• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Chegando ao Rio: Aeroporto do Galeão ou Santos Dumont?

Aeroporto Santos Dumont

O Pão-de-Açúcar dá as boas-vindas aos visitantes que chegam pelo Santos Dumont

Rio de Janeiro: avião ou ônibus, Galeão ou Santos Dumont, táxi ou transporte público? Chegar de viagem numa cidade estranha sempre causa um friozinho na barriga. Para quem vai aterrissar em terras cariocas, a primeira decisão requer análise de logística e custo-benefício.

O Santos Dumont recebe voos de curta distância, vindos da região sudeste e de Brasília – ou voos com conexão por esses lugares. Localizado no Centro da cidade, é prático para quem vai ficar hospedado na Zona Sul, Centro ou na Zona Norte. As passagens para quem pousa aqui, no entanto, costumam ser um pouco mais caras. Sobretudo na ponte aérea Rio-SP.

Fica a cargo do Aeroporto Internacional do Galeão – Antonio Carlos Jobim (ou só Tom Jobim) receber todos os voos internacionais e dos demais destinos do país. Localizado na Ilha do Governador, é mais distante de boa parte da cidade, mas de acesso mais fácil para quem fica na Barra ou outros bairros da Zona Oeste ou Subúrbio da cidade.

SAINDO DO AEROPORTO – Nenhum dos dois aeroportos tem metrô. Então, se não tiver uma boa alma que te pegue na chegada, sua opção terá que ser táxi ou ônibus.

* Ônibus – Além dos ônibus normais que circulam por várias partes da cidade, os dois aeroportos contam com linhas de ônibus frescão. Esse é o nome que damos aqui no Rio pra aqueles ônibus de viagem, com poltronas reclináveis e bagageiro.

Do Galeão, tem linhas dessas até a Barra – com opção de ser via Zona Sul ou via Linha Amarela (que é mais rápido) – e até o Santos Dumont – com opção de ser via Avenida Brasil ou Linha Vermelha (mais rápido). Para ver os horários e valores, clique aqui. Outra boa fonte para deslocamentos de ônibus pela cidade é esse site aqui.

Aeroporto Internacional do Galeão - Antonio Carlos Jobim

Galeão: lá chegam todos os voos internacionais

Táxi – A prefeitura tem tentado organizar o esquema dos táxis no aeroporto. Na teoria, as cooperativas de táxi autorizadas  a ter pontos nos terminais devem dar opção aos passageiros: cobrar um preço fechado (de acordo com uma tabela) ou usar o valor do taxímetro.

Eu, pessoalmente, sou sempre a favor do taxímetro, mas há quem ache que, por questão de segurança,  ele só é recomendável se você conhecer a cidade e/ou se for fora da hora do rush. No desembarque há alguma chance de você pegar um táxi de rua comum, que tenham acabado de deixar passageiros. Mas é arriscado porque nem sempre eles têm permissão pra parar sem causar uma confusão com as cooperativas locais.

Outra coisa pra ficar atento, que nunca aconteceu comigo, mas já rolou com algumas das viajantes do blog e o Riq Freire já até  contou uma experiência, no Viaje na Viagem, em que cobraram dele um adicional de bagagem. Infelizmente a cobrança é legal, mas na prática poucos taxistas usam.

* As fotos são de divulgação, do site da Infraero

Personal Trip

About the Author

De moto, barco, carro, avião, trem ou ônibus, para Alícia o importante é viajar, conhecer lugares novos, sem deixar de desbravar o Brasil.

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>