• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Índia: prepare-se, essa viagem vai mudar sua vida

Esoterismos à parte, a Índia é realmente um destino para ficar marcado para sempre na vida de quem pisa naquele pedaço do mundo. Se as recordações serão boas ou ruins depende do tipo de viajante que você é, do tipo de viagem que você faz e principalmente o que você espera encontrar. Isso porque a Índia é incrível, isso no sentido literal da palavra: às vezes é mesmo difícil de acreditar no que você vê por lá. O país tem uma cultura única que não sucumbiu ao domínio inglês, nem a nenhum outro domínio anterior, e está bem preservada.

A Índia é a novela e também quem quer ser milionário, tudo isso junto numa harmonia impressionante. Por isso, mais do que saris, yoga e dalits o que eles têm a oferecer é um mundo muito diferente do nosso que vai te fazer repensar muita coisa. E querer voltar logo ou nunca mais.

Paraíso de cores

Paraíso de cores

PLANEJAMENTO

Assim como você não conseguiria conhecer o Brasil em apenas um mês, tenha o mesmo raciocínio para a Índia. A não ser que você tenha a partir de 3 meses para a viagem procure fazer um roteiro conciso e com distancias razoáveis. Os deslocamentos são longos e cansativos. Nosso roteiro foi: Delhi RishikeshAmritsarMcleod GanjAmritsarUdaipurAgraVaranasi e Mumbai. Isso em 28 dias.

Não esqueça que brasileiro precisa de visto e vacina contra febre amarela.

CLIMA

UdaipurCalor…

Nossa viagem foi em maio, quando o calor é insuportável. Um calor louco até pra quem mora no Rio de Janeiro e está completamente adaptado aos 40 graus do verão. Nosso recorde indiano foi de 48 graus em Agra onde a gente optou por não sair do hotel entre 11h e 14h. Entre junho e outubro é época de chuvas e, dizem os indianos, chove quase todo o dia mesmo. A temperatura começa a cair em outubro e fica bem fria em dezembro. O calor volta a aparecer em fevereiro. A época ideal depende de qual região você quer visitar.

COMO SE VESTIR

Esse era meu maior pavor antes de viajar. Saias curtas e transparências estão completamente fora de cogitação. Assim como calças apertadas ou qualquer outra peça que marque muito o corpo. Se você só tiver jeans apertados o melhor é optar por saias longas. O ombro deve estar sempre coberto, mas não há problema de mostrar a barriga. Chinelos também estão liberados para qualquer lugar. É aconselhável usar um lenço em volta do pescoço até com blusas comportadas. Mesmo que você queira dispensá-lo é bom carregar na bolsa, em alguns lugares você vai precisar cobrir a cabeça.

Mulheres sofrem

Não fomos a nenhum lugar com praia, mas biquínis brasileiros estão completamente fora de cogitação na Índia (há excursões de indianos que vão até as praias só pra tirar fotos de mulheres ocidentais de biquíni). Parece que em Goa são aceitos biquínis mais comportados. Mas se você quer ter uma experiência mística e mergulhar no Ganges (sim, em algumas cidades ele é limpo!) esqueça os biquínis. O traje adequado é blusa e short ou calça. Homens têm a vida mais fácil: podem vestir as mesmas coisas que no Brasil. E mesmo no Ganges a sunga está liberada. Nas mesquitas é proibida a entrada de bermuda. Neste caso, no próprio local será dado um pano para enrolar em volta das pernas. Mumbai é mais liberal e você poderá usar tudo o que está acostumado. Delhi, apesar de grande, é bem conservadora e por isso é bom ser mais cautelosa com os trajes, assim como nas cidades menores. Você dificilmente sofrerá qualquer tipo de violência por não usar as roupas adequadas, mas será alvo de olhares pouco confortáveis. Além do mais, o visitante é você, logo, é sempre bom respeitar a cultura local.

FALANDO

Entedeu?

Entendeu?

A Índia tem 20 idiomas oficiais, entre eles o inglês. Isso sem contar todas as centenas de línguas regionais. O hindi é o idioma mais falado, mas você vai se comunicar em inglês. Não se preocupe com isso, mas tenha paciência. Dependendo do interlocutor, o inglês pode ser quase impossível de entender, mas todos eles são muito simpáticos e comunicativos e não se importarão de repetir quantas vezes for necessário até que você entenda. Em outros casos o inglês é tão perfeito que você só não se sentirá na Inglaterra porque o sotaque de lá é muito característico. Se tiver alguma dificuldade procure uma criança. A grande maioria estuda inglês na escola e consegue se comunicar muito bem com os turistas.

SE DESLOCANDO

Trem

sempre cheio, muito cheio.

sempre cheio, muito cheio.

O modo mais fácil de viajar pela Índia é de trem. O sistema ferroviário cobre grande parte do país e funciona bem. A primeira visão das estações de trem é um pouco assustadora: pessoas dormindo no chão, sujeira por todo lado e quase nenhum lugar pra sentar. Comer também não é tão fácil, em alguns lugares você acha alguns camelôs vendendo biscoito, mas para não contar com a sorte é bom comprar algo pra comer antes das seguir para as estações. Passado o susto inicial começa o trabalho – às vezes árduo – de achar a plataforma do seu trem. Existem placares que indicam as plataformas, mas não confie só nisso, pergunte também. Depois disso, é preciso procurar o seu nome em uma lista que fica fixada na porta de cada vagão quando seu trem chega. A lista está sempre em hindi e inglês. A dica mais importante sobre viagens de trem é: compre o tíquete com antecedência no site oficial da companhia estatal de trens. Pela internet o sistema é bem simples. Conversei com alguns turistas que deixaram pra comprar lá e ficaram em filas de até 4 horas! E só conseguiram passagens para uma semana mais tarde. O mais difícil é escolher em que classe viajar são 6 ao todo

Ônibus

Aperto

Aperto

Esqueça a referência brasileira de ônibus intermunicipais. Viajar de ônibus na Índia é uma experiência completamente diferente do Brasil. Pior. Bem pior. Os ônibus são bem pequenos e quem tem pernas compridas vai sofrer bastante com o espaço entre os bancos. Banheiro dentro do ônibus nem pensar. Na rodoviária a única forma de encontrar a sua plataforma é perguntando mesmo. E além de paradas como as daqui – em rodoviárias – o ônibus também para em pontos especifico para pegar mais gente. Com isso é normal que os ônibus fiquem lotados de pessoas viajando em pé às vezes por horas. A passagem você compra dentro do ônibus, guarde-a porque você terá que mostrá-la várias vezes ao longo do trajeto. E no fim prepare-se para pagar gorjeta mesmo que ninguém te ajude a pegar sua mala. Fizemos Amirtsar – Daramshala de ônibus. A viagem, de pouco mais de 200 quilômetros, durou 9 horas.

Táxi

Os baixos custos da Índia permitem que você pense em algo que em outros países seria impossível: ir de uma cidade a outra de táxi. Como tínhamos poucas opções de horário de ônibus na volta de Daramshala optamos por alugar um táxi. A viagem de volta demorou 7 horas – duas a menos que a de ônibus. O custo: U$ 60 por duas pessoas. Bem caro para padrões indianos, mas razoável se você estiver sem tempo ou querendo mais conforto. As estradas são ruins e os motoristas loucos. Prepare-se para isso. A sinalização é inexistente, não há pistas duplicadas e os motoristas andam quilômetros e quilômetros na contramão. É de deixar qualquer pessoa que dirija no Brasil com uma angústia absurda. A boa notícia para quem teme acidentes é a velocidade: eles não ultrapassam 70 km/h. Mesmo nas estradas. Por isso, não se iluda com a pouca distância. Um percurso de 250 km pode durar até 5 horas e meia. E vá preparado para as buzinas. Eles buzinam para tudo! A todo o momento.

Avião

Nesse caso o sistema é bem parecido com o Brasil. Eles tem algumas companhias locais como Kingfisher, mas voar não é exatamente barato. Dependendo da antecedência você pode conseguir algumas tarifas razoáveis.

Tuc-tuc

Tuc-tuc

Dentro das cidades o melhor modo é de rickshaw, também conhecido como tuc-tuc. Eles são baratos e estão em todos os cantos. Combine sempre o preço antes de subir em um, para não cair em nenhum golpe de espertinhos.

ESQUISITICES

“Que país?”

Eles têm uma outra cultura. E você vai notar isso logo que desembarcar do avião. Se relacionar com pessoas com cabeças tão diferentes é muito enriquecedor, mas é também esquisito às vezes. “Which country?” é a frase que você mais vai ouvir na Índia. Andando na rua você ouve isso o tempo inteiro. Ao responder Brasil você verá um sorriso, mas só porque eles são muito simpáticos. 95% dos indianos que conversamos não tinham a menor ideia de onde fica o Brasil. No geral, eles são muito curiosos e vão perguntar tudo pra você, até coisas muito íntimas. Não se aborreça e não responda se não quiser.

Eles que pediram

Eles que pediram

 

“Foto?”

Eles também pedirão para tirar fotos com você o tempo inteiro. Em qualquer lugar pode aparecer alguém pedido para tirar uma foto sua com a família dele. Na maioria das vezes isso é tão surreal que acaba sendo divertido.

“Onde fica?”

E se você se perder na Índia não peça informação na rua. Eles simplesmente têm vergonha de dizer que não sabem a direção e apontarão qualquer lugar pra você. Quando isso aconteceu com a gente, ficamos andando a esmo por uma hora e meia. E seja firme com os motoristas de táxi. Não tivemos muitos problemas mas ouvimos muitas histórias de turistas que pediram para serem levados pra um hotel e acabaram em outro onde o motorista ganhava comissão. Pra te convencer a mudar de ideia eles contam as historias mais bizarras como o hotel pegou fogo, foi demolido…

BARGANHA

É um dos esportes nacionais. Nunca pague o preço inicial. E ofereça sempre 50% para ver se consegue pagar 70% do que eles pediram inicialmente.

COMER

Comer é um dos pontos altos da viagem à Índia. Mesmo quem não liga muito para comida em viagens vai se surpreender com a quantidade de sabores, cores e texturas. Além do mais, comer é sempre uma aventura à parte em terras indianas. Lá é o paraíso dos vegetarianos. Mas esqueça o que você pensa sobre ser vegetariano. Os milhares de tipos de temperos e molhos são capazes de fazer as pessoas que viram o rosto para qualquer legume virarem um vegetariano de carteirinha. Em Mumbai você encontra porco e até carne de boi, mas nos demais lugares por onde passamos a única carne que vimos foi frango (que eu confesso não comi porque vi uma criação e achei que o ambiente um pouco sujo). Até o Mcdonald’s o que bomba são os McVeg e você não encontrará nada de carne de boi.

Com as mãos

Com as mãos

 

Cadê o garfo?

Indianos comem com as mãos. Eles dizem que os talheres dão um gosto metálico à comida. Nos restaurantes você sempre encontrará talheres, mas o melhor é entrar no clima e tentar aprender o jeito deles. Para tornar o trabalho mais fácil todas as refeições são servidas com um pão árabe que eles chamam de paratha.

Lentilha, arroz e legumes

Basicamente todas as refeições indianas são compostas desse pão, arroz, o que eles chamam de dhal, que é uma espécie de caldo que pode ser feijão, lentilha ou qualquer outro legume da família, e um outro legume sempre com um molho especial. No caso dos pratos com carne esse legume especial é substituído pelo frango. O pão faz o papel da colher e você vai se sentir com 4 anos novamente quando aprendeu a comer com talheres. Não fique com vergonha de olhar para o lado e copiar os movimentos. Além disso, é para comer é preciso ter um dicionário, literalmente. Porque batata não é potato mas alu ou aloo. Logo, fica aqui algumas traduções:

Gobi – couve-flor

Palaka – espinafre

Panee – uma espécie de queijo branco

Pilau – arroz

Biriani – risoto

Dhal – lentilha

Tali – isso é uma refeição completa, o nosso PF. Sempre uma boa pedida.

temperos mil

temperos mil

A comida já é sempre apimentada o suficiente então se puder escolher não opte por spice. Mas mesmo quem tem paladares delicados (como eu) é capaz de aguentar. Se você estiver desesperado pode pedir um curd. Isto é, iogurte natural, que você mistura com o restante da comida e dá uma aliviada. No café da manha a pedida são os lassies, iogurtes batidos com alguma fruta.

Cadê o curry?

E não espere achar a palavra curry no cardápio. Apesar de a gente achar que esse é o principal tempero indiano, ele na verdade foi criado pelos ingleses que tentaram imitar o famoso garam masala (literalmente “tempero quente”) indiano depois que voltaram para a Inglaterra. Lá quase tudo leva garam masala.

Evite comidas cruas já que o sistema de saneamento é precário e não descarte de cara os restaurantes com uma cara estranha. Nas pequenas cidades é provável que você só encontre esses tipos. Mas, sem desespero: a comida foi maravilhosa em 100% das nossas experiências.

Com os amigos indianos em um raro momento de cerveja gelada

Com os amigos indianos em um raro momento de cerveja gelada

Cadê a cerveja?

Cerveja mereceria um capítulo a parte. Não espere grandes orgias etílicas na Índia. Lá apenas estabelecimentos autorizados podem vender cerveja. E embora você consiga encontrá-las de forma clandestina em quase todos os lugares elas são muito caras comparando com o restante dos gastos. Além do mais, elas podem vir em temperatura ambiente.

CUSTOS

A rúpia é a moeda oficial Índia e o país está preparado para todos os bolsos. Mas especialmente para quem gosta de viajar de mochila lá é o paraíso. A gente conseguiu comer em restaurantes um pouco mais chiques do que estamos acostumados e também nos hospedarmos em uma categoria superior de hotel. A comida é especialmente barata, espere gastar por volta de 15 dólares para duas pessoas em restaurantes muuito chiques. Uma garrafa de água mineral de um litro custa US$ 0,6, já o pacote de incenso é US$ 0,2.

Com hospedagem hotéis razoáveis custam entre US$ 15 e 30 a diária do casal. Café da manhã normalmente é por fora. Trocar dinheiro não é algo exatamente fácil na Índia. Por isso, não se acanhe de trocar bastante dinheiro quando encontrar um lugar. Euros e dólares são fáceis de trocar e nós temos uma dica bem incomum: trocar dinheiro no aeroporto pode ser uma boa. Procure os lugares onde não se cobra comissão.

Veja mais dicas sobre como planejar o orçamento aqui. 

VIOLÊNCIA

Lá o grande temor são os ataques terroristas. Esteja preparado para passar por detectores de metal no metrô, museus, grande hotéis e até no Mcdonald’s. A segurança nos aeroportos também é reforçada o que significa que toda a sua bagagem – até a despachada – será escaneada antes do check in. Não tivemos nenhum problema com violência urbana e nos sentimos seguros em absolutamente todos os cantos que estivemos. Inclusive à noite.

POBREZA

Ela está lá. Flagrante em todos os cantos, em todos os lados e o tempo todo. Muita gente pedirá esmola. Nosso pensamento é não dar nunca, nem no Brasil nem em nenhum lugar do mundo. Mas se você pensa diferente, esteja preparado para ser cercado por outras pessoas que também lhe pedirão quado você sacar a primeira nota.

eu tinha chegado primeiro...

eu tinha chegado primeiro...

 

VACAS

A única coisa tão onipresente quanto a pobreza em todos os cantos são as vacas. Elas andam mesmo em todos os lugares e fazem o que querem. Param trânsito das grandes cidades porque resolveram descansar nas pistas e andam por aí fazendo a maior sujeira. Eu não tive um bom relacionamento com elas, mas a maioria dos turistas se diverte.

O QUE LEVAR

-Papel higiênico – item número 1 na bagagem. Isso porque os indianos têm um tipo próprio de banheiro que consiste em um buraco no chão. Você fica de cócoras e usa uma canequinha com água que fica estrategicamente posicionada ao lado para quando você terminar. Em hotéis, grandes restaurantes, Mcdonald’s e aeroportos você encontra o “banheiro ocidental” e lá tem papel mas é bom andar com um rolo na bolsa. Levar um rolo é suficiente, em quase todos os quiosques de rua você encontra pra comprar.

-Pastilhas de cloro – Nem todas as garrafas de águas mineral são cheias com água da pia, mas é preciso ficar atento porque às vezes o lacre está mesmo violado. Além do mais, em muitos pontos turísticos você pode encher sua garrafa de água. A água é legal, mas é sempre bom colocar uma pastilha.

Bem vindo ao supermercado

Bem vindo ao supermercado

-Canivete – encontrar um supermercado na Índia é missão impossível, mesmo em grandes cidades como Delhi e Mumbai. Mas em todas as esquinas você vê barracas que vendem frutas e legumes com aparências maravilhosas que matam a fome durante o dia. O canivete quebra um galhão para que você não tenha que comer só bananas.

-Lençol – eu levei e usei algumas vezes. Não por falta de lençol nos hotéis, mas porque achei que a limpeza parecia meio duvidosa.

-Toalha – considere carregar o trambolho. Em muitos hotéis não achamos nenhuma.

-Álcool em gel e tolhas umedecidas – A Índia é um lugar extremamente empoeirado. Não é raro que no meio do dia você passe a mão no rosto e ela fique completamente preta. Aquelas toalhinhas que se usa em bebês ajuda a diminuir a poeira. O álcool em gel é fundamental pra limpar as mãos antes de comer, já que lá se come com as mãos.

-Absorvente – Se sabe que vai ficar menstruada, vá preparada. Em um mês de viagem eu só vi absorvente em Mumbai.

<!–[if gte mso 9]> Normal 0 21 false false false MicrosoftInternetExplorer4 <![endif]–><!–[if gte mso 9]> <![endif]–><!–[if !mso]> <! st1\:*{behavior:url(#ieooui) } –> <!–[endif]–> <!–[endif]–>
Personal Trip

About the Author

Destinos exóticos e desconhecidos. É em lugares assim que Reba prefere passar as férias. Isso deve ser uma desculpa para poder passar os outros 11 meses do ano planejando a viagem.

27 Respostas para “ Índia: prepare-se, essa viagem vai mudar sua vida ”

  1. Amei as dicas muito bom.Obrigada

  2. namoro um indiano que vive em nova delhi gostaria de ir la pessoalmente vc sabe me dizer algum pacote turistico mais barato

  3. Reba, estou indo para a India em outubro/. 2013 com uma amiga.
    Li seu site e achei muito bom.
    Pergunto: de quando vc escreveu para cá caberia alguma atualização ????
    Com relação as compras, é barato, quais os ítens mais interessantes, no aeroporto tem dificuldade de passar?
    Agradeço,
    Vera Lúcia

  4. Gostaria de ir à India mais precisamente em Mumbai daqui a dois anos.Gostaria se saber de quanto se gasta numa viagem a passeio de 15 dias

  5. Boas dicas….esclareceu muito sobre a Índia…
    só iria lá se fosse na categoria 5 estrelas…rsrs

  6. Oi Sirlei,
    Você vai encontrar vários Centros Ayurvédico não apenas em Delhi mas em quase todas as cidades da Índia. Em Rishikeshi foi onde eu mais vi Centros. Mas infelizmente eu não experimentei nenhum e, por isso, não posso indicar. Você provavelmente vai poder agendar pela internet mas se não conseguir não é difícil achar lá mesmo.

    Beijos e boa viagem.

  7. Adorei todas as fotos e principalmente as dicas. Vou para a Índia com uma amiga e gostaria de uma indicação de um Centro Ayurvédico próximo a Delhi, pois gostaríamos de marcar uma sessão para consulta ou massagem. Isso é possível? Como podemos agendar isso?
    Muito obrigada!

  8. otimas dicas!Soma na expectativas para uma vivencia num continente exotico e de tanta paz!!!

  9. AMEI, valeu a pena, matou minha curiosidade.
    Bjos

  10. Oi Taina,
    A Índia é um calorzão mesmo. Confesso que até eu, uma carioca acostumada ao calor de 40 graus, fiquei agoniada. Mas especificamente Delhi tem estações bem definidas. Isso significa que no inverno – dezembro a fevereiro – pode fazer até perto dee zero. A melhor época é na primavera, entre fevereiro e abril. Eu fui em maio e já estava um calor de enlouquecer. Dá uma olhada nas nossas dicas de Delhi: http://asviajantes.com/viagem/pela-india-a-injusticada-delhi

    Beijos

  11. Oi! Adorei as dicas!! Quero ir em 2013 (proximo ano para la), mas precisamente a Nova Dehli. Sabes qual eh a epoca do ano mais apropriada para ir para ND? Nao sou muito amante do calor e gostaria de ir numa epoca mais amena. Obrigada!

  12. Este site é ótimo!! Obrigada pelas dicas! Estou indo para a Índia pela primeira vez com uma amiga em janeiro de 2012 e gostaria de saber como fazemos para comprar as passagens de trem com antecedência. Tentei pelo site http://www.irctc.co.in e não consegui. Você tem alguma dica?
    Obrigada e abraço

  13. Oi Mariana,
    Mumbai é provavelmente a cidade mais cara da Índia.
    Eu fiquei na casa de amigos. Tente alguma coisa nesses sites:
    http://www.makemytrip.co.in
    http://www.cleartrip.com
    http://www.yatra.com

    Beijos

  14. Olá!!

    Adorei o blog. Anotei várias dicas pois estou indo em novembro para Delhi, Rishikesh, Mumbai e destino final um ashram no vilarejo de Ganeshpuri.
    Você tem uma indicação de hotel/hostel legal para ficar em Mumbai, com cama que dê para dormir?
    Obrigada!!
    ABRAÇO CARINHOSO, MARIANA

  15. Adorei o post, completo e com dicas muito legais. Estou indo para lá em novembro e com certeza vou aproveitar as informações.
    Obrigada

  16. Parabéns, vc curtiu a índia quebrando qualquer paradigma ocidental! Entrou no clima total! 🙂

    E Taj Mahal, vc não foi?? Nem Jaipur?

    Beijos e ótimo blog de vcs!! Vou acompanhar sempre! 😉

  17. pobrigada por dividir conosco esta experiencia maravilhosa

  18. Gente, demaaaais teu post sobre a india. So assim pra eu ficar sabendo sobre a tua viagem ne, amiga!?

  19. Que louco, cara. Ideal, ideal, seria mesmo ter uma polaroid, tirar as fotos e deixar de agrado para os nativos…

  20. Mr. Yuri, como parte integrante da viagem e como conhecedor de vós-me-cê, tomarei a liberdade de tentar responder com minhas próprias orelhadas (Renata poderá dar a opinião dela, bem mais inteligente, em seguida, se preferir), já que a verdade, como você sabe, está lá fora.

    A questão é, inclusive, exatamente essa. Eles pensam que estão vendo ETs. Gente que eles nunca viram antes. É tudo muito absurdamente estranho – para eles e para nós. Imagine a chegada dos europeus na América. Agora, acrescente uma máquina fotográfica na mão do aborígene. É isso que acontece.

    E não adianta argumentar que a Índia já conhece o Ocidente que isso é mentira. Ou pelo menos, não conhecemos essa Índia. Éramos ETs.

  21. oi pessoal, ta otimo o blog. mas essa coisa de tirar fotos me intriga… ces sabem pq eles vivem pedindo isso? eh uma coisa que todo mundo fala e ng sabe explicar…

  22. Ameei mesmo o post!
    Aquela visão de guia de viagens “comprado” que se encontra internet a fora não tem metade das informações úteis que tem nesse post!!! Só quem foi sabe de algumas coisas e certamente as dicas serão bem aproveitadas para quem quer ir!

    Valeu meninas! Muito bacana mesmo!

    Abraço!
    http://vemconosco.wordpress.com

  23. Passei perrengues parecidos na Turquia com as roupas, os ônibus e os banheiros com buraco no chao. Mas nada disso importa quando se está na Ásia…

  24. Ficou enorme, mas, creio eu, bom de ler. Comecei a ler e, quando dei por mim, já tinha acabado. E ela nem contou as histórias mais exóticas…

  25. arrasou! todas as possíveis dúvidas foram tiradas. hehe
    e adorei as fotos também.

    beijos

  26. Amei. Arrasou na estreia no site. :o)

  27. Nossa, valeu a espera. Completíssimo o post!

    Beijos

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>