa a desejar
A escala. Sim, nós amamos Bogotá, mas a não ser que você esteja indo para América do Norte, Central ou Caribe é fora de mão pacas. Acrescenta algumas horas chatas na sua viagem.

– BRITISH AIRWAYS
A companhia Britânica costuma ser uma das primeiras opções para quem está procurando passagens para Londres. Afinal chegar direto, sem escalas, é um conforto e tanto. Quem vai para a Ásia, especialmente Índia, deve também considerar fortemente a companhia. Os aviões e o serviço de bordo são ainda melhores no trecho Europa- Ásia do que no trecho América do Sul -Europa. A British também pode ser uma boa surpresa para quem vai viajar dentro da Europa. Em alguns casos, as tarifas não são muito maiores do que as low costs e com as vantagens de poder despachar bagagem e ter assento marcado.

Nós curtimos
O avião e o serviço. Pisar num avião da British Airways é ter a certeza de que você está numa aeronave nova ou muito bem cuidada. Uma segurança enorme principalmente para quem tem medo ou odeia viajar de avião. Nossa experiência foi com uma tripulação muito simpática e comida boa. O entretenimento também é legal com filmes atuais e bastante opções.

Deixa a desejar
O preço. A bem da verdade é que é muito raro que as tarifas da British figurem entre as mais baratas. Além do mais, eles não têm tantas opções de voo para o Brasil quanto a concorrência, então é mais difícil que você encontre vagas disponíveis para o dia em que quer voar.

 

Aeroporto: emoção ou tensão?

– COPA AIRLINES
Sem muitas opções para voar para a América Central ou Caribe, a Copa acaba sendo uma das poucas alternativas para quem quer explorar as regiões ou o México e não quer passar pela chatice de ter que fazer escala nos Estados Unidos e aturar a burocracia da imigração americana.

Nós curtimos
O preço. Quase ninguém barra as tarifas da Copa.

Deixa a desejar
A comida e os aviões. Reba já fez um voo noturno em que jantou sanduíche e teve o mesmo sanduíche no café da manhã. A diferença é que um era quente e o outro frio. No mesmo voo, passageiros ficaram sem cobertor sem que a tripulação – nada simpática – pudesse fazer nada. Os aviões também são muito antigos. Clarissa já teve seu bilhete duplicado num voo para Cuba. Chegou ao assento e havia uma pessoa nele, com o mesmíssimo número. Foi um rolo achar outro lugar para ela. E escala no Panamá é uma tortura por ser, quase sempre, imensa. Já que ia ficar por lá, Clarissa aproveitou para dar um passeio pela Ciudad de Panamá.

– EMIRATES

Conhecida por seu atendimento luxuoso nas classes executiva e primeira, a Emirates é uma das melhores opções para viagens à Ásia, com uma parada em Dubai, o que atrai os amantes de compras. Porém, se for sair do aeroporto, é preciso pedir visto.

Nós curtimos

É daquelas companhias que dão mimos, como necessaire. Nos deixam escolher bem antes do check in (assim que sua reserva é confirmada) os assentos e o tipo de refeição (vegetariana, asiática, hindu, low carb, por exemplo) em seu site. Sem contar que a companhia agiliza todo o processo de visto para os Emirados Árabes por meio de sua página web. Também é bem pontual.

Deixa a desejar

A classe turística está longe de ser bacana como a executiva ou primeira. O espaço entre as poltronas não é dos maiores. A comida escolhida veio errada duas vezes para a Clarissa. Os voos são longos (14 horas entre Rio e Dubai) e os banheiros ficaram bem sujos no fim da viagem, provavelmente não foram limpos durante a noite.

– IBÉRIA
A companhia espanhola é outra que sai sempre com voos lotados do Brasil. Não é raro viajar em aviões que não tenham sequer um assento disponível.

Nós curtimos
O preço. Em condições normais, sem promoções, a Ibéria costuma estar sempre entre as top 3 mais baratas. E em voos internos na Espanha ou dentro da Europa há também promoções irresistíveis.

Deixa a desejar
Clarissa, que já voou Ibéria inúmeras vezes,não tem a menor dúvida que é a pior companhia europeia entre as majors. Espaço mínimo entre as poltronas, aviões antigos, comissárias antipáticas em 90% dos voos em que ela pegou e refeições insossas. Sem contar que chegar por Barajas é viajar com emoção, né? Por mais que a diplomacia brasileira retalie, esperneie, reclame, vira e mexe mandam brasileiros de volta para casa.

– KLM
A holandesa está investindo muito no mercado brasileiro e de poucos anos para cá tem apresentado tarifas bem competitivas e roubado clientes de outras mais “tradicionais” entre os brasileiros que voam para a Europa. Nós tivemos experiências diferentes na KLM. Isabella e Flávia voaram para Londres mas receberam tratamentos opostos. Dani teve uma experiência ok. A KLM também tem uma boa variedade de voos dentro da Europa.

Nós curtimos
Isabella gostou do serviço de bordo. Ela achou o cardápio honesto – tanto de comidas quanto de bebidas – se impressionou a vasta variedade de filmes para assistir durante o voo. “Sem falar na simpatia dos comissários e aeromoças, o que pode ser raro dependendo da empresa aérea. Viajei de KLM duas vezes, a primeira delas quando tinha por volta dos 12 anos. Lembro de ter ganho vários mimos e de ter conhecido a cabine dos pilotos. Aquilo me marcou e fiquei simpática à companhia pra sempre.” Dani achou o lanche gostoso e o serviço decente.

Deixa a desejar
Flávia teve uma experiência ruim justamente com o serviço de bordo. “Tanto no voo de saída quanto no retorno ao Brasil, não vi nenhum comissário falando português. Além disso, a equipe era desatenta, servindo bebida bem depois da comida, esquecendo de atender a chamados, ou servindo a refeição sem fazer a pergunta clássica “chicken ou pasta?”. O menu de filmes também não era dos melhores. Para finalizar, voltamos para casa com uma mala rachada e outra com a rodinha fora do lugar.” Para Dani os aviões eram pequenos, mas bem conservados.

Update da Flávia: “A KLM respondeu à minha reclamação sobre as malas danificadas, dispondo-se a resolver o problema. Achei isso bem positivo. Volto para contar como termina a história.”

Não vai ser a melhor refeição das férias mas não precisa ser horrível

– LUFTHANSA
Ainda pouco tradicional no Brasil, é outra empresa que está investindo forte no nosso mercado recentemente.

Nós curtimos
Os aviões. Nossa impressão é de que a Lufthansa tem uma das frotas mais novas do mundo. E tudo funciona muito bem: organização, pontualidade e serviço de bordo. Padrão impecável alemão.

Deixa a desejar
A escala. Frankfurt é uma das cidades mais sem graça para se fazer escala na Europa. Além do mais, o tempo de espera pode ser longo, dependendo do destino final. E apesar do investimento, a empresa alemã ainda tem uma das tarifas mais altas para quem vai voar para a Europa.

– TAM
A possibilidade de fazer voos diretos para os EUA e Europa é sempre tentador. Além do mais, a TAM volta e meia tem promoções que deixam nossas viagens mais felizes.

Nós curtimos
Ah vai, ter comissários que falam português é maravilhoso. Principalmente pros tímidos, pouco confiantes no inglês ou ainda para quem não tem muita experiência com viagens internacionais. Além disso, nas nossas viagens, a  tripulação foi muito simpática e solícita dentro do avião. A pontualidade também é OK. E poder acumular milhas para viajar também pelo Brasil é ótimo. A TAM também tem uma ótima frota. Aviões novos ou bem conservados que não devem nada a qualquer companhia internacional. Sem contar que se associou à ótima Lan, formando a Latam.

Deixa a desejar
Reba já teve problemas com bagagens desaparecidas. E ao menos no Galeão, no Rio, é comum ver bagagens que chegam danificadas ou arrombadas. Segundo Clarrisa, o atendimento em terra costuma ser fraco: – Mesmo quem já fez check in on line às vezes enfrenta filas quilométricas só pra despachar a bagagem. Mas acho que isso depende mais do aeroporto.

-TAP
Há dez anos, a TAP levava o apelido de Trapalhadas Aéreas Portuguesas. Não era à toa. A quantidade de gente que perdia as malas em voos da companhia era alta (Clarissa já foi uma das vítimas). Mas uma renovada geral colocou a companhia lusa novamente de forma competitiva no mercado.

Nós curtimos
O check up geral fez uma renovação na frota e os aviões ficaram mais espaçosos e modernos. Trocou os filmes B exibidos em telinhas coletivas minúsculas por poltronas com TVs individuais. E, como a TAM, tem comissários falando em português.

Deixa a desejar
Aparentemente, o problema com as malas diminuiu. Mas comete um erro grave: as conexões são curtíssimas, às vezes de apenas uma hora, o que sempre gera um estresse e, não raro, correria dentro do aeroporto de Lisboa. Clarissa já perdeu conexão porque eles mesmos atrasaram, mas, recentemente, na Alemanha, eles esperaram pelos passageiros que sofreram com isso.

* Esse post foi feito em parceria com Skyscanner

Personal Trip

About the Author

Uma resposta para “ Viagens internacionais: uma ajuda para escolher a companhia aérea ”

  1. Olá viajantes! Gostei muito do post, super completo! Aproveitando, gostaria de destacar uma cia aerea que viajei recentemente e achei um espetáculo, é a Turkish airlines! Sem sombra de dúvida é a melhor cia que já viajei, aviões super modernos, serviço de bordo ótimo, vários filminhos atuais, tem até brindezinho para classe econômica. Um show!
    Abs!

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>