• RSS
  • As Viajantes no Facebook
  • Siga-nos no Twitter

Nova Iorque by myself

estatua da liberdadeMinha primeira ida à Nova Iorque aconteceu este ano, meio que de supetão. Minhas férias de casal tinham subido no telhado e tinha que arrumar uma maneira de aproveitar os dias livres enquanto o respectivo curtia o novo emprego. O destino me pareceu convidativo para uma viagem solo: museus, compras e caminhadas.

Fiquei no Upper West Side, mas também muito me indicaram o Upper East Side para hospedagem. Passei uma semana lá e, apesar de sempre se ter a sensação de que há algo mais a conhecer, quem só tem uns quatro dias consegue ver o essencial, sem traumas.

Aí embaixo têm dicas em tópicos, mas vou logo adiantando que Soho está entre os lugares que você tem que conhecer. É um bairro beeem bacana, com ateliers e lojas mil, como a de design do Moma e a da Apple. Agora, prepare-se: não é à toa que os EUA é o berço do capitalismo. Lá você acaba comprando coisas que não precisa e até que não quer, só porque tá barato.

TRANSPORTE: Saindo do JFK, recomendo é ir num guichê de ground transport (ou algo do gênero) e fechar um traslado de van. Eu paguei até meu hotel no upper west side, US$ 19. O cominado de metrô com o air train, saía US$ 11. Achei que a diferença de preço valia o conforto de ficar na porta do hotel e não precisar andar com o mochilão nas costas.

Quando chegar ao hotel, pegue logo um mapa de Manhatan, isso vai te ajudar muito. Eles costumam ter as estações do metrô, etc. Tanto o metrô quant os ônibus têm também mapas com todas as linhas. No metrô, dependendo de quantos dias vai ficar, vale comprar o passe de 7 dias a US$ 25. Só pra ter uma idéia, a passagem única custa US$ 2.

museu do sexoMUSEUS: Em boa parte deles o preço é sugerido, mas eu não tive coragem de pagar menos e, sinceramente, eles valem os preços pedidos. Enfim, dá pra economizar, se você quiser. Custam, me média, US$ 20. Mas todos aceitam carteirinha de estudante.

Os que mais gostei foram o Metropolitan e o de História Natural. Você vai gastar pelo menos umas três horas em cada um. No dia que for ao Met, aproveite para conhecer o Guggenheim, que é pertinho. Fui também no Museum of Sex, que é interessante, o International Center of Photography e, claro, no MoMA. Quando for ao Soho, aproveite para visitar o Rock na Roll Hall of Fame.

PONTOS TURÍSTICOS: Nos hotéis costumam ter milhares de folhetos e livretos com mapas e descontos em vários lugares. Vale dar uma olhada, consegui uns bons descontos.

Estátua da Liberdade e WTC – Eu deixei para ir na estátua da liberdade no mesmo dia do WTC, pq vc pega o ferry no sul da ilha. Na nessa região tem um forte, a trinity chrch e um monumento de guerra. Eu não quis ir na ilha da estátua para subir. Me falaram que não valia a pena as duas horas q se perde nisso. Então, peguei o ferry para State Island, que é de graça. Ele passa em frente a estátua e rende uma boa foto.

Em frente aos escombros do WTC tem um memorial, que é pago e só tem fotos e vídeos do acontecido. Não vale muito a pena.

vista do empire stateEmpire State – Custa US$ 20 e tem mó vistão da cidade. Mas se tiver chuva à vista, é melhor deixar para outro dia pra conseguir uma boa foto e não correr o risco de a segurança fechar a parte externa.

Top of the Rocks, Rockfeller Center e NBC – Eu só tirei foto lá embaixo, mas já me falaram q a vista é tão bacana quanto a do Empire State e com vidros em vez de grades. A entrada do prédio é bem bacana. Lá eu fiz um tour pelo estúdio da NBC, visitamos estúdios e vimos um pouquinho da gravação do Saturday Night Live. Nas redondezas tem também a loja da NBA e a Biblioteca Pública, um prédio bem antigo e super bonito, que fica atrás de uma praça bem verde, num clima meio europeu.

Broadway, Time Square e Madame Tussaud’s – Dá para fazer tudo no mesmo dia. Mas comece pelos bilhetes do teatro. A Time Square tem milhares de lojinhas, artigos eletrônicos e souvenirs. Para quem nunca foi no Madame Tussaud’s, o museu de cera é uma visita interessante e de lá de cima dá para tirar uma boa foto da Time Square. Ao lado tem ainda um museu de coisas incríveis e bizarras, que esqueci o nome agora, mas não fui.

Na Broadway optei pelo estande da TKTS. Eles vendem ingressos para o mesmo dia com até 50%. É bom tentar pegar uma revista da semana para ver as peças em cartaz e seus horários e poder se organizar. Algumas têm sessões matinê no fim de semana. Dependendo do quanto estiver disposta a gastar, vale perguntar, no guichê os preços todos. Eu paguei US$ 60 pelo Fantasma da Ópera, na 5ª fila.

Chinatown e Little Italy – Eu, por incrível que pareça, não comprei anda lá. Falsificado por falsificado, os nossos chineses vendem mais barato. Mas é curioso, se tiver um dia de folga, acho que vale a visita. No final da rua principal, a Canal St, tem a ponte de Manhatan, que é bem bonita. Little Italy é basicamente restaurante, charmosinho.

guggenheinCOMPRAS: Além da Time Square, procure dar uma passada na Macy’s, H&M, Forever 21, Best Buy e JR Eletronics (tem uma dentro da Macy’s). Dois lugares merecem uma explanação à parte: o Woodbury Outlet e Century 21.

Woodbury Outlet – Fica em New Jersey e é programa para o dia inteiro. Tenta nos folhetos contato de ônibus que leva e busca turistas até lá por US$ 30. Se não conseguir, o cara costuma sair às 10h da 34 St, em frente a uma loja de esportes de esquina com a 7th Ave. Lá tem lojas mil, de Prada, Gucci e Yves Saint Laurent, a Guess, Gap, Armani Exchange (vale dar uma futucada nas araras. Eu comprei calça a US$ 10), Lacoste, Ralph Lauren, além de lojas de relógio e todas aquelas de esporte. Dependendo do meio de transporte que te levar, eles te dão um livro com cupons de desconto em várias lojas, que variam de 5% a 20%, dependendo do valor que você comprar.

Century 21: Bem no sul da ilha, fica em frente aos escombros do WTC. Lá tem de tudo, de jogo de lençol de 300 fios a US$ 25, a óculos da Guess por US$ 19, e bolsas Puma a US$ 30. Vale dar uma explorada mesmo, ver roupas, acessórios, departamento de casa, etc. Se achar algo bem barato lá não vale deixar para ir comparar no outlet. Os produtos que vão pra lá são diferentes e as pechinchas são semelhantes.

Esses dois links também me foram bem utéis pra programar a viagem: http://www.novayork.com/ e http://www.vamosparanovayork.com/

Clique aqui para imprimir esse post.

Siga As Viajantes no twitter,

Personal Trip

About the Author

De moto, barco, carro, avião, trem ou ônibus, para Alícia o importante é viajar, conhecer lugares novos, sem deixar de desbravar o Brasil.

6 Respostas para “ Nova Iorque by myself ”

  1. Adorei a informação. A cidade de Nova York é maravilhosa.

    Visitar Nova York

  2. A Simone nos escreveu por email pedindo dicas atualizadas de restaurantes e noitadas. Como este post foi escrito há mais de um ano, vão aí as dicas dos amigos Daniel Tambarotti e Tatiana Contreiras que estiveram lá há menos tempo:

    * Heartland – cervejaria artesanal na Union Square.

    * The Spotted Pig é um bar que foi dica do Anthony Bourdain.

    * Otto – pizzaria do mario batali, montes de tipos de vinhos e preços legais, galera bonita e descolada – http://www.ottopizzeria.com/

    * Shake Shack – Lanchonete q tem umas 5 espalhadas pela cidade. o milkshake é sensacional e os sanduíches idem – http://www.shakeshack.com/

    * Burger Joint – buraco nos fundos do hotel le parker meridien. http://www.parkermeridien.com/eat4.php.

    * Katz – é o do harry & sally, o filme. lá tem que pedir sanduíche de pastrami!

    Lugares bem falados, mas que nem eu nem meus amigos fomos:

    * Momofuku – restaurante de um chef hypadíssimo, tem que fazer reserva. Não fui, mas é muito recomendado. E parece que os preços são amigáveis.(http://www.momofuku.com)

    * Pastis, Serafina e Balthazar – outros tres restaurantes cool e bem falados. Acho que ficam no SoHo.

    * Le Bernardin – 3 estrelas no Michelin e 4 estrelas do NYT. O chef é dos melhores do mundo. (http://nymag.com/listings/restaurant/le_bernardin/). Mais de 300 dólares o jantar.

    * Per Se – Fica no topo de um prédio que esqueci, com vista linda pro Central Park. Tb mais de 300 dolares o jantar. (http://nymag.com/listings/restaurant/per-se/)

    ======

    * Se vc gosta de musica eletronica, a festa bombante é a Wolf + Lamb, que rola no Brooklyn, num hotel (acho). Falando em Brooklyn, Williamsburg é o bairro mais descolado. A casa Terminal 5 é o lugar que tem recebido os shows mais bacanas – LCD Soundsystem, Hot Chip, The National, etc. É legal dar um check it out.

    * Vale ficar de olho em governor’s island, que abre em temporada de verão. vale ficar de olho, pq lá tem coisas que vão de feira de cerveja a shows de passion pit, por exemplo 🙂

    * pra quem gosta de rock, na arlene’s grocery rola karaokê famoso. aliás, naquela região ali tem um monte de barzinho com show de várias bandas.

  3. “Falsificado por falsificado, os nosso chineses vendem mais barato.” comentário preconceituoso e sem necessidade, vim ao seu blog por que estava “linkado” em outro, e só por esse comentário não volto nunca mais.
    Caso você não saiba, há coreanos, taiwaneses e vários outros vendendo falsificações pelo Brasil.

  4. Pena que quando fui para NY ainda nao tivesse este teu post. Fui no inverno, e era muiiiito frio, entao com certeza deixei de ver alguns lugares por puro frio e preguica. Fiquei em um hotel na Broadway, ainda bem, pois assim pude curtir a programacao. Quero voltar la no verao. Otimas dicas..

  5. Parabéns pelo blog! está muito legal!!
    suas dicas para NY foram ótimas!!
    sucesso! mil beijos!

  6. Vontade de ir a NY…

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags xHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>