• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Bairros Boêmios: o charme colorido da Vila Madalena

03.01 casas Vila Madalena div gustavo angimahtz

As casinhas caracterizam a Vila Madalena / Divulgação: Gustavo Angimahtz

Com suas casinhas e ruas coloridas e arborizadas, a Vila Madalena é considerado o bairro dos artistas e da boemia em São Paulo. Mas já foi bem mais. Apesar da especulação imobiliária pela qual vem passando a região, ela ainda é a mais procurada quando se fala em boemia e mistura de tribos.

A Vila Madalena é o terceiro e último bairro da série Bairros Boêmios, em que também escrevemos sobre a Lapa, no Rio de Janeiro, e o Rio Vermelho, em Salvador. A ideia é reunir aqui as dicas que vocês poderão ver no programa Encontro com Fátima Bernardes que vai ao ar dia 7 de janeiro.

Confira aqui o posto sobre o Rio Vermelho, em Salvador

Atualmente resistem os artistas e um público também jovem, mas com mais dinheiro. O que acontece hoje lá é semelhante ao fenômeno observado no East Village, em Nova York, nos anos 80, quando os jovens adultos com um pouco mais de dinheiro perceberam como era legal morar lá e acabaram mudando um pouco a cara da vizinhança.

03.01 Benedito Calisto Vila Madalena

A feira da Praça Benedito Calixto / Foto: Ricardo Fonseca/SECOM

Com a pluralidade, a Vila acabou se dividindo em regiões. Numa mesma rua convivem casas de todos os tipos de música (MPB, jazz, samba, rock). Para comer é possível encontrar desde delícias de comida francesa, gastronomia nordestina, mineira e botequins cariocas (mas com sotaques paulistas). As principais ruas são a Wisard, Fidalga e a Mourato Coelho. O bairro possui metrô, o que se tratando de São Paulo é uma mão na roda.

De dia, aos sábados, a boa é passear pela feira de antiguidades da Praça Benedito Calixto, que funciona das 9h às 19h. A praça fica, na verdade, no bairro de Pinheiros, mas é bem pertinho dali. É um programa para toda a família! São dezenas de barraquinhas vendendo (e comprando) todo tipo de produtos antiguinhos. Duvido alguém sair de lá com as mãos abanando. Também vale o passeio pelo entorno da praça com suas lojas descoladas e ateliês. Ah, sim, não deixe de comer o pastel clássico, daqueles grandes, bem no meio da praça. Uma delícia!

Quem gosta de arte de rua também pode aproveitar o dia para andar pelas ruas do bairro descobrindo seus grafites. Não esqueça da câmera fotográfica.

Veja aqui as dicas da Lapa, no Rio de Janeiro

03.01 grafite Vila Madalena div clara caldeira

O bairro é um prato cheio pra quem gosta de street art / Foto divulgação Clara Caldeira

Trânsito – Como em praticamente toda a cidade de São Paulo, também na Vila Madalena o trânsito pode ser desanimador. O movimento nas ruas começa já na terça-feira, mas de quinta a sábado é que a coisa se complica. Evite dor de cabeça com estacionamento e engarrafamentos e deixe o carro em casa. Uma opção é ir de metrô e voltar de táxi.

Lei do Silêncio – Para aproveitar as mesas ao ar livre, chegue cedo! Desde 2002 vigora a lei do PSIU – Programa de Silêncio Urbano da Prefeitura de São Paulo, que determina que, a partir das 23h os bares retirem as mesas das calçadas. As baladas só podem funcionar entre quatro paredes. Isoladas acusticamente.

UPDATE: Veja as dicas que Alícia Uchôa deu sobre a Vila Madalena na nossa participação no programa “Encontro com Fátima Bernardes”

Quer mais dicas de São Paulo? Clique aqui.

Personal Trip

About the Author

Pelo Brasil ou exterior. Sozinha ou acompanhada. O negócio é botar o pé na estrada. Tem coisa melhor?

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>