• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Boemia carioca: aventure-se pelos botecos da Zona Norte do Rio

aconchego carioca bolinho de bacalhau

Bolinho de feijão branco com recheio de rabada do Aconchego Carioca (Foto: Bruno Agostini / http://riodejaneiroadezembro.wordpress.com)

O segundo post da série sobre botecos cariocas é para quem quer se aventurar pelo Rio e sair do eixo convencional Centro-Zona Sul. Aqui, listamos alguns dos quitutes imperdíveis da Zona Norte da cidade e da Ilha do Governador (que é o mesmo bairro do aeroporto internacional Tom Jobim). São todos naquela linha: cerveja gelada, petisco bem feito e descontração carioca.

Para facilitar, vamos dividir o Rio de Janeiro em regiões para que pelo menos um esteja no seu roteiro. Aí, vamos publicando ao longo das próximas semanas. Mas antes da lista, tem uma coisa que é triste de um carioca admitir, mas que o turista precisa ser avisado: é comum garçons serem mal-humorados e não muito prestativos, alguns até ganham fama pelo ‘personagem’.  Ah, outra coisa: no Rio a Lei Seca funciona e as blitzes são constantes. Então, nada de beber e dirigir.

Leia também:  Boemia Carioca: listamos bares clássicos do Centro e Santa Teresa
Boemia Carioca: chope e quitutes na badalada Zona Sul do Rio
Boemia Carioca: os bares clássicos que viraram redes de botecos

Aconchego carioca (R. Barão de Iguatemi 379, Praça da Bandeira) – Você pode não estar ligando as duas coisas mas certamente já ouviu falar do bolinho de feijoada do Aconchego Carioca. O petisco virou o queridinho (com todo o mérito!) de chefs brasileiros e ganhou as páginas de jornais e revistas. É bem verdade que não pode ir lá e não prová-lo, o bolinho que é recheado com couve e bacon vem ainda com uma porção de torresminho e mini caipirinha. Mas não termine por aí: o bolinho de feijão branco recheado de rabada, o palitinho de queijo coalho com goiabada, bolinho de bacalhau com grão de bico e o bolinho de aipim com bobó de camarão são tão deliciosos quanto o irmão mais conhecido. Ta na dúvida? Pede ajuda da Kátia, a dona do restaurante que está sempre por lá coma filha, para te ajudar. Ou então pede um cada mesmo. A carta de cervejas é imensa e não vai faltar opção para acompanhar a comilança. Só guarde um espaço para o prato principal, tá? Você não vai se arrepender.

 

enchendo linguiça

Enchendo Linguiça (Foto: Divulgação)

Enchendo Linguiça (Avenida Engenheiro Richard 2, Grajaú) – Ama linguiça mas não consegue ir a Minas? Tem loucura por joelho de porco mas acha que a Alemanha fica longe? Pode ir no Enchendo Linguiça que tudo se resolve. O bar fica no Grajaú, um charmoso bairro residencial da Zona Norte, e por isso você vai encontrar muitos cariocas e quase nenhum turista por lá. As linguiças são todas artesanais feitas ali mesmo e dá até pra acompanhar o processo pelo vidro. As combinações são bem variadas. (* O bar acabou de ganhar uma filial na Lapa)

Cachambeer (Rua Cachambi 475, Cachambi) – O forte ali são as costelas assadas na brasa, de porco ou de boi. A porção bovina é superfarta, prepare-se para dividir por três. O cardápio é cheio de tiradas engraçadinhas, como a que ‘vende’ o pastel de camarão: “se quiser creminho, nem pede”. Pode acreditar, é (muito) camarão puro no recheio.

pontape beach - bolinho de bacalhau

Bacalhauzinho da Dercy: croquete de arroz de bacalhau com brócolis com molho de azeite com bacalhau e alho (Foto: Divulgação)

ILHA DO GOVERNADOR

Petisqueira Martinho (Praia do Jequiá 33, Ribeira – Ilha do Governador) – O antigo boteco, que nasceu praticamente para que os clientes da peixaria o lado (do mesmo dono) pudessem já comer ali algumas das mercadorias que compravam, a Petisqueira deixou o aspecto de improviso de lado e agora tem cara de restaurante, com direito a ar-condicionado. No menu, iguarias de frutos do mar estão da entrada ao prato principal, entre camarões, ostras, lulas e caranguejos em pasteis, caldos e moquecas. Fica na Ribeira.
Pontapé Beach (Praia da Ribeira 63, Ribeira – Ilha do Governador) – Um grande galpão com cara de boteco. Mas o cardápio deixa muitos restaurantes no chinelo. Além da tradicional moela, há petiscos bem pensados como a cozinha de berinjela (massa de berinjela e recheio de frango), bolinho de salmão ou o bolinho de arroz de pato com molho de laranja. Ou ainda o Bacalhauzinho da Dercy: croquete de arroz de bacalhau com brócolis com molho de azeite com bacalhau e alho.
Personal Trip

About the Author

De moto, barco, carro, avião, trem ou ônibus, para Alícia o importante é viajar, conhecer lugares novos, sem deixar de desbravar o Brasil.

Uma resposta para “ Boemia carioca: aventure-se pelos botecos da Zona Norte do Rio ”

  1. Belo post! Essas dicas são bem quentes!

    Corre-se ainda o risco de me encontrar almoçando no Aconchego ou a noite no Martinho ou Pontapé, já que moro na Ilha do Governador e Trabalho na Tijuca. Aí, além de um bom rango e cerva gelada, pode-se bater um bom papo sobre viagens!

    Abraço!
    Daniel
    PrecisaViajar

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>