• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Comida brasileira: o que provar pelo país

Sabores diversos (Foto: Veja São Paulo)

A culinária brasileira é tão rica quanto a diversidade cultural nacional. São tantos os povos e misturas num território tão extenso que não poderia ser diferente. Mas cada região aperfeiçoou um sabor que adotou.

Confira o que você não pode deixar de comer nas regiões que visitar pelo País.

Rio de Janeiro – Mais do que feita de caipirinhas e comida de boteco, a gastronomia carioca é marcada pela feijoada. O prato pode vir regado a bacon e salsa em sua versão light, ou bem carnudo, com costela, carne seca e paio, para os que preferem uma refeição mais consistente. Para os que gostam de carnes incomuns, muitos restaurantes servem pé e rabo de porco em uma travessa à parte. Acompanha arroz, farofa de alho ou de banana, couve refogada, torresmo e laranja. A feijoada toma os cardápios da cidade sextas e sábados.

São Paulo – A maior cidade do país não à toa possui os melhores e mais variados restaurantes. Melhores tanto no atendimento quanto nos ingredientes, reconhecidamente de qualidade acima do que no resto do país. Isso quer dizer que come-se bem praticamente de tudo em São Paulo. Mas alguns pratos têm a cara da cidade: pizzas e massas nas tradicionais cantinas italianas do Bexiga, comida japonesa na Liberdade e o monstruoso sanduiche de mortadela no Mercado Municipal. É da hora, meu…

Fortaleza Quem visitar a capital do Ceará não pode deixar de comer tapioca. Em Fortaleza ela é mais do que tradicional.  Outra estrela é a lagosta. Além de frescas, as lagostas na capital cearense são mais baratas do que as servidas no resto do País. Uma boa pedida é o prato do crustáceo grelhado com legumes, leve e saboroso, facilmente encontrados nos restaurantes em Fortaleza.

Salvador O acarajé é o símbolo maior da gastronomia baiana. O bolinho de feijão-fradinho frito costuma ser servido por baianas vestidas a caráter pelas ruas de Salvador, mas os restaurantes da região servem versões ótimas, confiáveis e apetitosas. Programa obrigatório. Até porque você pode até achar o quitute em outras cidades nordestinas, mas não fazem igual ao sabor autêntico da Bahia.

Florianópolis – A ilha é uma perdição para os amantes do camarão.  Nos restaurantes da cidade é possível experimentar as mais diferentes versões de pratos com o crustáceo, seja no rodízio ou na sequência de camarão. Ao contrário do que ocorre nos principais centros urbanos do País, o crustáceo não é artigo de luxo em Floripa. Dá para comer até se fartar. Ostra é outra opção incrível e clássica – e barata – por lá.

Curitiba – O prato tradicional do lugar é mesmo o barreado. O prato é feito de carne cozida durante horas a fio em uma panela de barro bem lacrada, até ficar desmanchado, a ponto de desfiar. O caldo grosso é servido em potes também de barro, com arroz, farinha de mandioca, banana e laranja.

Maceió A tapioca é um prato popular em boa parte dos estados do Nordeste, mas é pelas ruas de Maceió que a farinha de mandioca (ou macaxeira, como se diz por lá) servida feito panqueca é acompanhada dos ingredientes mais inusitados. De linguiça a chocolate, basta montar a sua com o que mais te apetecer. Dependendo da quantidade de recheio, o resultado equivale a praticamente uma refeição completa.

Belém do Pará O Pato no Tucupi talvez seja o prato mais famoso da região. O tucupi, goma amarelada da mandioca, é o caldo onde se ferve o pato. Já a erva jambu, outro ingrediente dessa refeição, é fervida e acrescentada em seguida. Servido com arroz branco e farinha de mandioca. Filé de Tambaqui, que é um peixe super carnudo e com sabor marcante, e o tacacá, que tem entre os ingredientes principais o jambu e camarão seco, também são referências gastronômicas básicas.

Tiradentes – A capital culinária de Minas Gerais é uma perdição para os bons de garfo. Carne de porco preparada de diversas maneiras, tutu à mineira, canjiquinha além o frango ora-pró-nobis – uma verdura típica mineira. E mesmo que você fique satisfeito nem pense em se levantar da mesa sem pedir as sobremesas. Doce de leite, compotas e goiabada com queijo minas são apenas alguns exemplos. Pra finalizar a refeição a clássica cachaça mineira.

Recife – São várias as delícias gastronômicas da capital pernambucana. Chegando a uma das praias da região, não deixe de provar um dos vários caldinhos vendidos na areia mesmo. Para os cariocas soa estranho tomar um caldo quente em plena praia, mas isso é mais que comum lá. Outra iguaria fácil, fácil de encontrar é o carangueijo, ou melhor, guaiamum para os locais. De sobremesa, o infalível bolo de rolo. Ah sim, se passar por Olinda, não deixe de provar a tapioca do alto da Sé.

* Post patrocinado

 

Personal Trip

About the Author

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>